Rodada do Potiguar tem caso de racismo e caso vai terminar na delegacia

Rodada do Potiguar tem caso de racismo e nota de repúdio das equipes. Supervisor do Potiguar de Mossoró foi alvo de ofensas racistas em jogo contra o ABC.

Sandro Moreira - Supervisor do Potiguar
Sandro 'Moreira disse ter sido chamado de "macaco" pelo preparador de goleiros do ABC, Francisco de Assis "Pombo", em discussão ao final do jogo. Caso foi levado à delegacia.
Segundo o advogado do Potiguar, o preparador de goleiros do ABC confirmou a injúria racial em depoimento.

Em jogo com final eletrizante, o Potiguar de Mossoró bateu o ABC por 1 a 0, com gol marcado aos 50 minutos por segundo tempo, no Estádio Nogueirão. Madson foi o herói do Time Macho, que se recupera após a goleada para o Globo FC e, de quebra, embola o segundo turno do estadual.

O Potiguar chegou aos seis pontos, na quinta posição. O ABC, com sete, se complica na briga para chegar à final e agora é o terceiro colocado - atrás de América-RN, com 10, e Santa Cruz de Natal, com nove.

Mas, o jogo entre Potiguar de Mossoró e ABC além do bom jogo teve também uma denúncia de injúria racial. O clube afirmou que o supervisor de futebol do clube, Sandro Moreira, foi chamado de 'macaco' pelo preparador de goleiros do Elefante, Francisco de Assis. O árbitro Leonilson Fernandes Trigueiro Filho relatou inúmeras confusões em súmula, mas não o caso de racismo.

"O preparador de goleiros do ABC me chamou de macaco, de negro bosta, e isso não pode acontecer no futebol brasileiro e nem na sociedade", disse Sandro ao repórter Ícaro Carvalho, da Jovem Pan News Natal.

Segundo o advogado do Potiguar, o preparador de goleiros do ABC confirmou a injúria racial em depoimento. O caso continuará sendo investigado pela polícia.

Na próxima rodada, o Potiguar encara o Força e Luz no Barretão, em Ceará-Mirim, na quarta-feira. O ABC enfrenta justamente o Santa Cruz, na quinta-feira, no Frasqueirão - a partida ainda pode mudar de local.

Confira a nota do Potiguar:

A Associação Cultural e Desportiva Potiguar é grande não apenas pela sua Torcida e pelas suas conquistas, mas também pela sua batalha contra as mais diversas mazelas que contrariam a ética esportiva e social, dentro e fora do futebol.

Por isso, o Clube Alvirrubro se movimenta e repudia totalmente os atos de racismo protagonizados por um membro da comissão técnica do ABC Futebol Clube, contra o nosso supervisor Sandro Moreira, no confronto deste domingo, 16, no Nogueirão, pela Copa RN. O Potiguar está #FechadoComOSandro.

O Potiguar comunica que o Departamento Jurídico está prestando queixa e tomando todas as providências e amparando o nosso funcionário nesse momento tão triste do nosso futebol.

Confira a nota do ABC:

Em respeito à população do Rio Grande do Norte e sobre os fatos ocorridos na tarde do último domingo (16), no estádio Leonardo Nogueira, durante o jogo com o Potiguar de Mossoró, o ABC Futebol Clube vem a público manifestar o seu repúdio a todos os atos ocorridos.

Embora haja acusações do supervisor do clube mossoroense, Senhor Sandro Moreira, de ato racista por parte do treinador de goleiros do ABC, Senhor Francisco de Assis do Nascimento Targino, que nega o fato. Ambos registraram Boletim de Ocorrência com acusações mútuas.

O ABC Futebol Clube não coaduna com qualquer ato de discriminação racial e, caso seja constatado qualquer desvio por parte do funcionário do Clube serão tomadas as providências cabíveis, jurídicas e administrativas.

Jamais seremos omissos diante de acusações tão graves. Como em nosso manto, somos um clube de brancos e negros. Nenhum racista representa o ABC Futebol Clube. Não admitiremos, em nenhuma hipótese, a presença de cidadãos em nossos quadros, que não respeitem os princípios básicos da dignidade e respeito ao ser humano.