Tecnologia do Blogger.

Featured Post

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Pesquisar este blog

Pacatuba Em Foco

Ads 468x60px

Followers

random/hot-posts

PACATUBA EM FOCO

Total de Transeuntes

sexta-feira, 9 de abril de 2021

STF nega recurso da Procuradoria e mantém suspeição de Moro também no caso Banestado

Entendimento é pela suspeição de Moro já que ele, por ter ajudado a produzir provas, não poderia julgar o caso do banco

Marcos Corrêa / Fotos Públicas
A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) e ratificou decisão que considerou suspeito o ex-juiz Sergio Moro. A suspeição foi em julgamento do doleiro Paulo Roberto Krug no caso Banestado, em 2003, que projetou o ex-ministro de Bolsonaro. Recentemente, Moro
teve suspeição declarada em relação a julgamento envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Krug foi condenado em um processo que apurava suposto esquema bilionário de evasão de divisas. Na ocasião, o também doleiro Alberto Youssef fez acordo de delação premiada com procuradores do Paraná, entregando “concorrentes”. Em 2020, a 2ª Turma da Corte anulou a sentença condenatória de Sergio Moro no caso Banestado.

“Rediscussão do decidido”

O entendimento que prevaleceu foi o de que um magistrado que homologa acordo de delação não deve participar das negociações entre as partes. E tampouco tomar depoimento de um dos envolvidos. O julgamento sobre a suspeição de Moro terminou empatado: Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski consideraram que o então juiz estava impedido, enquanto Edson Fachin (relator) e Cármen Lúcia avaliaram que não estava. Com isso, foi aplicado princípio do in dubio pro reo (na dúvida, a favor do réu).

A Procuradoria recorreu afirmando que o caso não mostrou evidências de parcialidade de Moro no caso Krug. Para Gilmar Mendes, os embargos de declaração, como usou a PGR, são para corrigir omissão, contradição ou erro material. “No presente caso, não verifico a presença de qualquer dos vícios”, declarou Mendes em seu voto. Segundo ele, a Procuradoria queria apenas “a reforma do julgado com a rediscussão do decidido”.

Segundo o site Consultor Jurídico (Conjur), em seu voto Lewandowski afirmou que “coisas muito estranhas aconteceram em Curitiba, naquela Vara Federal, que acabaram vindo à lume e foram amplamente divulgadas pela imprensa”. Para Gilmar, o então juiz “atuou verdadeiramente como um parceiro do órgão de acusação na produção de provas”.

←  Anterior Proxima  → Inicio

Jornada Esportiva

Jornada Esportiva

Mais Acessadas

Votar ao Topo