CÂMARA EXCLUI EDUCAÇÃO DO CONGELAMENTO: AGORA É PRESSÃO NO SENADO!

A Câmara dos Deputados aprovou o texto base do PLP 39/2020, que trata do socorro aos estados e municípios, por conta da Covid-19. O congelamento de salários dos servidores públicos foi aprovado, mas graças a Emenda n° 11, aprovada com 287 votos a favor e 179 contras, os trabalhadores da Educação Pública foram excluídos do rol de servidores que terão seus salários congelados.

A APEOC, por meio de seu presidente Anízio Melo, enviou ofício direto para o presidente Rodrigo Maia, articulou também com os deputados Orlando Silva, do PCdoB de São Paulo, Dorinha Rezende, do DEM de Tocantins, JHC, do PSB de Alagoas, Marcivânia Flexa, do PCdoB do Amapá, Jandira Feghali, do PCdoB do Rio de Janeiro, Rosa Neide, do PT do Mato Grosso, e com Idilvan Alencar, do PDT do Ceará, que apresentou emendas ao texto que tentavam preservar o reajuste e manutenção da Carreira de servidores públicos.

O Sindicato APEOC também realizou campanha, amplamente divulgada nas redes sociais, pressionando parlamentares federais cearenses, enviando para eles ofícios cobrando apoio e para que votassem a favor dos servidores públicos, contra o congelamento.

Como houve modificação no texto, o PLP volta ao Senado para votação. Agora é pressionar os senadores!

.

Pages