Em cena constrangedora, Bolsonaro tenta apertar a mão de generais


Bolsonaro tenta cumprimentar militares com a mão, mas ganha cotovelos como resposta. Cena constrangedora é mais uma prova de como o presidente brasileiro age como se nada estivesse acontecendo e encara a pandemia com desdém e irresponsabilidade

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) protagonizou um episódio constrangedor nesta quinta-feira (30), em Porto Alegre, durante a posse do novo general do Comando Militar do Sul.

Na cerimônia, o chefe do Planalto tentou cumprimentar os militares com a mão, mas recebeu cotovelos como resposta. Em todo o mundo, as recomendações médicas indicam que é preciso evitar cumprimentos com as mãos para evitar contaminação.

A cena é mais uma prova de como o presidente brasileiro age como se nada estivesse acontecendo e encara a pandemia do novo coronavírus com desdém e irresponsabilidade.

Nas imagens (ver abaixo), o primeiro a responder Bolsonaro com o cotovelo foi o general Edson Pujol, comandante do Exército brasileiro, a autoridade máxima da instituição. O general Antônio Miotto, que acaba de deixar o comando do CMS, é o segundo a repetir o gesto.

Além do cotovelo, Bolsonaro recebeu o tradicional “tapinha nas costas” do prefeito da capital gaúcha, Nelson Marchezan Jr. (PSDB) e até o cumprimento do tipo “soquinho” do vice-presidente, o general Hamilton Mourão.

Bolsonaro não discursou na cerimônia e foi recebido na cidade por panelaços e também por apoiadores, que promoveram aglomerações. Militantes levaram crianças e muitos não usavam máscaras.

VÍDEOS:



.

Pages