Tecnologia do Blogger.

Featured Post

Diário do Bolso | ... foi outro 7 a 1. Igualzinho à seleção do Felipão.

Diário, foi outro 7 a 1. É, levei uma goleada esses dias. Igualzinho à seleção do Felipão. Olha só: 0 x 1 O Ricardo Salles, do Me...

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Pesquisar este blog

Pacatuba Em Foco

Ads 468x60px

Followers

Pacatuba Em Foco - A Melhor Calçada Virtual

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Números preocupantes: Brasil tem 12,5 milhões de desempregados

No terceiro trimestre de 2019, a taxa de desocupação no país foi de 11,8% – contra 11,9% em igual período em 2018, segundo dados da Pnad Contínua do IBGE

Por Claudio Carneiro

O Brasil tem um contingente de 12,5 milhões de pessoas sem emprego formal. É o que revelam os números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados pelo IBGE nesta terça-feira, 19. O montante equivale à soma de 3,2 milhões de pessoas em busca de emprego há mais de dois anos, mais 1,7 milhão que procuram trabalho entre um e dois anos, mais 5,8 milhões em busca de trabalho entre um mês e um ano, mais 1,8 milhão procurando emprego há menos de um mês.

Não entrou nessa matemática da desocupação o número de 4,703 milhões de desalentados – pessoas que desistiram de buscar colocação no mercado de trabalho por absoluta falta de oportunidade.

No terceiro trimestre de 2019, a taxa de desocupação no país foi de 11,8% – contra 11,9% em igual período em 2018 e 12% em abril, maio e junho deste ano. O índice permaneceu praticamente estável em 25 das 27 unidades da Federação. Em julho, agosto e setembro, Bahia (16,8%), Amapá (16,7%) e Pernambuco (15,8%) apresentaram as maiores taxas de desemprego enquanto que Santa Catarina (5,8%), Mato Grosso do Sul (7,5%) e Mato Grosso (8,0%) ficaram com os menores índices.

Quase sempre deixados de fora dos meios de produção – tanto quanto das pesquisas –, os trabalhadores em desalento não foram esquecidos do estudo trimestral do IBGE. São 2,934 milhões de pessoas na Região Nordeste e 921 mil no Sudeste que sequer saem de casa para procurar emprego. Segundo o Instituto, 3,150 milhões de desempregados buscam – sem sucesso – por trabalho há dois anos ou mais.

Mesmo neste oceano de notícias ruins, ainda foi possível fisgar um mínimo de alento. Neste trimestre – em relação a igual período no ano passado – diminuiu em 1,2% o contingente de desempregados por pelo menos dois anos.

Desemprego e desalento não escolhem sexo

Num cenário em que desemprego e desalento são as palavras de ordem, feliz mesmo de quem tem o seu salário no fim do mês. Para estes, ainda segundo a Pnad, o rendimento médio permaneceu estatisticamente estável do segundo para o terceiro trimestre deste ano em 26 dos 27 estados brasileiros. A única exceção é surpreendentemente positiva. O salário em Rondônia variou 4,8%, de R$ 1.941 para R$ 2.035 – valor que permanece abaixo da média real nacional, em torno de R$ 2.298,00. Para compor esta média, o Distrito Federal apresenta renda mensal de R$ 3.887, enquanto que o estado mais pobre do país, o Maranhão, teve rendimento salarial médio de R$ 1.333.

A mão de obra feminina não teve melhor sorte. Ainda segundo o estudo do IBGE, as mulheres responderam por 53,3% da população desempregada no terceiro trimestre. Os números frios da Pnad não tiram conclusões nem interpretam cenários. Mas basta lê-los para concluir que não está fácil pra ninguém…

←  Anterior Proxima  → Inicio

Pacatuba Em Foco

Ouça-nos !

Agenda de Jogos da Semana


Campeonato Brasileiro A
Quarta-Feira, 04, 19h30
Ceará x Corinthians - Castelão

Campeonato Brasileiro A
Domingo, 08, 16h00
Fortaleza x Bahia - Castelão

Mais Acessadas

Total de Transeuntes

Votar ao Topo