O contra-ataque de Moro: PF encaminha devassa nas finanças de Glenn Greenwald

Com essa iniciativa, Greenwald ficará sujeito a vazamentos de dados pessoais. Mais um degrau na escalada de Moro contra o Intercept, dentro da tática defensiva de atacar as circunstâncias do vazamento, e tangenciar o mérito das mensagens

O site Antagonista – favorito de Sergio Moro para comunicar seus atos ao mundo – divulgou no início da tarde desta terça (2) que a Polícia Federal solicitou ao Coaf um “relatório das atividades financeiras de Glenn Greenwald”.

Não está claro se a PF já possui algum tipo de procedimento investigativo já instaurado e que mire o jornalista do Intercept, para embasar o pedido ao Coaf.

O que o Antagonista informa é que a devassa nas contas de Greenwald seria uma “ação de inteligência” com o objetivo de identificar qualquer movimentação financeira atípica que possa estar relacionada com o vazamentos de mensagens privadas de procuradores da Lava Jato.


E que, somente após esse pente fino, e com eventuais indícios de que o jornalista está relacionado com o vazamento, é que a PF irá abrir uma investigação.

A notícia surge no mesmo momento em que Moro, ministro da Justiça, ocupa o noticiário por ter de falar à Câmara sobre o conteúdo dos vazamentos do Intercept.

Com essa iniciativa, Greenwald ficará sujeito a vazamentos de dados pessoais. Mais um degrau na escalada de Moro contra o Intercept, dentro da tática defensiva de atacar as circunstâncias do vazamento, e tangenciar o mérito das mensagens.

O GGN já havia antecipado que Moro dava sinais de que pretendia promover uma ofensiva contra os profissionais do Intercept. Desde que o assunto veio à tona, o ministro insiste que há um crime de hacking em andamento, mesmo que não tenha evidências de que os relatos mais recentes de invasão estejam conectados ao dossiê do Intercept. VEJA AQUI.

.

Pages