Tecnologia do Blogger.

Featured Post

VÍDEO: Deputado bolsonarista vandaliza exposição sobre Consciência Negra na Câmara

Jandira Feghali ✔ @jandira_feghali URGENTE! Deputado Coronel Tadeu (PSL) vandaliza exposição na Câmara s...

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Pesquisar este blog

Pacatuba Em Foco

Ads 468x60px

Followers

Pacatuba Em Foco - A Melhor Calçada Virtual

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Bolsonaro repassou verba do Mais Médicos a deputados para aprovar Previdência

Para aprovar a Reforma da Previdência, presidente Jair Bolsonaro repassou a deputados R$ 1,25 bilhão que seria do programa Mais Médicos

Com o objetivo de aprovar a Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, o governo federal remanejou R$ 1,25 bilhão que seria do programa Mais Médicos e repassou o valor a parlamentares através de emendas.

A princípio, todo o dinheiro foi transferido para outros programas da área de saúde. Em seguida, a verba foi liberada para os deputados por meio de emendas parlamentares.

Toda a manobra aconteceu nos dias que antecederam a aprovação do texto-base da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, na quarta (10), período em que o governo acelerou a liberação de emendas.

No dia 4 de julho, a Secretaria Especial de Fazenda, órgão do Ministério da Economia, publicou portaria na qual abriu um crédito suplementar de R$ 1,25 bilhão ao Ministério da Saúde por meio da anulação de recursos no mesmo valor destinados até então ao Mais Médicos. Esta verba foi repassada para o custeio de serviços de atenção básica e de assistência hospitalar e ambulatorial.

No dia 9 de julho, em outra portaria, o mesmo órgão abriu outro crédito suplementar no valor de R$ 649,2 milhões com o mesmo destino. Quase metade do dinheiro veio do remanejamento de verbas destinadas às mesmas atividades –atenção básica e assistência hospitalar e ambulatorial.

A outra parte dos R$ 649,2 milhões tinha como destino anterior a estruturação de unidades de atendimento especializado em cidades das cinco regiões do país e da rede de serviços de atendimento básico de saúde no Distrito Federal.

Desta forma, somados, os remanejamentos autorizados pelo Ministério da Economia dentro da área de saúde chegam a R$ 1,89 bilhão.

Tudo isso permitiu que, em paralelo, entre os dias 5 e 10 de julho, o Ministério da Saúde publicasse 48 portarias para liberar quase R$ 1,6 bilhão em emendas parlamentares voltadas para o custeio de serviços de atenção básica e de assistência hospitalar e ambulatorial.

Ou seja, justamente as atividades cujo atendimento tinha sido autorizado pelo Ministério da Economia –mas, desta forma, com o carimbo dos deputados.

A liberação de emendas parlamentares e o ritmo em que isso acontece é uma característica marcante da “velha política” tão criticada por Jair Bolsonaro (PSL) durante a campanha eleitoral.

Nos dias que antecederam a votação da abertura do processo de impeachment do ex-presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados, o governo também liberou um caminhão de dinheiro público para os deputados. O processo acabou rejeitado.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), reconheceu que a liberação de emendas foi impulsionada pela proximidade da votação da reforma da Previdência.

O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, continua negando que esteja fazendo a “velha política” que condenou durante a última campanha eleitoral.

Na manhã do dia da votação da reforma da Previdência, o governo Bolsonaro prometeu liberar R$ 5,6 bilhões em emendas e deve enviar um projeto ao Congresso para conseguir créditos para bancá-las.

←  Anterior Proxima  → Inicio

Pacatuba Em Foco

Ouça-nos !

Agenda de Jogos da Semana


Campeonato Cearense C
Decisão em Partida Única
Sexta-Feira, 15, 15h30
Itapipoca x Pacatuba - Perilão

Campeonato Brasileiro A
Domingo, 17, 19h00
Fortaleza x CSA - Castelão

Mais Acessadas

Total de Transeuntes

Votar ao Topo