Tecnologia do Blogger.

Featured Post

Bolsonaro quer cassar registro de MEI de profissionais ligados à arte

Cantor e músico independentes, DJ, VJ, humorista ou contador de histórias, instrutor de artes cênicas, instrutor de arte e cultura, instrut...

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Pesquisar este blog

Pacatuba Em Foco

Ads 468x60px

Followers

Pacatuba Em Foco - A Melhor Calçada Virtual

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Bolsonaro governa para ricos e brancos

Por Ricardo Kotscho, em seu blog:

Aprovado por apenas um em cada três brasileiros, segundo o Datafolha, o presidente(?) Jair Bolsonaro governa apenas para seus devotos robotizados nas redes sociais.

E o resto que se dane.

É o que se pode concluir dos vários desdobramentos da pesquisa e das ações do governo nestes primeiros seis meses.

A começar pela reforma da Previdência, que vai manter os privilégios de fardados e togados e cortar os benefícios dos mais pobres.

Basta citar um dado do Datafolha a demonstrar para quem governa o capitão: enquanto 47% da população apoia a reforma, esse número sobe para 73% entre os empresários (está na primeira pagina da Folha de hoje). Por que será?

Se a pesquisa for feita entre os mercadores do dinheiro grosso, os especuladores da Bolsa e do dólar, esse número certamente chegará a 100%, de preferência aprovando a capitalização.

Em todos os levantamentos da pesquisa, fica claro o lado que Bolsonaro escolheu no país dividido ao meio: o dos brancos mais ricos e mais escolarizados, no Sul/Sudeste.

A rejeição a Bolsonaro cresce entre os mais pobres, com menos instrução, pretos e pardos, no Norte/Nordeste.

Não por acaso, é entre os eleitores de Bolsonaro que mais gente acha que o brasileiro se aposenta cedo demais (15%). Entre os que votaram em Fernando Haddad, este índice cai para 6%.

Por faixa de renda, como informa o Painel da Folha, são os mais ricos, com renda acima de 10 salários mínimos, os que concordam que o brasileiro trabalha pouco tempo para se aposentar: 31%.

Certamente não é para esses devotos mais ricos que o presidente se dirige ao defender o trabalho infantil, pois os filhos deles só começam no batente depois de se formar, de preferência em boas faculdades estrangeiras.

É o filho do pobre que se vê obrigado a trabalhar cedo, muitas vezes em condições insalubres, para ajudar a família.

Lembro-me de uma reportagem que fiz muitos anos atrás sobre uma escola na periferia de São Paulo onde os alunos dormiam nas aulas.

O professor foi à casa deles para descobrir o que estava acontecendo: as crianças trabalhavam durante a madrugada para ajudar os pais numa olaria, onde eles moravam.

Sem nenhum plano de governo, o presidente fala e faz o que lhe vem na telha, sem se preocupar com o que dizem as leis e a Constituição, apenas ouvindo sua turma nos churrascos de fim de semana e nas festinhas nos quartéis.

Nas suas mais esdrúxulas decisões, sempre tem quem saia ganhando, nem que seja às custas da saúde e da vida dos que não fazem parte da seita.

Na contramão dos países civilizados, Bolsonaro resolveu agora elevar os benefícios fiscais para a indústria de refrigerantes, uma das razões da epidemia de obesidade que já atinge 59% das crianças brasileiras.

Para combater o contrabando de cigarros, o Ministério da Justiça estuda a redução dos impostos, na contramão das políticas antitabaco no mundo inteiro e aqui também, que reduziram drasticamente o consumo.

Quando corta drasticamente os recursos para a Educação, é a população mais pobre que ele atinge, porque os seus amigos ricos podem pagar boas escolas particulares.

O mesmo acontece na saúde, onde a rede pública é desmantelada, para que os planos de saúde possam aumentar sua freguesia e seus lucros.

Na visão caolha e calhorda da nova ordem, filho de pobre não precisa fazer faculdade, nem ter acesso a bons hospitais, reservados apenas aos eleitos.

No mesmo Datafolha, a Educação aparece como o principal problema do país hoje, com 15% das citações. Em segundo lugar, surge a saúde.

Bolsonaro não está preocupado com isso, nem com os milhões de desempregados.

Como outros governos que o antecederam, ele governa apenas para um terço da população, que o apoia.

Estamos percorrendo o caminho inverso da inclusão social e no mercado de trabalho, que resgatou milhões de famílias da fome e da miséria, para onde elas já estão voltando.

De “um país para todos”, o lema do governo Lula, agora somos novamente “um país para poucos”.

Isso não tem como dar certo. Uma hora a corda vai arrebentar.

Vida que segue.

←  Anterior Proxima  → Inicio

Pacatuba Em Foco

Ouça-nos !

Agenda de Jogos da Semana


Campeonato Brasileiro A
Quarta-Feira, 04, 19h30
Ceará x Corinthians - Castelão

Campeonato Brasileiro A
Domingo, 08, 16h00
Fortaleza x Bahia - Castelão

Mais Acessadas

Total de Transeuntes

Votar ao Topo