Diário do Bolso: a musa e o muso do desgoverno atual

Primeiro veio a história da balbúrdia. Logo de cara ele conseguiu um bordão. O meu foi soterrado.

Por José Roberto Torero*

Poxa, Diário, ser presidente não é fácil. Todo mundo no meu governo quer aparecer. E aí um fica brigando com o outro. Que nem o Bebbiano e o Carluxo. Que nem o Olavo e o Mourão. Agora a coisa vai ficar preta entre a Damares e o Weintraub. Ele me ligou e disse assim:

“Bom dia, meu Messias, tudo bem?

“Fala, Damarinha. Tudo azul? Kkkkkk!”

“Não, presidente. Tudo preto.”

“Que foi? Fala que eu te escuto.”

“Presidente, eu não estou fazendo bem a minha parte?”

“Claro que está, Damares. Você está nota dez. Viu Jesus na goiabeira, disse que mulher é inferior ao homem no casamento, falou mal da princesa do Frozen e do Bob Esponja…”

“Pois então, presidente. Por que estão colocando outro no meu lugar?”

“Outro?”

“O Weintraub.”

“Imagina, Damarinha. Você é nossa musa. Ninguém tira seu lugar.”

“Mas é o que ele quer. Primeiro ele veio com a história dos chocolates. Fez até mercham, e tinham me dito que isso não podia.”

“Aquilo foi engraçado. E eu ainda comi uns.”

“Primeiro veio a história da balbúrdia. Logo de cara ele conseguiu um bordão. O meu foi soterrado. Ninguém fala mais em ‘menina veste rosa, menino veste azul’. Mas ele conseguiu até botar o povo na rua com essa história de balbúrdia.”

“Sabe que eu nem conhecia essa palavra? Se eu tiver outra filha acho que vou botar esse nome.”

“Presidente, isso não é brincadeira. Ele quer roubar o meu lugar. Aquela história de Kafta, por exemplo. Tem que ter sido armado. Ninguém fala uma bobagem dessas.”

“Damarinha…”

“E ele fez até vídeo erótico.”

“Tem golden shower? Onde? Manda o link?”

“Não, presidente. Aquela história de mostrar o ombrinho na internet. Pensei que só o senhor podia mostrar cicatriz.”

@diariodobolso

*José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

.

Pages