Tecnologia do Blogger.

Featured Post

Cármen Lúcia, do STF, arquiva pedido para que Moro fosse investigado por abuso de autoridade

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o arquivamento de um pedido do PT para que o ministro da Justiça, ...

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Pesquisar este blog

Pacatuba Em Foco


Pacatuba Em Foco - A Melhor Calçada Virtual

Audálio Dantas, mais de seis décadas dedicadas ao jornalismo

Nota divulgada, no início da noite desta quarta-feira (30), pelo Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) e pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) registrou a morte do jornalista Audálio Dantas e resgatou sua trajetória de mais de 60 anos dedicados ao jornalismo, uma carreira vasta e intensa, dentro e fora das redações.


A nota dos jornalistas, inicialmente, registra a morte de Audálio Dantas na tarde desta quarta-feira (30), na capital paulista, aos 88 anos, vítima de câncer. Em seguida comunica que o velório ocorrerá até às 10 horas desta quinta-feira (31) no Hospital Premier (Av. Jurubatuba nº 481 - Vila Cordeiro), na zona sul paulistana, e, a partir das 12 horas, no auditório Vladimir Herzog, sede do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (Rua Rego Freitas nº 530 - Sobreloja - Vila Buarque), na região central. Informa ainda que a cremação será no Cemitério Vila Alpina e o horário da cerimônia será divulgado assim que definido pela família. 

A partir de então, a nota descreve a trajetória daquele que foi um mais importantes jornalistas brasileiros e um dos mais destacados dirigentes sindicais da categoria.

Leia a íntegra do documento:

Alagoano nascido em Tanque D'Arca, em 8 de julho de 1929, Audálio presidiu o Sindicato entre 1975 e 1978. Foi responsável não só pela retomada da direção da entidade fazendo oposição à ditadura civil-militar, como enfrentou o regime reforçando a denúncia do “suicídio” do jornalista Vladimir Herzog, forjado pelos agentes da repressão na tentativa de esconder o assassinato de Vlado sob tortura, em 1975, nos porões do Doi-Codi.

A partir da morte de Herzog, Audálio fez surgir o movimento que despertou e fortaleceu a sociedade brasileira para derrubada do regime militar.

Como sindicalista, foi quem reivindicou a reposição salarial para cerca de 10 mil jornalistas de São Paulo, prejudicados pelos dados falsos da inflação divulgada pelos militares na década de 1980, o que abriu caminho para o mesmo embate por outras categorias, como o movimento operário dos metalúrgicos do ABC.


O então deputado federal Audálio Dantas ao se encontrar com o líder cubano Fidel Castro

Depois de deixar a direção do SJSP, foi eleito deputado federal pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Audálio também presidiu a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), em 1983, o primeiro eleito por voto direto na entidade.

Na eleição da Fenaj de 2016, ainda foi eleito pela categoria para a Comissão Nacional de Ética da Federação.

Nas mais de seis décadas dedicadas ao jornalismo, ele trabalhou nos principais veículos do país, entre os quais a revista Realidade, numa carreira vasta e intensa, dentro e fora das redações.
Com um seu olhar generoso às causas sociais, em 1981 foi premiado pela Organização das Nações Unidas por sua luta aguerrida pelos direitos humanos, entre outras inúmeras premiações que recebeu por sua dedicação profissional.

Foi graças à sensibilidade do repórter que o mundo descobriu, na década de 1960, o livro “Quarto de despejo”, da escritora negra Carolina Maria de Jesus, moradora da favela paulistana do Canindé e catadora de lixo que teve sua obra traduzida para mais de dez idiomas.

Há um ano, o jornalista foi homenageado em seu aniversário com comemoração que lotou o auditório Vladimir Herzog. Na ocasião, recebeu o Troféu Indignação-Coragem-Esperança, uma iniciativa da Agência Sindical, do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé e da Oboré Projetos Especiais, com apoio do SJSP, da Fenaj e do Instituto Vladimir Herzog, entre outras entidades.

Também escritor, transformou algumas de suas grandes reportagens em livros. Entre outras publicações, lançou, em 2012, "As duas guerras de Vlado Herzog: da perseguição nazista na Europa à morte sob tortura no Brasil”, obra ganhadora do Prêmio Jabuti no ano seguinte.
Em entrevista concedida em agosto de 2017 ao jornal Unidade, Audálio afirmou que a reportagem sobre a escritora havia sido o fato mais importante de sua carreira jornalística “não pelo texto que escrevi, mas pelos textos que transcrevi do diário da Carolina e a repercussão que isso trouxe com mais uma reportagem de cunho social que eu tinha proposto. Ela é um acontecimento literário que dura desde os anos 1960 e acho que vai continuar cada vez mais”, destacou.

Questionado sobre os caminhos que o levaram ao jornalismo, Audálio disse: “Eu escolhi e em determinados momentos se inverteu, acho que também fui escolhido. Mas era uma aspiração que tem tudo a ver com a minha preocupação com os problemas sociais desde menino. Minha atuação como jornalista foi sempre, desde o início, na reportagem, e meus principais trabalhos foram voltados às questões sociais em geral”.

Quanto à importância do Sindicato dos Jornalistas e de ser sindicalizado, ressaltou que os colegas de profissão “não percebem que a defesa dos seus interesses passa por uma coisa que é civilizatória, que é a organização sindical, aquilo que permite uma discussão entre trabalho e capital. Não sendo assim, prevalece a ditadura. Só isso já bastaria para dizer que ser sindicalizado é um ato de inteligência”.

Audálio Dantas deixa quatro filhos, a esposa Vanira Kunc, uma infinidade de amigos, de amigas e de inúmeros admiradores da carreira brilhante do repórter.

O momento é de tristeza profunda pela perda de Audálio Dantas, um grande guerreiro que construiu uma história de vida pautada na ética do jornalismo e dos e das jornalistas, mesmo na luta contra os porões da ditadura e pela retomada da democracia, hoje novamente ameaçada.

O SJSP e a Fenaj expressam condolências e solidariedade à família. Nesta hora de despedida, Audálio compartilha sua luz para sempre ao se eternizar para o jornalismo e ao se tornar eterno presidente na história do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo.

Combateu o bom combate... Agora Audálio é eterno!

Audálio Dantas, presente! 



ANIZIO MELO ASSINOU O AFASTAMENTO DO SINDICATO APEOC PARA SER PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL

Em reunião no Sindicato APEOC nesta quarta-feira (30), o presidente Anizio Melo apresentou um balanço de todas as conquistas alcançadas, como presidente da APEOC, de 2011 até agora. O evento contou com a presença da diretoria e funcionários do sindicato, representantes de várias comissões municipais, além de representações sindicais e de movimentos estudantis.


Anizio Melo enumerou as grandes conquistas da categoria nos últimos anos. O ganho real do salário, os aumentos bem acima da inflação do período e as leis que garantiram todas as mudanças necessárias para a valorização do Magistério no Ceará. Direitos garantidos a servidores ativos, aposentados e temporários. Na sua gestão as comissões municipais tiveram voz e vez. Encontros de formação e mobilização sindical foram realizados com representantes das comissões do interior na sede da APEOC. Além das inúmeras viagens aos municípios para a organização sindical tão necessária para uma categoria forte e qualificada. Sem falar da luta pelo Novo FUNDEB. Anizio Melo chegou a realizar um debate com a relatora da PEC 15/15, a deputada federal Professora Dorinha, do DEM/TO. Mas as vitórias não param por aí. O Novo ISSEC e a Nova Carreira estão na lista de realizações do mandato do presidente Anizio, luta por uma Educação Pública de qualidade.

Após o balanço apresentado, Anizio Melo comunicou a todos o seu afastamento no próximo dia 6 de Junho do sindicato APEOC para o lançamento da pré-candidatura a deputado federal. Esse grande salto é fruto de articulações com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação e várias entidades sindicais no Norte-Nordeste. Segundo Anizio, a categoria precisa de representatividade no Congresso Nacional, representação essa comprometida com uma educação pública de qualidade. A diretoria da APEOC e representações de outros sindicatos deixaram claro o apoio à candidatura de Anizio. Durante o período de afastamento, assume o vice-presidente da entidade, o professor Reginaldo Pinheiro.

Fala, Presidente! 

“Nossa pré-candidatura é um desafio e ao mesmo tempo uma missão. No sentido de construir uma identidade de representação dos trabalhadores em Educação e dos trabalhadores de uma forma geral. Defender o financiamento para a Educação, na luta pelos precatórios do FUNDEF, os Royalties para o FUNDEB, além da luta pelo Novo FUNDEB. Nesse sentido, comunicamos o nosso afastamento da presidência, mas não da luta. Estaremos no chão da escola, de forma contínua, para construir através da educação e da luta dos trabalhadores, o retorno à democracia, a manutenção, o resgate e a ampliação dos direitos dos trabalhadores. É um desafio que seguiremos com toda coragem e de forma coletiva iremos cumprir a nossa missão.”

TJCE condena primeira-dama e ex-prefeita de Uruburetama a 14 anos de prisão

Graça Paiva já havia sido condenada em primeira instância por uma série de crimes durante sua gestão no município. Ela pode ser presa a qualquer momento


O desembargador Antônio Pádua Silva, do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), condenou, nesta teça-feira (29), por unanimidade, a primeira-dama e ex-prefeita de Uruburetama, Graça Paiva, a 14 anos e quatro meses de prisão. Com a decisão, Graça Paiva poderá ser presa a qualquer a momento.

Graça Paiva já havia sido condenada em primeira instância pelos crimes de apropriação indébita previdenciária, dispensa de licitação fora do que é previsto por lei e apropriação de coisa alheia móvel, cometidos durante sua gestão na Prefeitura de Uruburetama.

Em tempo

Dr. Hilson, atual prefeito e médico do município, é esposo de Graça Paiva e acusado de assédio sexual, pedofilia. Mais de 50 mulheres já declararam terem sido vítimas do médico. Os crimes teriam ocorrido em consultórios particulares e privados.




Página Musical - Milton Nascimento cantando: Morro Velho


Morro Velho - Milton Nascimento

No sertão da minha terra, fazenda é o camarada que ao chão se deu
Fez a obrigação com força, parece até que tudo aquilo ali é seu
Só poder sentar no morro e ver tudo verdinho, lindo a crescer

Orgulhoso camarada, de viola em vez de enxada

Filho do branco e do preto, correndo pela estrada atrás de passarinho
Pela plantação adentro, crescendo os dois meninos, sempre pequeninos
Peixe bom dá no riacho de água tão limpinha, dá pro fundo ver

Orgulhoso camarada, conta histórias prá moçada

Filho do senhor vai embora, tempo de estudos na cidade grande
Parte, tem os olhos tristes, deixando o companheiro na estação distante
Não esqueça, amigo, eu vou voltar, some longe o trenzinho ao deus-dará

Quando volta já é outro, trouxe até sinhá mocinha prá apresentar
Linda como a luz da lua que em lugar nenhum rebrilha como lá
Já tem nome de doutor, e agora na fazenda é quem vai mandar

E seu velho camarada, já não brinca, mas trabalha.



Maioria de mortes maternas no país ocorre entre mulheres negras jovens

Mulheres negras têm duas vezes mais chances de morrer por gravidez

Mais da metade (54,1%) das mortes maternas no Brasil ocorrem entre as mulheres negras de 15 a 29 anos. A população negra feminina também tem duas vezes mais chance de morrer por causas relacionadas à gravidez, ao parto e ao pós-parto do que as mulheres brancas. A informação foi destacada pela doutora em saúde pública, Fernanda Lopes, durante as discussões da 4ª Conferência Nacional da Promoção da Igualdade Racial (Conapir). O evento está sendo realizado em Brasília com a presença de especialistas, pesquisadores e ativistas da causa racial de vários estados para levantar propostas de enfrentamento ao racismo.

Com base em estatísticas do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), a especialista, que também integra o grupo de racismo e saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), apresentou algumas variáveis que mostram a desigualdade racial no âmbito da saúde pública.

A pesquisadora Fernanda Lopes participa da 4ª Conapir - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

“Estas mulheres morrem com uma frequência maior, prioritariamente por hipertensão, um problema que poderia ser identificado lá no pré-natal. Mas, estas mulheres são as que menos têm informações sobre sinais de parto, que com mais frequência têm o pré-natal considerado inadequado e são aquelas que mais peregrinam até conseguirem vaga na maternidade para dar à luz”, destacou Fernanda.

Apesar de o Brasil ter reduzido consideravelmente os números de mortalidade materna nos últimos anos, ainda não conseguiu atingir a meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas de reduzir em 75% o índice de mortes até 2015. A cada 100 mil nascidos vivos, ainda morrem no país uma média de 60 mulheres em idade fértil.

Racismo institucional

A pesquisadora disse ainda que as mulheres negras recebem com menos frequência recursos para alívio para a dor durante o parto, como tomar água, andar, tomar banho, ganhar massagem ou mesmo ter a opção de ser anestesiada. Além disso, de acordo com o levantamento apresentado por Fernanda, as mulheres negras têm menos chance de ter um acompanhante durante o parto e na maternidade e estão mais sujeitas a ouvir expressões discriminatórias. Ela cita entre os dados coletados na pesquisa frases ouvidas pelas pacientes por agentes de saúde como "na hora de fazer não reclamou". 

“Isso é racismo institucional, é violência obstétrica e é violência de gênero. É um tipo de violência que só as mulheres vivem”, ressaltou Fernanda. A pesquisadora explicou que o racismo institucional na saúde se expressa pela desigualdade no atendimento dos profissionais da saúde à mulher negra e na negação a ela de acesso a proteção e direitos. Este tipo de discriminação também tem impacto na organização e no funcionamento dos serviços de saúde.

“A violência obstétrica começa no pré-natal. Então, quando a gente está falando lá na atenção básica que estas mulheres têm menos acesso à informação, isso é expressão de violência institucional. Se estas mulheres peregrinaram mais até conseguirem vaga no hospital, é expressão do racismo institucionalizado”, detalhou.

No atendimento pós-parto, os índices também apontam para uma desvantagem das mulheres negras, principalmente as mais jovens, em relação às brancas. “Em uma avaliação da estratégia da família e da Rede Cegonha se observou que eram as mulheres mais jovens e negras que recebiam com menos frequência a visita da equipe de saúde da família durante o período de puerpério”, completou.

Entre as propostas para enfrentar o problema, a pesquisadora sugere que o país melhore as pesquisas sobre percepções das pacientes sobre atitudes discriminatórias nos serviços de saúde.

Conapir

No segundo dia da 4ª Conferência de Promoção da Igualdade Racial (Conapir), os conselheiros e delegados se dividiram em grupos temáticos para discutir diferentes propostas de combate à discriminação étnica e racial nas áreas de educação, violência, religião, entre outros. O conjunto final das propostas e resultados das discussões serão apresentados nesta quinta-feira (30), último dia da conferência.


TRF3 restabelece direitos de Lula como ex-presidente

Tribunal revisou decisão de juiz de Campinas de suspender veículos, seguranças e assessores de ex-presidente


O Tribunal Regional Federal da 3ª região restabeleceu os direitos de Lula como ex-presidente. Eles haviam sido retirados do petista após um juiz de Campinas acatar uma ação de Rubens Nunes, advogado e coordenador nacional do Movimento Brasil Livre.

Com a decisão, Lula volta a ter as prerrogativas asseguradas pela legislação a todos os ex-presidentes. Eles têm direito, segundo o decreto 6.381 de 2008, a quatro seguranças, dois veículos oficiais com os respectivos motoristas, além de assessoramento por dois servidores.

Na decisão da 6 ª Vara Federal de Campinas, o juiz Haroldo Nade argumentara que Lula não tinha necessidade de motoristas ou de seguranças por estar sob custódia do Estado. Ele afirmou ainda que Lula não tinha necessidade dos assessores gerais, pois estaria "apartado dos afazeres normais, atividade política, profissional e até mesmo social". 

O desembargador André Nabarrete Neto, do TRF3, aceitou o recurso de Lula contra a decisão de Nade sob o argumento de que os direitos de Lula como ex-presidente "não encontram nenhuma limitação legal". Segundo ele, isso impede que o Judiciário retire essas prerrogativas, "sob pena de violação ao princípio da separação dos poderes". 

De acordo como Nabarrete Neto, a privação provisória de liberdade de Lula "não é fundamento para afastar direitos e prerrogativas consagradas em lei a todos os ex-presidentes". O magistrado afirma ainda que o direito de utilizar os serviços decorre da condição de ex-presidente. "Para o titular do direito cabe escolher a melhor forma, desde que lícita". 

O magistrado conclui ainda que a interpretação da lei "não pode estar sujeita às variações do ambiente político conjuntural, sob pena de se comprometer o Estado de Direito".

Governo atende a pauta: Promoção, Gratificação e Ampliação


Mediante pressão do Sindicato APEOC, o governo do Ceará convocou reunião na manhã desta segunda-feira, (28), no Palácio da Abolição, para tratar da pauta da categoria. A diretoria do Sindicato APEOC, representada pelo presidente estadual, Anizio Melo, vice-presidente, Reginaldo Pinheiro, secretário geral, Helano Maia, e a tesoureira, Penha Alencar, foi recebida pelo chefe de gabinete do Governo do Ceará, Élcio Batista, e o secretário da Educação, Rogers Mendes. Na reunião, as pautas da categoria foram prontamente atendidas.

Retroativo das Promoções

O pagamento do retroativo das promoções de mais de 1.700 professores, podendo chegar a 15 mil reais, iniciará na folha de Junho e finalizará em Outubro, cumprindo assim o compromisso de pagar todo o retroativo em 2018.

Gratificação de Diretores e Coordenadores

Todas as nomeações, sendo 141 de diretores escolares e 1167 de coordenadores escolares, serão publicadas até quarta-feira, dia 30 de maio, com implantação da gratificação já na folha de Junho, assim como ficou garantido o pagamento do retroativo da gratificação.

Ampliação Definitiva

O Governo se comprometeu a dar celeridade no parecer técnico sobre a ampliação definitiva anterior e posterior a 2003.

Em virtude do atendimento da pauta, o ato marcado para às 16h desta segunda-feira, dia 28, está suspenso.

O Sindicato APEOC continuará remando contra a maré, firmes na luta e sempre vigilantes!

Fala, Presidente

“Parabéns, categoria! Estratégia correta de pressão, negociação com muita responsabilidade e qualidade. Mais uma vez um grande avanço, fruta da nossa mobilização e pressão qualificada.”

Série D do Brasileiro – empate entre Ferroviário e Cordino classifica os dois clube pra segunda fase do certame - Confira os confrontos da Segunda Fase


Por Ronaldo Déber

Na noite deste domingo 27, no Estádio Presidente Vargas em Fortaleza o Ferroviário (CE) e Cordino (MA) em partida valida pela ultima rodada da primeira fase da Série D, empataram em 0 x 0 em um jogo fraco e desprovido de emoções. Apesar da atuação fraca dos clubes as duas equipes se classificaram para a segunda fase. O Ferrão terminou a primeira fase em primeiro lugar líder e invicto, o Cordino em segundo e as duas equipe voltarão a se encontrar agora no primeiro “mata-mata” do torneio. Apesar da classificação a torcida do clube coral cearense protestou pela fraca atuação do clube na partida e também pelo fato de que o Ferroviário não venceu nem um jogo em casa. Comissão técnica, diretoria, e ate atletas corais em entrevistas posteriores a partida afirmaram aceitar as criticas da torcida, mas não entendiam o porquê afinal terminaram a fase do torneio lideres e invictos entre os melhores primeiros lugares do certame.


Ficou definido na noite deste domingo todos os confrontos da segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro. No empate por 1 a 1 com o Madureira, o Linense até garantiu a primeira posição do Grupo A14, mas encerrou a primeira fase como pior líder e terá que decidir sua classificação fora de casa. Por outro lado, Jacuipense-BA e São Raimundo-RR, com as piores campanhas entre os segundos colocados, estão eliminados.

Com duas vitórias, três empates e uma derrota, o Linense terminou com nove pontos e pôde até comemorar a liderança do Grupo A14, mas será obrigado a decidir sua classificação da segunda fase fora de casa. A explicação está no regulamento: os 32 classificados se dividem em dois grupos. No primeiro ficam os 16 melhores líderes, enquanto o segundo abriga os 15 segundos colocados classificados mais o líder de pior campanha.

Manaus-AM, Independente-PA, Nacional-AM, Ferroviário-CE, Moto Club-MA, América-RN, Sergipe-SE, Campinense-PB, Treze-PB, Iporá-GO, Sinop-MT, Macaé-RJ, Uberlândia-MG, Caxias-RS, Tubarão-SC e São José-RS terminaram como os líderes de melhores campanhas.

Rio Branco-AC, Santos-AP, Cordino-MA, Altos-PI, Imperatriz-MA, Fluminense de Feira-BA, Itabaiana-BA, Brasiliense-DF, Novo-MS, URT-MG, Novorizontino-SP, Maringá-PR, Inter de Lages-SC, Novo Hamburgo-RS e Brusque-SC são os melhores segundos colocados.

Daí em diante o chaveamento é bem simples. A "classificação geral" serve apenas para definir o pior líder (Linense-SP) e os dois vices eliminados (Jacuipense-BA e São Raimundo-RR). Mas, para definir os confrontos, leva-se em consideração apenas o grupo. Líder do Grupo A1 (Manaus-AM) enfrenta o segundo colocado do Grupo A2 (Santos-AP), e assim por diante.

Na tabela detalhada da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o primeiro jogo da segunda fase já está marcado para o dia 3 de junho, no próximo final de semana, enquanto o jogo da volta fica para o dia 10. O gol fora de casa não é critério de desempate e em campo de igualdade a decisão vai para as cobranças de pênaltis.

CONFIRA OS CONFRONTOS DA SEGUNDA FASE:

Manaus-AM x Santos-AP
Independente-PA x Rio Branco-AC
Nacional-AM x Altos-PI
Ferroviário-CE x Cordino-MA
Moto Club-MA x Fluminense de Feira-BA
América-RN x Imperatriz-MA
Sergipe-SE x Brasiliense-DF
Campinense-PB x Itabaiana-SE
Treze-PB x URT-MG
Iporá-GO x Novo-MS
Sinop-MT x Linense-SP
Macaé-RJ x Novorizontino-SP
Uberlândia-MG x Inter de Lages-SC
Caxias-RS x Maringá-PR
Tubarão-SC x Brusque-SC
São José-RS x Novo Hamburgo-RS


*times à esquerda decidem em casa


Página Musical - João Coiote cantando: De Frente Pro Mar


João Coiote - De Frente Pro Mar


Eu nem sempre soube te amar Mas você me convenceu A entrar fundo nesse amor Fiz uma canção pra nós dois E um verso pra depois Pra nunca mais me esquecer O amor que nasceu de frente pro mar Nenhuma onda vai nos separar O amor pra ficar um beijo infinito Deixa eu te mostrar O quanto eu mudei O quanto eu lutei por você É o que for pra ser será Eu vou sempre te deixar Livre para ser o que é Fiz um cantinho pra nós dois E eu te levo lá depois Pra nunca mais me esquecer O amor que nasceu de frente pro mar Nenhuma onda vai nos separar O amor pra ficar um beijo infinito Deixa eu te mostrar O quanto eu mudei O quanto eu lutei por você Mais uma noite inteira assim somente pra nós dois E nunca mais vamos sair daqui E quando digo que pra sempre só você Eu te juro agora é pra valer O amor que nasceu de frente pro mar Nenhuma onda vai nos separar O amor pra ficar um beijo infinito Deixa eu te mostrar O quanto eu mudei O quanto eu lutei por você






Tragédia Anunciada – A educação de Pacatuba é reprovada no SPAECE


Os últimos dados concernentes ao SPAECE 2017 é mais um capítulo do Filme Triste pelo qual passa a nossa antes bela Pacatuba.

À propósito, tais números coadunam com a forma nada edificante como se vem tratando a educação em nosso município, uma autêntica “ DESEDUCAÇÃO” ( permitam-me o neologismo). 

Confira os números


PROFESSOR E VEREADOR ÊNIO MEDEIROS TEM ATUAÇÃO DESTACADA


E neste mar de lama no qual está submersa a nossa educação, temos que enaltecer  a participação exitosa das Escolas Raimunda da Cruz e Major Assis.



E, em especial, citar o nome do Professor e Vereador Ênio Medeiros que, de forma atuante e destacada, similar à sua atuação no Parlamento Municipal, quando à frente das turmas dos nonos anos da Escola Major de Assis, da localidade de Monguba, fez com que aquela escola galgasse a marca de 13,10 acima do resultado do ano anterior. Com isso, cabe enaltecer a sua destacada atuação juntamente com os demais componentes do corpo docente daquela instituição de ensino local.


Conforme matérias já veiculadas aqui na Melhor Calçada Virtual, não nos causa perplexidade a tão pífia participação de nosso município no Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará

 A Folha Corrida é extensa ... O martírio é constante ...

Na contramão da Educação, Pacatuba suspende (extingue ?) o sistema de Escolas de Tempo Integral

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/02/na-contramao-da-educacao-pacatuba.html

Em manifestação pacífica, Professores de Pacatuba são agredidos à porta da Câmara de Vereadores

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/05/em-manifestacao-pacifica-professores-de.html

Pacatuba: Professores aprovam Greve por tempo indeterminado

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/05/pacatuba-professores-aprovam-greve-por.html

Mais um flagrante de descaso do Poder Público de Pacatuba - Ônibus Escolar Superlotado

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2018/02/mais-um-flagrante-de-descaso-do-poder.html

Pacatuba - Mais um capítulo do embate: Prefeitura x Funcionários. Vitória dos Funcionários

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2018/03/mais-um-capitulo-do-embate-prefeitura-x.html

Pacatuba: Sindicato APEOC apoia ato de professores

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/04/pacatuba-sindicato-apeoc-apoia-ato-de.html

Pacatuba: Sindicato pressiona e conquista reajuste de 6,81%

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2018/02/pacatuba-sindicato-pressiona-e.html

Pacatuba: Professores cobram reajuste salarial e outras pautas

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/03/pacatuba-professores-cobram-reajuste.html

Alunos protestam por transporte escolar em Pacatuba

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/03/alunos-protestam-por-transporte-escolar.html

Professores de Pacatuba ameaçam greve geral

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/04/professores-de-pacatuba-ameacam-greve.html

REIVINDICAÇÃO DOS ESTUDANTES NA CÂMARA MUNICIPAL DE PACATUBA

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/02/reivindicacao-dos-estudantes-na-camara.html

Mãe de estudante denuncia o descaso com a educação pública de Pacatuba

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/03/mae-de-estudante-denuncia-o-descaso-com.html

Pacatuba - Vereador Ênio Medeiros faz uma série de denúncias sobre a gestão municipal ...

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2018/05/pacatuba-vereador-enio-medeiros-faz-uma.html

Pacatuba: Sem resposta da Prefeitura, professores aprovam Indicativo de Greve

http://www.pacatubaemfoco.com.br/2017/05/pacatuba-sem-resposta-da-prefeitura.html

UFA ! UFA ! UFA !

Como falei antes: A Folha Corrida é extensa ... O martírio é constante ... 



Pacatuba Em Foco

“AZEREDO COLOCA O PSDB NO CENTRO DA CRISE”

O professor Vitor Marchetti, da Universidade Federal do ABC, avalia que, “antes da prisão de Azeredo o PSDB já tinha problemas o suficiente para se colocar como um partido de renovação ética, para tentar se afastar das investigações e se proteger como um partido que está blindado a esses casos”.

“Essa decisão contra o Azeredo definitivamente coloca o PSDB no centro da crise político-partidária. Claro que o nível de impacto no PT é gigante por conta do tamanho das lideranças envolvidas. Mas eu diria que não é tão menor no PSDB, considerando alguns impactos, como o que ocorreu com o Aécio na delação da JBS; as diferentes citações de políticos tucanos em planilhas com informações de pagamentos de propinas por empresas; o próprio Alckmin, apresentado como 'Santo' em planilhas da Odebrecht; e os escândalos do metrô em São Paulo”, diz o estudioso a Lilian Venturini, no site Nexo.

Questionado sobre como os adversários do PSDB devem tratar a prisão de Azeredo, o professor afirma que "o PT, fundamentalmente, deve lançar luz para aquela ideia central com a qual o partido já trabalha que é a seletividade da Justiça. O Azeredo é o primeiro ator que tinge o PSDB dentro da lógica do mensalão, que já faz alguns anos que aconteceu".

"Mais do que explorar que o PSDB tem escândalos de corrupção, a estratégia será mostrar o quanto há lentidão, o quanto há seletividade da Justiça a depender da filiação partidária do investigado. Inclusive outros envolvidos no mensalão tucano não foram punidos porque houve prescrição [caso das ações contra o ex-vice-governador Walfrido dos Mares Guia, contra o ex-diretor Lauro Wilson e Cláudio Mouro, coordenador da campanha de Azeredo em 1998]".

Morre o jornalista Alberto Dines, aos 86 anos

Faleceu nesta terça-feira (22) Alberto Dines, jornalista, professor universitário, biógrafo e escritor. A informação foi publicada pela página do Repórter Brasil, telejornal da TV Brasil, em rede social. Dines ingressou em 1962 no JORNAL DO BRASIL, onde foi responsável por uma profunda reformulação que levou o jornal a se consolidar na vanguarda da imprensa nacional.

O jornalista, diretor do programa Observatório da Imprensa da TV Brasil, faleceu às 6h no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado devido a uma pneumonia. A causa da morte do ex- editor do JORNAL DO BRASIL foi insuficiência respiratória. A viúva, jornalista Norma Couri, ainda resolve se o enterro será na capital paulista ou no Rio de Janeiro.

"É com profunda tristeza que a equipe do Observatório da Imprensa comunica o falecimento de seu fundador, Alberto Dines (1932-2018), na manhã de hoje no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Estamos preparando uma edição especial sobre o legado do Mestre Dines a ser publicada em breve", diz nota do instituto.Jornalista, professor, biógrafo e escritor ingressou em janeiro de 1962 no JORNAL DO BRASIL

Alberto Dines nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em 19 de fevereiro de 1932, filho de Israel Dines e de Raquel Di­nes, ambos de origem judaica. Fez os cursos primário e ginasial em colé­gios israelitas do Rio. 

Em 1943 teve sua primeira experiência jornalística como um dos organizadores do boletim estudantil Horta da Vitória, do Ginásio Hebreu Brasileiro. Cursou o científico no Colégio Andrews.

Iniciou sua carreira em 1952 como crítico de cinema da revista A Cena Muda. No ano seguinte foi convidado por Nahum Sirotsky para trabalhar como repórter na recém-fundada revista Visão, cobrindo assuntos ligados à vida artística, ao teatro e ao cinema. Passou a fazer reportagens políticas, cobrindo as campanhas de Jânio Quadros para a prefeitura de São Paulo em 1953 e, um ano mais tarde, para o governo do Estado. 

Permaneceu na Visão até 1957, quando foi levado por Nahum Sirotsky para a revista Manchete. Tornou-se assistente de direção e secretário de redação. Após desentendimentos com Adolpho Bloch, demitiu-se da empresa e tentou criar, com recursos próprios, uma revista que não chegou a ser editada.

Em 1959 assumiu a direção do segundo caderno do jornal Última Hora, depois foi diretor da edição matutina e, mais tarde, das duas edições diárias (matutina e vespertina).

No ano seguinte foi nomeado editor-chefe da recém-criada revista Fa­tos e Fotos, tendo colaborado, nessa ocasião, no jornal Tribuna da Imprensa, então pertencente ao Jornal do Brasil. Em 1960, convidado por João Calmon, dirigiu o Diário da Noite, dos Diários Associados de Assis Chateaubriand, convertendo-o em tabloide vespertino. Deixou o jornal, demitido por Chateaubriand, por não obedecer a ordem de ignorar o sequestro do navio Santa Maria, em Recife, feito em protesto contra a ditadura de Antônio Salazar em Portugal.

JORNAL DO BRASIL

Ingressou em janeiro de 1962 no JORNAL DO BRASIL como edi­tor-chefe, aos 30 anos e dez de profissão. Segundo o diretor Manual Francisco do Nascimento Brito, com a entrada de Dines, a reformulação do jornal foi afinal consolidada, pois ele sistematizou as modificações que levaram o JB a ocupar outra posição na imprensa brasileira.

Em 1963 Dines criou e ocupou a cadeira de jornalismo com­parado na Faculdade de Jornalismo da PUC. No período fundou, dirigiu e colaborou regularmente com os Cadernos de Jornalismo e Comunicação do JORNAL DO BRASIL. Em 1965, instituiu a cadeira de Teoria da Imprensa na PUC, onde lecionou até 1966.

“Tempo negro. Temperatura sufocante" e a capa de Allende


Histórica capa do JB, quando o governo baixou o AI5

Quando da promulgação do Ato Institucional Nº 5 (AI-5), em 13 de dezembro de 1968, coordenou a edição da célebre primeira página que se valeu de recursos como a previsão do tempo – “Tempo negro. Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. O país está sendo varrido por fortes ventos...” – e de um anúncio no alto da página: “Ontem foi o dia dos cegos”, como parte de uma estratégia para denunciar a censura imposta à redação a partir de então, em consequência da nova ordem política autoritária instalada.


A 'previsão do tempo'

Convidado para ser paraninfo de uma turma da PUC logo após a edi­ção do AI-5, fez um discurso criti­cando a censura e, em conse­quência, foi preso em dezembro de 1968 e em janeiro de 1969 e submetido a inquérito. Em 1971, recebeu o prêmio Maria Moors Cabot da Universidade de Columbia, nos Es­tados Unidos.

Foi demitido em 1973 do JB, depois de 12 anos como editor. No JB, criou o Departamento de Pesquisa, a Editoria de Fotografia, a Agência JB e os Cadernos de Jornalismo. Um dos episódios que marcaram sua passagem pelo jornal foi a cobertura da deposição por golpe militar do presidente chileno Salvador Allende, em 11 de setembro de 1973. Como a censura havia proibido a publicação de qualquer manchete sobre o assunto, Dines coordenou com o diagramador Ezio Esperanza a edição de uma primeira página sem manchete.


Capa do 'JB' sem manchete, na morte de Salvador Allende

Jornalista, professor, biógrafo e crítico

Em 1974 deixou, depois de 12 anos, a Fatos e Fotos, viajando para os Estados Unidos, onde foi professor visitante, durante um ano, na Universidade de Columbia. Retor­nou em julho de 1975 e assumiu a chefia da sucursal carioca da Folha de São Paulo, convidado por Cláudio Abramo, diretor de redação. Em 1980, Dines deixou a Folha de São Paulo, demitido por Boris Casoy, após escrever um artigo denunciando a repressão do governador Paulo Maluf à greve do ABC. Colaborou, durante todo esse ano, no semanário O Pasquim, onde reeditou a coluna Jornal dos jornais. Nesse período, escreveu a biografia do escritor Stefan Zweig. 

Em seguida assumiu o cargo de secretário editorial da editora Abril, em São Paulo. Como diretor-editorial-adjunto, participou da criação de revistas com a Exame de Portugal e instituiu os cursos de extensão e aperfeiçoamento.

Em Lisboa, entre 1988 e 1995, como diretor do grupo Abril em Portugal e consultor editorial da Sojornal ¾ que edita o maior semanário português, o Expresso, e o único vespertino do país, A Capital. Foi também diretor da empresa Jornalistas Associados, que prestava serviços de consultoria no Brasil e em Portugal. Em 1994 criou em Portugal o Observatório da Imprensa. Concluiu e editou a biografia de Antônio José da Silva, o Judeu, e o primeiro volume do livro Vínculos de Fogo.

Veja o vídeo produzido pelo Observatório da Imprensa em 2012, em homenagem aos 80 anos de Alberto Dines


De volta ao Brasil, em 1994 foi o responsável pela criação do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp. Passou também a escrever, entre agosto de 1994 e setembro de 1995, uma coluna de crítica ao jornalismo na revista Imprensa.

Em abril de 1996, lançou a versão eletrônica do Observatório da Imprensa, jornal de crítica e debate sobre o jornalismo contemporâneo, que passou a ter uma edição na TV Educativa do Rio de Janeiro em maio de 1998, e meses depois passou também a integrar ao vivo a programação da Rádio e Televisão Cultura de São Paulo.

Voltou ao JORNAL DO BRASIL em outubro de 1998, onde passou a manter coluna semanal de crítica jornalística. Foi ainda consultor da Grande Enciclopédia Larousse e colaborador de O Estado de São Paulo e do Observador Econômico, de São Paulo. Fez estágios em jornais estrangeiros, como o Daily News e o New York Times, em Nova Iorque; o Daily Mirror, em Londres; o Paris Match e o Paris Jour, na França. Recebeu o título de notório saber em História e Jornalismo da Universidade de São Paulo (USP).

Casou-se pela primeira vez com Ester Rosali Dines, sobrinha de Adolfo Bloch, com quem teve quatro filhos. E, pela segunda, com a jornalista Norma Couri.

Publicou Vinte histórias curtas (contos, em co-autoria, 1960), Os idos de março e a queda de abril (co-autoria e organização, 1964), O mundo depois de Kennedy (1965), Jornalismo sensacionalista (em co-autoria, 1969), Comunicação e jornalismo (1972),Posso? (contos, 1972), O papel do jornal (1974), E por que não eu? (sátira política, 1979), A imprensa em debate (em co-autoria, 1981), Morte no paraíso - A tragédia de Stefan Zweig (bio­grafia, 1981), O baú de Abravanel: uma crônica de sete séculos até Silvio Santos (biografia, 1990), Vínculos de fogo: Antônio José da Silva, o Judeu, e outras histórias da Inquisição em Portugal e no Brasil(biografia, 1992, volume 1), 20 textos que fizeram história (1992), As transformações da revolução global e o Brasil (1995), Diários completos do capitão Dreyfuss (organizador, 1995).

←  Anterior Proxima  → Inicio

Pacatuba Em Foco

Ouça-nos !

Agenda de Jogos da Semana

Campeonato Brasileiro A
Sábado, 17, 17h00
Fortaleza x Internacional - Castelão


Mais Acessadas

Total de Transeuntes

Votar ao Topo