Tecnologia do Blogger.

Featured Post

DIÁRIO DO BOLSO || Vai acabar em pizza, Diário, mas antes ainda vai voar muito macarrão

Pô, Diário, o almoço de família desse domingo teve mais briga que convenção de partido de esquerda Por José Roberto Torero Tudo c...

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Pesquisar este blog

Pacatuba Em Foco


Pacatuba Em Foco - A Melhor Calçada Virtual

Clubes pressionam e CBF pode mudar fórmula e aumentar cotas de TV da Série C

Por Panzza

Dezoito dos vinte clubes que integram a Série C de 2017 estiveram na sede da CBF nessa segunda-feira para propor mudanças no regulamento da competição e aumento das cotas de TV. Dirigentes de ASA-AL, Botafogo-SP, Bragantino-SP, Confiança-SE, CSA-AL, Cuiabá-MT, Fortaleza-CE, Joinville-SC, Macaé-RJ, Mogi Mirim-SP, Remo-PA, Salgueiro-PE, Sampaio Corrêa-MA, São Bento-SP, Tombense-MG, Tupi-MG, Volta Redonda-RJ e Ypiranga-RS reuniram-se com o presidente Marco Pelo Del Nero, com o vice Reinaldo Carneio e com o secretário geral da entidade, Walter Feldman – só Moto Club-MA e Botafogo-PB não enviaram representantes para o encontro.

Quanto ao regulamento, os clubes da Terceirona querem uma segunda fase de grupos com dois quadrangulares onde os dois melhores garantiriam o acesso após jogos de ida e volta. No formato que vigorou até o ano passado, os quatro melhores classificados dos dois grupos se enfrentaram em cruzamento olímpico para decidir as vagas na Série B do ano seguinte. A proposta atual preserva as duas chaves de 10 times regionalizadas, mudando apenas a sistemática da definição do acesso. Em vez de mata-mata, teríamos dois quadrangulares para apontar os dois melhores de cada que subiriam à Segunda Divisão.

Quanto às cotas de TV, o que se sabe é que os clubes querem um incremento de receitas e um tratamento melhor por parte da CBF quanto ao tema. Entendem as agremiações que o aumento da receita televisiva melhoraria a qualidade dos jogos e geraria maior interesse pela competição.

As equipes da Série C saíram da reunião confiantes e mudanças podem ser anunciadas a qualquer momento.

Vale lembrar que a CBF, quando criou a Série C com vinte clubes em 2009, pretendia promover um campeonato com jogos de ida e volta e com 38 rodadas, como são as séries A e B.

O bandido bom e as selfies com Eike Batista

Por Daniel Kessler de Oliveira

Recebo do amigo e brilhante professor Cássio Benvenutti uma reportagem que mostra brasileiros tirando selfies com Eike Batista no aeroporto de Nova York.

Bom, creio que todos sabem, pelo tanto que fora divulgado que o empresário brasileiro teve sua prisão preventiva decretada e embarca para o Brasil com rumo certo para um estabelecimento prisional.

Mas e por que razão brasileiros tietam um indivíduo com uma prisão preventiva decretada e que está se entregando para a polícia?

A mesma reportagem destaca provocações, xingamentos por parte de outras pessoas, mas revela, também, muitos que elogiavam o empreendedorismo do milionário brasileiro.

Pois bem, não adentrarei aqui na seara das acusações que pesam sobre ele, tampouco da decisão que decretou a sua preventiva, por não ser este o foco que pretendo trabalhar.

O que quero refletir, para tentar alcançar alguma possibilidade de compreensão, é o porquê da existência de um filtro de seletividade na definição do bandido para grande parcela de nossa sociedade.

Por que uma sociedade repleta de cidadãos de bem, que enchem a boca e estufam o peito para bradar frases como: bandido bom é bandido morto ou a clássica: direitos humanos para humanos direitos, chegando a mais nova e vergonhosa: menos corrupção e mais chacina não sente a mesma ojeriza quando se trata de um bandido do naipe de Eike Batista?

Simples. Vivemos em uma sociedade doente, por diversos fatores, mas uma sociedade extremamente dependente e escrava do capital, onde o dinheiro tudo compra, inclusive o respeito.

O mesmo cidadão capaz de enaltecer as virtudes de Eike Batista e cumprimentá-lo pelos seus feitos é capaz de vibrar com o linchamento público de um jovem que tenha sido pego furtando algum objeto ou com os números de mortos nas chacinas em prisões.

Não se trata de defender nenhuma das condutas, as pessoas que cometeram crimes devem sofrer o devido processo e receber a justa punição, independente de quem sejam.

Mas é comum vermos como o ódio ao bandido na maioria das vezes se projeta como mais uma das faces do ódio aos pobres, aos menos favorecidos.

Os ditos cidadãos de bem não se projetam no jovem da favela, mas deliram na possibilidade de se projetar em um indivíduo como Eike Batista.

Um indivíduo como Eike é o que eles querem ser, é o que sonham em representar, pelo que ele fez? Não, mas pelo que ele tem (ou teve).

Uma sociedade em que trata bem as pessoas pelo que elas têm, sendo irrelevante se o caminho percorrido fora lícito ou ilícito.

Quantas vezes ao questionarmos o ganho de alguém, não somos taxados de invejosos ou ao duvidar do ganho lícito de alguma pessoa não somos surpreendidos com frases do tipo: Mas ele tá rico e tu?

Isto são faces de mais uma dentre tantas doenças sociais que as redes sociais não criam, mas escancaram, os fins justificam os meios e tudo é válido nesta corrida insana em busca do dinheiro e do poder.

Obviamente que aqui não tem nenhum discurso hipócrita de ódio ao dinheiro, todos queremos conquistas em nossas profissões e não é feio almejar uma boa ou ótima condição financeira, mas como nos ensinou Frejat: é preciso dizer, ao menos uma vez, quem é mesmo o dono de quem.

Ou seja, nesta sociedade submissa ao dinheiro, o bandido pobre merece a morte, o ódio, a prisão apodrecida, enquanto o bandido rico, no fundo recebe minha inveja, minha ira por não ter sido eu a viver aqueles momentos e obter aqueles ganhos.

Um vizinho traficante, corrupto, sonegador, que me convidar para passear no seu iate e me proporcionar alguns momentos de pura felicidade ganhará o meu respeito e tudo o que ele tenha feito de errado será secundário e aqueles que tentarem me alertar, serão recalcados que não tiveram os méritos deles.

E, infelizmente, assim segue a vida em terrae brasilis, com argumentos e jargões carregados de doses cavalares de hipocrisia e contradição entre eles próprios.

Esta reflexão não tenta bradar a pena de morte ao Eike Batista, como não a defende em nenhuma outra hipótese, também não acho que ele deve ser recolhido ao presídio nas condições dos nossos estabelecimentos e sofrer com uma chacina, apenas não entendo o seu trato como herói, justamente pelas pessoas que tanto querem matar os bandidos.

Esta reflexão serve mais uma vez para que não nos deixemos cair na sedução do discurso pronto e falacioso do cidadão de bem.

Primeiro, quem define quem é o cidadão de bem? O bandido bom é o bandido morto, mas quantos cidadãos de bem também não são bandidos. Ah, mas o meu crime é diferente, dirão eles. Sim, sempre é diferente, sempre há uma justificativa.

O problema, que precisamos enxergar, é que tudo não passa de uma forma de punir e de esconder através de uma política encarceiradora: o pobre.

Uma leitura atenta do Código Penal e das leis dos crimes tributários nos permite ver qual o bem jurídico que recebe maior tutela, porque um furto recebe um tratamento mais severo do que uma enorme sonegação, dentre tantas outras passagens que evidenciam isto.

O Direito Penal foi feito para punir o pobre e esta grande parcela da sociedade ou não enxerga isso ou, pior, enxerga e concorda, mas por falta de coragem de defender em voz alta, finge que não vê.

E, assim seguimos, bradando o horror à criminalidade e tirando selfies com acusados de crimes, enaltecendo a seletividade social de nosso ódio.
 

Veterano goleiro já brigou com torcedores que tentaram humilhá-lo por causa do peso. Agora, enfrentará o Arsenal

O Sutton United, da quinta divisão do futebol inglês, terá o grande jogo de sua história em fevereiro - e a reação dos torcedores deixa isso bem claro: vai enfrentar o Arsenal, em casa, pela Copa da Inglaterra. E um personagem logo veio à tona após o sorteio realizado na última segunda-feira.

O goleiro Wayne Shaw está em sua terceira passagem pelos The U's, disputou 31 partidas e não passa de reserva na equipe do técnico Paul Doswell.

O carismático jogador, porém, é uma lenda no clube.

Afinal, ele está longe de ser um simples "reserva": Wayne Shaw tem 45 anos, está em sua terceira passagem no clube, e sua forma física avantajada chama a atenção, o que já lhe rendeu uma briga e a demissão do Sutton.

O goleiro ganhou notoriedade ainda no duelo contra o AFC Wimbledon, em fases preliminares da Copa da Inglaterra, quando se aquecia durante o intervalo.

No site do Sutton United, conhece-se um pouco mais da história recente de Shaw, o camisa 29: "Goleiro experiente que se juntou ao clube como treinador de goleiros há seis temporadas (...). Anteriormente no Eastleigh, ele retornou brevemente ao clube de Hampshire em 2012, mas voltou a Sutton alguns meses mais tarde e, em seguida, juntou-se ao Gosport no meio da temporada 2013-14 antes de voltar para uma terceira passagem em janeiro de 2015. Ele também inclui Basingstoke e Totton entre seus antigos clubes".

Essa ida ao Gosport, na verdade, não foi tão tranquila assim: ele foi demitido do Sutton após brigar com torcedores do Kingstonian FC que o provocavam por sua forma física com palavras de baixo calão. O então preparador de goleiros e reserva da posição saltou até a arquibancada para tirar satisfação.

Em um fórum do Sutton à época, Wayne Shaw admitiu que o clube iria demiti-lo, mas relatou: "Para constar, chamar alguém de gordo de m... (...) não é aceitável hoje em nossa sociedade, por favor me corrijam se eu estiver errado: em qualquer caminho da vida, se disser isso para alguém, você tem que temer uma reação, e foi isso o que aconteceu. O estopim foi realmente aceso".

"Me envolver com aqueles torcedores foi um erro gigantesco de minha parte. Eu fui provocado pela linguagem, que foi desnecessária, mas eu não deveria ter reagido. Eu aprendi minha lição e isso nunca acontecerá novamente. Por sorte eu tenho uma segunda chance", admitiu Shaw ao retornar ao clube em 2015.

Desta vez, ele não seria preparador de goleiros, mas apenas reserva do titular.

E Wayne Shaw, com certeza, será uma atração na Copa da Inglaterra.

http://espn.uol.com.br/noticia/666970_veterano-goleiro-ja-brigou-com-torcedores-que-tentaram-humilha-lo-por-causa-do-peso-agora-enfrentara-o-arsenal?utm_content=bufferd4d12&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer






João Doria apaga elogios a Eike Batista no Twitter e quer censurar entrevista

 
Depois de apagar os grafites, João Doria agora apaga as mensagens elogiosas a Eike Batista em seu Twitter, mas internautas recuperam posts. Prefeito de SP tenta ainda tirar do ar entrevista que fez com o ex-bilionário

O prefeito de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB), resolveu passar uma borracha na relação de camaradagem e até de subserviência que sempre manteve com Eike Batista.

Desde que foi decretada a prisão do ex-bilionário, Doria apagou do seu Twitter pessoal todas as mensagens elogiosas a Eike (foto acima). Internautas, no entanto, já haviam salvo imagens de alguns posts e contribuíram para que a história permanecesse com registros.

“Se privatizar e Eike administrar, vai melhorar”, diz uma das publicações de Doria que foi deletada.

Além disso, a assessoria de Doria tenta tirar do ar uma entrevista que o político fez com Eike. Pragmatismo Político conseguiu resgatar a íntegra do material, que data de 2011 (assista abaixo).

Na época, o atual prefeito da capital paulista comandava o programa Show Business na TV aberta.

Na primeira parte da conversa, Doria se desmancha em elogios para Eike, e para o então governador do Rio Sérgio Cabral, que, segundo o prefeito, seria seu “amigo desde de menino”. Não se viu, porém, nenhuma manifestação de solidariedade de Doria quando Cabral foi preso.

Num momento de entusiasmo, Doria diz: “O Rio é do Brasil e o Eike também é do Brasil!”.

Em outro trecho emblemático do ‘bate-bola’, Eike Batista afirma que “o dinheiro não compra ética”.

Confira a íntegra:


Ministro do TCU que condenou Dilma é acusado de receber 1 milhão em propina

Augusto Nardes (foto), o ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) responsável por condenar as contas de Dilma Rousseff e escancarar as portas para o processo de impeachment, foi acusado pelo ex-diretor da Petrobras Renato Duque, em delação premiada, de ter recebido R$ 1 milhão entre 2011 e 2012 para não criar empecilhos em procedimentos contratuais de uma plataforma.

Em anexo que integra a proposta de acordo, Duque relata, segundo a Folha apurou com pessoas ligadas à investigação, que se reuniu com Nardes em um jantar na casa do ministro para acertar o pagamento. No encontro, chegaram ao montante de R$ 1 milhão, que corresponderia a um percentual do contrato.

Os valores, segundo o ex-diretor da Petrobras, foram repassados por Pedro Barusco, na época gerente de Serviços da estatal e braço direito de Duque.

Em 2005, quando Nardes foi nomeado para o TCU, foi destruído um recibo que comprovava o pagamento da propina para não “prejudicar sua nomeação”, segundo Corrêa.

Esta é pelo menos a terceira vez que Duque tenta fazer um acordo de delação.

http://www.revistaforum.com.br/2017/01/30/ministro-do-tcu-que-condenou-dilma-e-acusado-de-receber-1-milhao-em-propina/

Raduan Nassar: o melhor escritor brasileiro segundo The New Yorker

Obra de Nassar é traduzida e será publicada nos Estados Unidos. 


O escritor que trocou a literatura pela agricultura foi pauta da revista The New Yorker deste mês. A respeitada publicação americana montou um perfil sobre o escritor Raduan Nassar, questionando por que o “melhor escritor brasileiro” parou de escrever.
No texto, Alejandro Chacoff que é jornalista da revista “Piauí”, relembra a trajetória de Raduan e a entrevista com o autor dos romances Lavoura arcaica e Um copo de cólera, que foram traduzidos para o inglês recentemente e serão lançados nos Estados Unidos pela primeira vez.

Raduan nasceu no dia 27 de novembro de 1935, em Pindorama, no interior de São Paulo. A origem da paixão pela agricultura tem origem familiar. Segundo Rafael Cariello, em reportagem para a Revista Piauí, o pai do escritor, João Nassar, um cristão ortodoxo, trabalhou como lavrador no Líbano sob domínio do Império Otomano, antes de migrar para o Brasil com a mulher, em 1920. Chafika Nassar era, segundo o filho, uma criadora de mão cheia de galinhas e perus, e foi dela que veio seu gosto pela criação de animais.

Depois de 30 anos à frente de sua fazenda, em 2011, Nassar também se aposentou desse ofício. Ele doou o terreno de quase 640 hectares à Universidade Federal de São Carlos, com a condição de que elas servissem a um novo campus que facilitasse o acesso de estudantes de comunidades rurais. Hoje, ele vive em seu apartamento em um bairro boêmio na zona Oeste de São Paulo e mantém uma pequena propriedade ao lado de sua antiga fazenda com o curioso nome de Retiro Feliz. Relembre suas obras!

Lavoura arcaica, de Raduan Nassar

A história de um jovem do meio rural que resolve abandonar sua numerosa família do interior para ir morar em uma pequena cidade, fugindo, da vida da lavoura, da rigidez moral de seu pai e de sua paixão incestuosa pela irmã Ana.



Autor de Lavoura Arcaica é vencedor do Prêmio Camões

Um copo de cólera, de Raduan Nassar

O protagonista narra o que acontece numa manhã qualquer, depois de uma noite de amor, quando a aparente harmonia entre ele e sua parceira se rompe de repente. O livro foi um dos 13 escolhidos para a longlist do prêmio Man Booker International 2016.


 
Menina a caminho, de Raduan Nassar

O livro contém quatro contos breves, sendo três do início da década de 70: “Hoje de madrugada”, “Ventre seco” e “Aí pelas três da tarde”. “Mãozinhas de seda”, o único texto inédito deste livro, é de 1996.
 
 

O “republicanismo” está vivo: governo do PT no Ceará anuncia na Veja e na Globo

Por Kiko Nogueira

O republicanismo petista é uma coisa linda de se ver.

O governo do Ceará pagou anúncios na Veja e na Globo para falar dos resultados no Enem.

A propaganda foi veiculada no Fantástico do último domingo, entre outros programas.

“Das 100 melhores escolas públicas de ensino fundamental do Brasil, 77 são do Ceará”, diz a peça.

O governador é Camilo Santana, do PT. Teve o apoio de Cid Gomes, do PROS, irmão de Ciro, a quem sucedeu.

Por ocasião da queda de Dilma, Camilo falou que “a história haverá de julgar este momento”.

“O que está em jogo não é apenas o mandato de uma presidenta, mas o direito sagrado conquistado pelos brasileiros de escolher seus representantes democraticamente pelo voto direto”, escreveu no Facebook.

Camilo é ligado ao senador Tasso Jereissati, do PSDB.

Em 10 de janeiro, ele afirmou que não descartava a possibilidade de deixar o partido. De acordo com Tasso, Camilo tem um “jeitão de tucano”.

Uma página indeterminada, na Veja, sai por 364 mil reais (tabela cheia, como costuma ser com os governos estaduais).

No Fantástico, o preço por 30 segundo de exibição é 550 200 reais.

Lava Jato: Cármen Lúcia, presidente do STF, homologa delações da Odebrecht

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, homologou as 77 delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato. Contudo, o sigilo dos depoimentos foi mantido.

O próximo passo será encaminhar o material para a Procuradoria-Geral da República.

Os documentos serão então analisados para dar prosseguimento às investigações.

No dia 23 de janeiro, Cármen Lúcia, autorizou que os juízes auxiliares do gabinete de Teori Zavascki prosseguissem com os trabalhos nas delações premiadas de executivos e ex-executivos da Odebrecht na Operação Lava Jato.

Teori, que morreu na queda de um avião no dia 19, era relator da Lava Jato. A morte havia provocado a suspensão temporária dos trabalhos, com o adiamento de uma série de depoimentos de delatores.

Cármen Lúcia passou as últimas semanas de janeiro em reuniões com os juízes auxiliares do ministro. Ela também se encontrou com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Há uma grande expectativa da sociedade e, principalmente, da classe política em relação às delações de executivos da Odebrecht pois, segundo informações vazadas anteriormente, cerca de 200 políticos são citados como envolvidos no megaesquema de corrupção da Petrobras.

Relatoria

O STF precisa ainda definir com quem ficará a relatoria da Lava Jato. O regimento prevê algumas opções, como sorteio entre os ministros que atuam hoje no Supremo. Cármen Lúcia pode ainda decidir quem será o relator, dada a excepcionalidade do caso, ou delegar à Turma a qual pertencia Teori Zavascki um sorteio para a escolha do novo relator. Teori integrava a Segunda Turma do STF, composta pelos ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli.

O presidente Michel Temer afirmou, durante o velório de Teori Zavascki, que vai aguardar que o Supremo indique um novo relator para os processos da Operação Lava Jato para só então escolher um nome para substituir o magistrado na Corte. "Só depois que houver a indicação do relator", disse Temer.

Cartas de Curitiba – IV Dirceu: a PF virou carcereira do MPF e capitão-do-mato do Judiciário.

Da prisão em que se encontra em Curitiba, o ex-ministro José Dirceu destrincha a entrevista concedida à revista Veja pelo delegado Maurício Moscardi Grillo e afirma que a autonomia da PF reivindicada por ele serve ao corporativismo, aos privilégios e regalias, à politização e partidarização da Federal: “é um escárnio”.

Cartas de Curitiba – IV

Em entrevista às Páginas Amarelas da revista Veja (edição 2513, de 18/01/17), o delegado Mauricio Moscardi Grillo fez, na prática, uma grave denúncia sobre a Lava Jato. Sob a capa de uma entrevista para falar de Lula e de sua ilegal, abusiva condução coercitiva – que ele desconhece – deita falação sobre o erro do local de condução de Lula, passa por cima do abuso de autoridade e ainda lamenta que “perdemos o timming” para, anotem, a prisão preventiva de Lula.

Nas entrelinhas, o culpado: o ministro Teori Zavascki, que avocou para o STF tudo… referente a ele (Lula). Nem uma palavra sobre outro abuso de autoridade, gravíssimo, sobre a divulgação de um telefonema da Presidente da República com Lula (ex-presidente), da quebra de sigilo pelo juiz Moro, restaurado em boa hora pelo ministro relator. Que, ao contrário do delegado, advertiu o juiz Moro. Em qualquer país ele seria afastado do processo.

O verdadeiro objetivo do delegado não era Lula e nem mesmo a Lava Jato. Era o MPF – que excluiu a PF da delação da Odebrecht -, e, mais do que isso a PGR, que proibiu a PF de participar, como ele mesmo admite! O motivo? Riscos de vazamentos. O anexo vazou, lembra o delegado, causando “enormes prejuízos às investigações, ficamos desapontados.”

Podemos concluir que o vazamento então é de responsabilidade do MPF. Mais especificamente da PGR. O delegado não afirma, nos dá um caminho, diz “…e se alguém proibisse o MP de participar de uma colaboração feita pela Polícia…”. O grave vem em seguida: respondendo a pergunta da revista, sobre se ele vê ”problema nas delações feitas só com o MP”, o delegado não vacila e desqualifica totalmente o MPF. Diz que “preocupa muito a metodologia empregada em algumas colaborações, temos que evitar colaborações que pareçam ter caráter político”, e pergunta: “…se todos os criminosos fizerem colaboração [delação] quem ficará preso…?”

Perguntado se “há colaborações de caráter meramente político”, o delegado não vacila e dá nome aos bois: “As delações do ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado, do ex-senador Delcídio Amaral e do Nestor Cerveró me parecem exemplos de delações sem embasamentos jurídicos sustentáveis.” Para depois afirmar que [tais delações], encaminhadas à PF eram imprestáveis, não havendo nelas elementos indicadores de prática de crime e mais: muito do que consta nessas três delações não passa de disse-me-disse. O delegado prossegue: “há uma personificação de parte de alguns procuradores como heróis na força tarefa” e que é “um erro (…) nomeá-los representantes da operação.”

Moscardi Grillo toma fôlego, faz autocrítica por ter processado um blog que o acusava de ter privilégios na PF, mas logo volta à carga: defende a autonomia da PF, critica a hipótese de mudança do Diretor Geral da PF (“isso atingiria em cheio a coordenação da operação…”); autonomia que ele prioriza como “total” (”…não há como um ministro da Justiça interferir numa investigação policial”). Salvo, digo eu, nos casos do Alexandre Moraes anunciar antecipadamente as operações, como ficou provado na prisão do Palocci.

Os brios do delegado ao defender a autonomia da PF são puro corporativismo e escondem verdades: a PF perdeu sua função constitucional de Polícia Judiciária da União quando o STF autorizou o MPF a investigar; converteu-se em polícia do MPF sem autonomia, sem protestar com ênfase junto à atual cúpula da PF, abandonou a corporação na luta por sua mais importante conquista na Constituinte: ser a Polícia Judiciária da União e o MP o fiscal da lei, a acusação, no máximo com poder de controle externo da Polícia e portanto do MP.

A partir da decisão do STF, o MPF investiga, acusa, denuncia… Só falta julgar – o que hoje, com o apoio da mídia, já acontece, dado o temor de inúmeros juízes de decidir contra pedido do MPF.

O delegado falou que não há interferência nas operações mesmo se elas são de conhecimento prévio da mídia – as organizações Globo à frente –, se há vazamentos seletivos, se o sigilo é violado, se os investigados são pressionados a delatar. Um escárnio.

Não há interferência maior em um processo que a violação da presunção de inocência, do devido processo legal, do contraditório, do direito de responder em liberdade. Interferência para o delegado é o ministro Eugenio Aragão coibir e exigir o fim das ilegalidades da (e na) operação…

No final patético, o delegado nega a afirmação da própria revista de que “delegados (…) foram flagrados na rua em atos políticos da direita”, o que dá uma medida do tamanho da farsa de que ele participa e coordena pela PF.

Melhor para o delegado Grillo seria que ele apoiasse a demanda dos agentes e demais funcionários – cargos e funções – da PF pela progressão na função. Hoje 10% dos membros da PF (os delegados) controlam a Polícia e ainda querem autonomia e o poder de indicar o Diretor Geral numa lista tríplice.

A pergunta sem resposta é: a quem serve a autonomia e independência da PF, a partir da experiência do MP? A resposta é fácil: serve ao corporativismo, aos privilégios e regalias, à politização e partidarização da PF como foi no MP.

São lágrimas de crocodilo, a única e legítima luta da PF é a reconquista de seu papel e lugar na Constituição e no Estado de Polícia Judiciária da União, função usurpada e sequestrada pelo MPF/PGR sob os auspícios da Suprema Corte.

Hoje por hoje a PF é a carcereira do MPF e capitão-do-mato do Judiciário. Eis a verdade que não cala.

Russo, um dos ícones da história da TV brasileira, morre aos 85 anos

Ex-assistente de palco da Rede Globo, Russo Antônio Pedro de Sousa, faleceu aos 85 anos neste sábado. A notícia foi confirmada pela família de Russo e publicada esta tarde pelo portal Uol. O ex-assistente é conhecido pelos 46 anos em que contribuiu como ajudante de palco na Rede Globo, com passagens nos programas de Chacrinha, Faustão, Luciano Hulk, Xuxa e Angélica.

No início do ano de 2015, após um AVC, Russo precisou passar cerca de seis dias internado na CTI do Hospital Pasteur, no Rio de Janeiro. Alguns meses depois, o ex-assistente voltou a ser hospitalizado pelo mesmo problema. 
 

O vídeo que Aécio Neves tenta censurar

Jornalista descreve 3 overdoses de Aécio Neves dentro do Palácio da Liberdade e revela como o tráfico de Nióbio abastece as contas do senador tucano. Apesar das provas documentais e do depoimento em uma Comissão da Câmara, mídia não repercute o caso

Um vídeo com o depoimento do jornalista Marco Aurélio Carone sobre graves acusações contra Aécio Neves circula na internet há 2 meses, mas os temas abordados no registro não foram explorados pelos grandes veículos de comunicação do Brasil.

Em sua fala, Marco Aurélio Carone revela à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados quais eram as denúncias que ele pretendia fazer contra o senador mineiro, mas foi censurado.

As denúncias tratam de financiamento ilegal de campanha, esquema na mineração e exportação de Nióbio, uso político da estatal Cemig, overdoses de droga em pleno Palácio da Liberdade e corrupção de Andrea Neves, irmã de Aécio.

Carone discorre ainda sobre a influência de Aécio no Ministério Público e no Judiciário de Minas Gerais e conta como foi preso para não estragar a campanha do senador, que, na época, disputava a Presidência da República contra Dilma Rousseff.

Advogados do senador já tentaram, sem sucesso, impedir a disseminação do vídeo junto ao Youtube e outros canais de reprodução de imagens.

As negativas para tirar o vídeo do ar partem do princípio de que o depoimento foi dado em uma audiência pública de uma Comissão da Câmara.

VÍDEO:


ÍNTEGRA:


Abaixo, confira trecho de notícia publicada no Viomundo no dia do depoimento de Carone na Câmara dos Deputados:

O jornalista Marco Aurélio Carone ficou preso 9 meses e 20 dias em 2014, em Minas Gerais.

Ele é filho de um ex-prefeito de Belo Horizonte que foi aliado de Tancredo Neves.

No Diário de Minas e no Novojornal, este na internet, passou a fazer denúncias contra o grupo político do hoje senador e presidente do PSDB, Aécio Neves.

O jornalista se diz vítima de policiais, procuradores, juízes e desembargadores de Minas, que estariam a serviço de Aécio.

Carone foi solto 5 dias depois da eleição presidencial em que Aécio foi derrotado por Dilma Rousseff.

Foi absolvido no processo que o levou à prisão.

Mas, enquanto esteve na cadeia, não pode fazer as denúncias que pretendia fazer contra o tucano.

Hoje, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, Carone contou quais eram: financiamento de campanha via caixa dois, envolvimento de Andrea Neves, esquema na mineração e exportação de nióbio e uso político da estatal Cemig, a Companhia Energética de Minas Gerais, dentre outros.

Também depôs Geraldo Elísio, o jornalista que trabalhava com Carone e sofreu busca e apreensão da polícia civil de Minas Gerais — segundo ele, o objetivo era descobrir as fontes das denúncias.

Num dos trechos de seu depoimento, Elísio disse que o helicóptero apreendido com 450 kg de pasta base em Minas fez pelo menos três pousos em Divinópolis, no interior do Estado, sugerindo assim que o aparelho — de propriedade da Limeira Agropecuária, do senador Zezé Perrella, aliado de Aécio Neves — fazia o vôo regularmente.

Dino faz com a Globo o que a Dilma não fez !

 
Globo do Maranhão definha !

A TV Mirante Imperatriz, afiliada da Globo na cidade de Imperatriz, a segunda maior do Maranhão - perde apenas para a capital São Luís - está em greve desde a última terça-feira (24) por tempo indeterminado.

Segundo o Sindicato dos Jornalistas e Radialistas de Imperatriz, em comunicado, toda a programação local que era gerada da cidade está suspensa, e somente o sinal que vem de São Luís é exibido. No primeiro dia, 50% dos 96 funcionários da TV cruzaram os braços.

Desde esta quinta (26), apenas 30% do efetivo da emissora, o suficiente para se manter o ar, está trabalhando. O movimento grevista reclama que o congelamento dos salários em 2015, o reajuste abaixo da inflação em 2016 e o corte do vale-alimentação na semana passada foram os motivos para a situação extrema.

(...) Desde 2015, o estado é governado por Flávio Dino, o primeiro não ligado aos Sarney depois de 31 anos. Com isso, ele deixou de investir com recursos de publicidade em demasia na TV Mirante, como era feito. Estes recursos, no entanto, então fazendo falta, e impedem a Mirante de fechar no azul.

(...) Afiliadas da Globo entrarem em greve é bastante raro. A última também foi no Nordeste. Em 2011, funcionários da TV Sergipe, afiliada da emissora carioca no estado, pararam as atividades em protesto contra o então diretor-presidente da emissora, Paulo Siqueira, por conta de demissões e acusações de assédio moral.

Prazo final de inscrição no Sisu é prorrogado para domingo

Por Lucas Pordeus León

Por causa das reclamações de estudantes que não conseguiam acessar a página do Sisu na internet, o Ministério da Educação, MEC, decidiu prorrogar o prazo de inscrições em 48 horas, até as 11 horas e 59 minutos da noite de domingo. O primeiro prazo se encerraria nesta sexta-feira.

Mas, segundo o MEC, o resultado do Sisu, Sistema de Seleção Unificada, continua marcado para próxima segunda-feira, dia 30 de janeiro.

Desde que as inscrições para o Sisu começaram na terça-feira, muitos candidatos às vagas em universidades públicas não conseguem acessar o site do programa. O estudante Marcos Teisant tenta uma vaga no curso de Economia na Universidade Federal de Pernambuco. Ele explicou que estava desde terça-feira sem conseguir se inscrever.

O MEC informou que os problemas que impediam o acesso ao sistema foram resolvidos e os casos que ainda ocorrem são pontuais e o estudante deve entrar em contato com o ministério pelo 0800 61 61 61 ou pelo e-mailouvidoria@mec.gov.br.

O Sisu é o programa do governo federal que oferece vagas nas universidades públicas por meio da nota do Enem. Neste ano, são oferecidas mais de 238 mil vagas em 131 instituições de ensino superior.

Turistas filmam refugiado se afogando em Veneza

Pateh Sabally, de 22 anos, nascido na Gâmbia, está refugiado na Itália há dois anos.

Sabally quase se afogou no Canal Grande, de Veneza. Turistas viram a cena e fizeram o que turistas fazem.

Filmaram com seus celulares enquanto gritavam para ele.

“Deixe ele morrer!”

“Vá em frente, volte para casa!”

Ele foi resgatado por boias lançadas por salva-vidas.
 
 

Chico Buarque vence prêmio literário na França

Cantor e compositor foi premiado na categoria literatura latino-americana
 

Chico Buarque vai receber o prêmio de literatura Roger Caillois na próxima segunda-feira, 30, em Paris, na França, pelo conjunto de sua obra. O cantor e compositor foi escolhido na categoria literatura latino-americana.

Seus livros são publicados na França pela editora Gallimard e o último, O Irmão Alemão, foi lançado em 2016. Informado apenas hoje da data da premiação, Chico Buarque infelizmente não poderá comparecer.

O Prêmio Roger Caillois foi criado em 1991 pelo PEN Club da França em parceria com a Casa da América Latina e a Sociedade dos escritores e amigos de Roger Caillois (1913-1978), sociólogo e crítico literário francês. Já ganharam na mesma categoria autores como Mario Vargas Llosa (2002), Alberto Manguel (2004), Ricardo Piglia (2008) e Roberto Bolaño (2009). Haroldo de Campos (1999) era o único brasileiro na lista até então.

http://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,chico-buarque-vence-premio-literario-na-franca,70001642934

Eike é alvo de mandado de prisão em operação ligada à Lava Jato

A Polícia Federal está na casa do empresário Eike Batista, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, para cumprir mandado de prisão preventiva (sem data para terminar) contra ele no âmbito da Operação Eficiência, segunda fase da Calicute, braço da Lava Jato. Os policiais chegaram à casa do empresário por volta das 6h da manhã desta quinta-feira (26). O empresário, no entanto, não está no Brasil, segundo apurou o UOL.

A reportagem ligou para o celular do advogado de Eike, mas não conseguiu o contato. Neste momento, o empresário é considerado foragido pela Justiça.

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, expediu nove mandados de prisão preventiva, quatro de condução coercitiva (quando as pessoas são obrigadas a acompanharem os policiais para prestarem depoimento) e 22 de busca e apreensão, todos no Rio de Janeiro.

Entre os alvos de mandado de prisão estão o ex-governador fluminense, Sérgio Cabral, seu ex-assessor, Carlos Miranda, e o ex-secretário de governo Wilson Carlos. Os três estão presos desde a Operação Calicute, realizada em 6 de dezembro.

Nesta quinta foi preso o advogado Flávio Godinho, ex-braço direito de Eike e vice-presidente do Flamengo. Assim como o empresário, Godinho também é "investigado por corrupção ativa com o uso de contrato fictício", segundo o MPF (Ministério Público Federal). O advogado já tinha sido alvo de condução coercitiva na 34ª fase da Operação Lava Jato, em setembro de 2016

Eike, Godinho e Cabral também são suspeitos de terem cometido atos de obstrução da investigação porque, em uma busca e apreensão em endereço vinculado ao empresário em 2015 foram apreendidos extratos que comprovavam a transferência dos valores ilícitos de uma conta no Panamá para a empresa Arcadia Associados. O trio teria orientado os donos da Arcadia a manterem perante as autoridades a versão de que o contrato de intermediação seria verdadeiro, informa o MPF, que diz que a Arcadia recebeu os valores ilícitos numa conta no Uruguai em nome de terceiros, mas à disposição de Sérgio Cabral.

"De maneira sofisticada e reiterada, Eike Batista utiliza a simulação de negócios jurídicos para o pagamento e posterior ocultação de valores ilícitos, o que comprova a necessidade da sua prisão para a garantia da ordem pública", dizem, em nota, os procuradores da Calicute.

De acordo com a Procuradoria, "quatro membros da organização" também são alvos de mandado de prisão: Álvaro Novis, Sérgio de Castro Oliveira, Thiago Aragão e Francisco Assis Neto.

"Lavagem consistente"

A PF diz que "investiga crimes de lavagem de dinheiro consistente na ocultação no exterior de aproximadamente US$ 100 milhões" (cerca de R$ 320 milhões na cotação de hoje). "Boa parte dos valores já foi repatriada", informa a PF em nota. Também são investigados os crimes de corrupção ativa e corrupção passiva, além de organização criminosa. 

"A investigação, concentrada nos crimes de corrupção (ativa e passiva), lavagem e evasão dos recursos, tem avançado com base em quebras de sigilo (bancário, fiscal, telefônico e telemático) e em acordos de colaboração premiada", informa o MPF. Segundo os procuradores, a organização criminosa liderada por Cabral movimentou, em dez meses (agosto de
2014 a junho de 2015), R$ 39,7 milhões, cerca de R$ 4 milhões por mês.

Eike é acusado de pagar propina para o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ), que foi preso na mesma operação, para conseguir vantagens para seus negócios no Rio. Contra ele também estaria sendo cumprido mandado de busca e apreensão.

"A remessa de valores para o exterior foi contínua entre 2002 e 2007, quando Cabral acumulou US$ 6 milhões. Mas esse alto valor em nada se compararia às surreais quantias amealhadas durante a gestão do governo do Estado do Rio de Janeiro, quando ele acumulou mais de US$ 100 milhões em propinas, distribuídas em diversas contas em paraísos fiscais no exterior", diz o MPF em nota.

Entre os alvos de mandados de condução coercitiva estão a ex-mulher de Cabral, Suzana Neves Cabral, e um irmão dele, Maurício de Oliveira Cabral. Eles seriam beneficiários de recursos ilícitos. "Suas contas e de suas empresas receberam altas quantias ocultadas pela organização", dizem os procuradores.

Para o MPF, há elementos suficientes para pedir as prisões temporárias, que tem duração de até cinco dias, de Susana e do irmão de Cabral, "mas foi pedida uma medida menos gravosa para que deponham, conforme for ordenado pela Justiça".

O UOL ainda não conseguiu contato com a defesa dos alvos na operação de hoje.

Cabral é acusado de liderar grupo

Em novembro do ano passado, Cabral foi preso durante a Operação Calicute, que antecedeu a ação de hoje. O ex-governador foi detido em seu aparamento, no Leblon, na zona sul carioca, e hoje se encontra em uma cela do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste. Contra ele havia dois mandados de prisão, dos quais um expedido pelo juiz Sérgio Moro.

As investigações mostraram, de acordo com a Justiça, que Cabral liderou um grupo de operadores e beneficiários de esquema de propina junto a empreiteiras que tinham contratos com o governo do Estado.

Eram empresas responsáveis por tocar grandes obras, como a reforma do Maracanã, a construção do Arco Metropolitano e projetos de urbanização em favelas da cidade.

O prejuízo estimado para os cofres públicos é de R$ 224 milhões, segundo denúncia do MPF (Ministério Público Federal). A defesa de Cabral diz que ele nega todas as acusações.

Morre aos 95 anos Leda Nascimento Brito, primeira-dama do 'Jornal do Brasil'

Morreu nesta quarta-feira (25), em Petrópolis, aos 95 anos, Leda Nascimento Brito, ex-proprietária do Jornal do Brasil. Dona Leda, como era conhecida, foi casada com o ex-diretor executivo do Jornal do Brasil Manoel Francisco Nascimento Brito que, por 52 anos, ficou à frente do jornal, afastando-se em 2000. O casal teve cinco filhos.

Dona Leda era filha do conde Ernesto Pereira Carneiro e Maurina Dunshee de Abranches Pereira Carneiro, a Condessa Pereira Carneiro. O conde levou Nascimento Brito para o jornalismo em 1949, quando o convidou para dirigir a rádio Jornal do Brasil. 

Durante os 52 anos à frente do jornal, Nascimento Brito teve em Dona Leda a força e o companheirismo para enfrentar os momentos mais difíceis. Durante o regime militar, assumiu junto com seu marido a posição firme na luta contra a censura, e ajudou a superar todos os obstáculos impostos ao jornal pela ditadura, que deixaram marcas e trouxeram severos prejuízos à empresa. Dona Leda era a primeira-dama do Jornal do Brasil na defesa do país e da liberdade de imprensa. 

Foi também nesta época que o JB, com ousadas reformas gráficas e apostas editoriais, ganhou ainda mais credibilidade e conquistou o público mais intelectualizado. Uma das marcas foi a criação do Caderno B, o primeiro caderno de cultura da imprensa brasileira.

Ano letivo ameaçado nas escolas públicas de todo o país

Os educadores lutam pelo cumprimento do reajuste (7,64%) no piso nacional do magistério e pelos investimentos necessários e previstos no Plano Nacional de Educação (PNE), que contemplam todos os profissionais da área. A luta é também pelo fim do golpe de Estado que levou Michel Temer ao poder

O ano letivo de 2017 está ameaçado nas escolas públicas de todo o país. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação CNTE e todos os seus sindicatos afiliados no Brasil estão divulgando que a partir de 15 de março toda a educação vai parar por tempo indeterminado, ou seja, movimento pode se estender por meses. Deliberação foi tomada no 33º Congresso Nacional da entidade, realizado na primeira quinzena deste mês de janeiro.

Os educadores lutam pelo cumprimento do reajuste (7,64%) no piso nacional do magistério e pelos investimentos necessários e previstos no Plano Nacional de Educação (PNE), que contemplam todos os profissionais da área. Reivindicações locais de estados e municípios também estão na pauta. Além disso, os trabalhadores do magistério vão exigir ainda o fim do golpe de Estado que levou Michel Temer de forma ilegítima ao poder.

O ministro Mendonça Filho já se antecipou e divulgou o reajuste do piso do magistério. No entanto, maioria dos gestores em todo o país alegam que não podem pagar. A situação se agrava ainda mais por conta dos efeitos da PEC 55, editada por Temer e com o apoio do próprio ministro. Medida congela investimentos em educação por vinte anos, o que dificulta a implantação das conquistas previstas no PNE e a melhoria de salários.

Até 15 de março, a CNTE e seus sindicatos esperam que o governo federal e os estados e municípios tenham bom senso e chamem a categoria para uma negociação. Caso isto não ocorra, milhões de alunos das redes públicas ficarão prejudicadas em todo o país.

Lançamento da Campanha Salarial 2017 dos Profissionais em Educação do Estado do Ceará


O Sindicato APEOC lançou na tarde do dia 25 de janeiro de 2017 (quarta-feira) a Campanha Salarial de 2017 dos Profissionais em Educação do Ceará. 

O presidente Anizio Melo estava acompanhado do representante na CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Juscelino Linhares, da coordenadora do Departamento de Funcionários da Educação do Sindicato APEOC, Gerhilde Pinto, e do tesoureiro da CUT-CE e professor, Helder Nogueira. 

Para conhecer o Plano de Lutas, acesse: https://goo.gl/KcTt05

Gerente da Arena Castelão visita APCDEC

Por Gualber Calado

Atendendo a uma solicitação da APCDEC, o gerente operacional da Arena Castelão, Sr. Eduardo Santos esteve reunido com o presidente Alano Maia.

O encontro aconteceu na Sede da APCDEC, no intuito de melhorar as condições de trabalho da Imprensa Esportiva na Arena Castelão.

Eduardo foi muito solicito diante das reinvidicações da APCDEC, já que estava de posse de um ofício endereçado ao Governo do Estado, antes do início do campeonato cearense deste ano.

Alano Maia citou entre as melhorias solicitadas, as divisórias das cabines de rádio, a utilização do espaço central do setor de cabines pelas emissoras e NÃO pelos clubes e a privacidade dos profissionais no acesso ao estádio.

Ficou agendada uma visita do presidente e os cronistas que desejarem ir, no Castelão, para esta quinta- feira, dia 26, as 16 horas. Eduardo prontificou-se de tentar solucionar tudo o que estiver ao seu alcance, bem como melhorar as condições de lanches e água para Imprensa.



Unilab oferta 427 vagas de graduação no SiSU 2017.1


A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) da Unilab lançou, na última sexta-feira (20), o edital Sisu/Unilab 2017.1, em que oferta 427 vagas nos cursos de graduação, modalidade presencial, para ingresso no período letivo 2016.2 (em abril/2017).

As vagas são para o Campus da Liberdade, em Redenção/CE, para a Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape/CE, e para o Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA.

As inscrições acontecerão via SISU/MEC no período de 24 de janeiro de 2017 até as 23 horas e 59 minutos do dia 27 de janeiro de 2017, observado o horário oficial de Brasília/DF.

Como referência do processo seletivo nessa universidade em anos anteriores, veja o Histórico de Notas de Corte do Sisu/Unilab por curso no período de 2013.1 a 2015.1.

Para o Ceará, são ofertadas 273 vagas, para os cursos de Administração Pública, Agronomia, Enfermagem, Engenharia de Energias, Humanidades (1º Ciclo), Letras-Língua Portuguesa (Licenciatura). Para a Bahia, há 154 vagas, nos cursos de Humanidades (1º Ciclo) e Letras-Língua Portuguesa (Licenciatura).

Os cursos do Instituto de Ciências Exatas e da Natureza, Ciências Biológicas, Física, Química e Matemática ofertam suas vagas apenas no primeiro ingresso de cada ano letivo.



Para muito além do Raspa Tacho ou Rateio! (PARTE I)

Há uma ideia em construção no país que promove a desqualificação da escola pública e das instituições que a representam. Esse movimento é orquestrado pelos extremos ideológicos da esquerda e da direita, com objetivos diferenciados, mas, que comungam da negação dos avanços das políticas públicas conquistadas pela luta social e a articulação com governos progressistas, sejam na esfera federal, estadual ou municipal.

Uma miopia consciente do lado direito e inconsciente do lado esquerdo. Ambos, porém, comprometidos com a privatização do Estado. O lado reacionário e o seu oposto sectário atacam qualquer mudança estrutural na sociedade brasileira que possa levar à quebra do status quo, onde a senzala é condenada à servidão perene e a casa grande cada vez mais concentradora de riqueza.

Na última década, a Educação pública conseguiu, através de muita luta acumulada, construir mudanças no arcabouço legal que canalizaram para a simbiose entre projeto de desenvolvimento educacional e financiamento. Vejamos:
  • Emenda Constitucional 59/2009 - determina a obrigatoriedade da matrícula nas escolas das crianças e adolescentes de 4 a 17 anos de idade, tendo como prazo o ano de 2016, para lei regulamentadora. O Estado torna-se obrigado a garantir atendimento, mesmo para aqueles que não tiveram acesso na idade adequada. Indica também a criação do Plano Nacional de Educação, do Sistema Nacional de Educação e aponta meta de financiamento da Educação.
  • Lei 11.494/2007 (Lei do Fundeb) - reserva financiamento para toda Educação Básica, sendo que 60% no mínimo para pagamento de professores e 40% para manutenção e pagamento de funcionários da Educação, obrigando a complementação da União em 10% do Fundeb;
  • Lei 11.738/2008 (Lei do Piso Salarial dos Professores) - define o valor mínimo salarial para pagamento de professores em início de carreira para uma jornada de 40h nas redes públicas de ensino e estabelece o percentual máximo de 2/3 da carga horária para interação com alunos;
  • Lei 12.351/2010 - regulamenta a exploração do PRÉ SAL (petróleo e gás) através do modelo de partilha e cria o Fundo Social do Petróleo;
  • Lei 12.711/2012 (Lei de Cotas) - destina cotas de 50% de vagas nas universidades públicas para alunos de escolas públicas;
  • Lei 12.796/2013 - regulamenta a obrigatoriedade de matrícula na escola das crianças e adolescentes de 4 a 17 anos de idade, ou seja, da educação infantil ao ensino médio, de forma gratuita e de qualidade;
  • Lei 12.858/2013 (Lei dos Royalties para Educação e Saúde) - define que 75% dos royalties oriundos da exploração do petróleo e gás e 50% do FUNDO SOCIAL serão destinados à Educação e 25% dos royalties para a Saúde;
  • Lei 13.005/2014 - estabelece o Plano Nacional de Educação com a obrigatoriedade de alcançar o comprometimento de 10% do PIB para a Educação e estabelece metas de inclusão, valorização, formação e financiamento na Educação básica e superior.
PROGRAMAS:
  • ENEM - UNIVERSIDADE PARA TODOS – FIES – SISU - UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS
  • Criação e ampliação de Universidades Federais e Institutos Federais de Educação – propiciaram a interiorização do ensino superior, mudaram a mercantilização e privatização das vagas nas universidades brasileiras, proporcionaram o intercâmbio de estudantes brasileiros no exterior, induziram maior números de estudantes de escola públicas nas universidades;
  • Programa Nacional do Livro Didático foi ampliado, garantindo acesso aos livros didáticos e literários da Educação infantil ao ensino médio;
  • Programa Nacional de Transporte Escolar foi ampliado e qualificado da Educação infantil ao ensino médio;
  • Programa Nacional de Alimentação Escolar ampliado ao ensino médio;
  • Programa Dinheiro Direto na Escola garantiu autonomia gerencial financeira das escolas a partir de projetos escolares e repasses do FNDE;
  • Programa Brasil Profissionalizado permitiu o fortalecimento da junção do ensino de formação científica, profissional e humana;
  • IDEB introduziu o início de uma avaliação mais sistêmica do sistema educacional brasileiro.
Os passos dados acima são expressões históricas da luta coletiva, responsável, propositiva, mobilizadora e negociadora, feita por estudantes, pais e profissionais da Educação, por meio de suas entidades gerais, destacando-se a UNE/UBES e CNTE/Sindicato filiados. Não foram dádivas ou vieram ao acaso. Houve o enfrentamento nas ruas, no Parlamento, com os governos e principalmente com os entreguistas, fascistas, privatistas, incrédulos, céticos, sectários e imobilistas.

As leis, programas, projetos, RASPA TACHO ou rateio foram forjados com o corpo e a alma dos que acreditam, se organizam, propõem, lutam e conquistam!

Anizio Melo – presidente do Sindicato APEOC

Ex-prefeito acusado de pedofilia tem pena de 11 anos de prisão extinta


Acusado de chefiar uma rede que explorava sexualmente meninas de 9 a 15 anos, conforme mostrou série de reportagem do Fantástico em 2014, o ex-prefeito de Coari (AM) Adail Pinheiro recebe indulto natalino, ganha liberdade e se livra de processo


Condenado a 11 anos de prisão por exploração sexual de crianças e adolescentes, o ex-prefeito de Coari (AM) Adail Pinheiro recebeu indulto e teve sua pena extinta nessa quarta-feira (24). Com isso, o político acusado de chefiar uma rede que explorava sexualmente meninas de 9 a 15 anos, conforme mostrou série de reportagem do Fantástico em 2014, ganhará liberdade e se livrará das acusações.

A decisão que o beneficiou foi tomada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), com base em parecer favorável do Ministério Público estadual, que concluiu que Adail se encaixava nos requisitos do perdão presidencial, definido em decreto assinado no final de 2016 pelo presidente Michel Temer. O ex-prefeito cumpria pena em regime domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica.

O decreto presidencial prevê o indulto a condenados em crimes praticados sem grave ameaça ou violência à pessoa e quando a pena não for superior a 12 anos de prisão. O preso, no entanto, precisa ter cumprido um quarto da pena, se não for reincidente, ou um terço, se tiver reincidido em crime.

A sentença foi assinada pelo juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Luís Carlos Valois, que alega ter analisado apenas a conformidade do parecer do Ministério Público com o decreto presidencial do indulto.

“A pena aplicada e o período de pena cumprido, somados à ausência de infração disciplinar (requisito subjetivo disciplinado no art.9º do mesmo decreto) indicam que realmente o apenado preenche os requisitos do decreto, na forma do que já foi esclarecido nos autos, nesta decisão e no parecer do Ministério Público”, escreveu Valois na decisão em que determina a soltura do político.

Celular na cadeia

Adail foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas, em novembro de 2014, a 11 anos e 10 meses de prisão em regime fechado por exploração sexual de crianças e adolescentes. Ele já estava preso preventivamente à época em processo que apura outros casos de pedofilia. Em novembro do ano passado, passou a cumprir a pena em prisão domiciliar.

Embora a decisão que o livrou da pena ateste seu bom comportamento, em julho de 2016 uma revista na cela onde Adail estava preso com outros dois ex-prefeitos encontrou três aparelhos celulares, dois carregadores e R$ 100. O político já havia sido preso, em 2008, por suspeita de desviar R$ 40 milhões dos cofres públicos, na Operação Vorax, da Polícia Federal.

A família do ex-prefeito ainda exerce forte poder político em Coari, cidade de 77 mil habitantes localizada às margens do Rio Solimões. O filho dele, Adail Junior foi eleito prefeito no ano passado. A vice, Mayara Pinheiro, também é filha dele. Jeany Pinheiro, a vereadora mais votada, é irmã de Adail. Um sobrinho dele também é vereador, segundo o jornal A Crítica, de Manaus.

Uma série de reportagens do Fantástico mostrou, no início de 2013, depoimento de adolescentes e familiares, além de outras testemunhas, que apontavam Adail como chefe de uma quadrilha que explorava sexualmente meninas de 9 a 15 anos. “Eu tinha 9 anos. E a minha mãe cozinhava no barco. Eu ficava lá brincando, enquanto minha mãe estava trabalhando. Ele me estuprou dentro do barco mesmo, entendeu. Eu fiquei muito apavorada, com vergonha, nunca consegui colocar isso para fora. Hoje em dia, ele quer a minha filha”, contou uma vítima. “Ela tem 11 anos, então ele está destruindo a minha vida inteira, porque aconteceu comigo, aconteceu com o meu sangue e agora ele quer a minha filha. É monstruoso demais”, acrescentou.

Adail sempre negou as acusações.

←  Anterior Proxima  → Inicio

Pacatuba Em Foco

Ouça-nos !

Agenda de Jogos da Semana

Campeonato Brasileiro C
Sábado, 24, 17h00

Campeonato Brasileiro A
Domingo, 25, 19h00

Mais Acessadas

Total de Transeuntes

Votar ao Topo