Tecnologia do Blogger.

Featured Post

NESTA DATA | Nasce Vinicius de Moraes

Em 19 de outubro de 1913, nasce o poeta Vinicius de Moraes O poeta e compositor Vinicius de Moraes nasceu no Rio de Janeiro, em 19 de...

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Pesquisar este blog

Pacatuba Em Foco


Pacatuba Em Foco - A Melhor Calçada Virtual

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Líder feminista e comunista é eleita 1ª mulher presidente do Nepal

Nepal: líder feminista e comunista é eleita primeira mulher presidente. Bidhya Devi Bhandari é uma das líderes do PC nepalense e lutou pela inclusão dos direitos das mulheres na recém-adotada Constituição

Bidhya Devi Bhandari, do Partido Comunista do Nepal, foi eleita pelo Parlamento nepalense para ser presidente do país nesta quarta-feira (28/10). Ela será a primeira mulher a ocupar o cargo.
Bidhya era deputada e foi ministra da Defesa do país. Ela venceu a eleição com 327 votos, derrotando Kul Bahadur Gurung, ex-ministro da educação do partido Congresso Nepalês. O Congresso do país possui 601 cadeiras.
O Nepal se tornou uma República em 2008 e em 2013 criou sua segunda Constituição. Bidhya lutou para incluir os direitos das mulheres no novo documento, adotado no mês passado. A Constituição nepalense estipula que um terço de todas as cadeiras do Parlamento devem ser ocupadas por mulheres e que o presidente ou o vice-presidente deve ser uma mulher.
Após ser designada, ela afirmou a jornalistas que iniciará conversas com os partidos do sul do país contrários à nova Constituição, que protestam e mantêm um bloqueio da fronteira com a Índia. “Considerarei o Himalaia, as montanhas e a região Tarai como um todo”, declarou.
Além de ser a primeira presidente mulher, ela é a segunda pessoa a ocupar o cargo depois que a democracia foi instaurada. O primeiro presidente foi Ram Baran Yadav, eleito em 2008 e com um mandato estipulado em dois anos, que acabou se estendendo devido à demora na elaboração e adoção da Constituição.

Marcelo Odebrecht cancelou o show de Sérgio Moro

POR FERNANDO BRITO

Arriscada, provou-se eficiente a estratégia de Marcelo Odebrecht hoje ao, finalmente, ser interrogado pelo Juiz Sérgio Moro, depois de 133 dias mofando na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

Quem esperava um depoente raivoso ou, ao contrário, amedrontado, não viu uma coisa ou outra.

A quem assistiu, ficou a impressão de alguém muito disciplinado e focado no que pretende, juridicamente.

E o que pretende a defesa de Odebrecht é recolocar o processo no rito convencional: a Polícia e o Ministério Público produzem provas e o acusado as contesta.

Ninguém tem a obrigação de responder a perguntas genéricas do tipo: “como eram seus negócios com a Petrobras?”, “o senhor conhece  Fulano de tal?”, “senhor já ouviu falar de tal coisa?”.

É à PF e ao MP que competem mostrar que tal ou qual negócio era irregular, que havia uma relação criminosa com aquele Fulano e que o acusado participava da “tal coisa” ilegal.

Óbvio que ao longo de 70 anos de história de uma empreiteira, mãos foram molhadas em n+1 ocasiões e nem se quer aqui santificar empreiteiro que, como se sabe, não vai para o Céu no juízo final. Mas não é disso que se tratava em qualquer tribunal que não seja aquele do Dr. Moro: é de um caso específico, com negócios específicos, com pessoas e pagamentos específicos.

Achar que uma potência empresarial do tamanho da Odebrecht, com mais de 150 mil empregados e estabelecida nos Estados Unidos, África, Oriente Médio e Europa funcione como um botequim, onde o filho do português controla o caixa com um lápis detrás da orelha, é algo que não pode passar pela cabeça de qualquer um de bom senso.

E seu executivo sabia que seria isso o que se preparou para seu interrogatório.

Espertamente, escapou disso e ateve-se aos pontos que o Ministério Público apontou em sua denúncia.

Até porque, claro, sabe que apresentar defesa a Sérgio Moro é o mesmo que cumprir tabela em campeonato decidido: nada do que disser ou provar servirá para inocentá-lo ou mitigar sua condenação.

Ele já está condenado e sabe disso.

Como todos estão na vara do Dr. Sérgio Moro e já estavam há meses, desde que as investigações se iniciaram com um projeto de “culpas” muito bem definido.

Marcelo Odebrecht fez o que desejava no interrogatório de hoje: demonstrar que não aceita o jogo de cartas marcadas de um julgamento que já tem sentença pronta antes mesmo de ser oferecida a denúncia.

A sua batalha não será em Curitiba e hoje ele mostrou que é para ela que se guardou, evitando qualquer novo dano.

http://tijolaco.com.br/blog/marcelo-odebrecht-cancelou-o-show-de-sergio-moro/

90 mil marcham pela educação em São Paulo

Diante da proposta de fechamento de escolas, movimentos da cidade e do campo ampliam luta contra projeto do governo Alckmin

Os movimentos sociais e sindical se uniram aos professores, estudantes e familiares numa grande marcha que reuniu 90 mil pessoas nas ruas da capital nesta quinta (29), acirrando a luta contra a chamada reorganização escolar e o fechamento de centenas de escolas em São Paulo.

Bancários, metalúrgicos, químicos, trabalhadores do serviço municipal e estadual, movimentos do campo e da cidade foram unânimes: a educação é uma preocupação de todos e os protestos continuarão enquanto o governo Geraldo Alckmin não recuar.

A próxima mobilização está agendada para 10 de novembro, às 12h, com assembleia dos professores, no Estádio do Morumbi, e ato público em frente ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual.

"O que o governador tem feito em São Paulo é um ataque à escola pública e isso significa atacar a escola dos filhos e filhas dos trabalhadores. Nossa Central e sindicatos filiados à CUT estarão em todas as atividades junto aos professores e estudantes para derrotar esse governo fascista", garantiu Douglas Izzo, presidente da CUT São Paulo.

"Alckmin está nos chamando de conservadores porque não aceitamos o fechamento das escolas. Mas ele é quem é conservador. Não basta dizer que vai fechar 94 escolas, pois não admitimos nenhuma escola fechada em São Paulo", discursou Maria Izabel Azevedo Noronha, a Bebel, presidenta da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial no Estado de São Paulo).

De acordo com o coordenador nacional do  Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Gilmar Mauro, o enfrentamento irá aumentar. "Temos obrigação de fechar rodovias estado afora porque a educação não é um caso da Apeoesp, é um problema do povo brasileiro. Não podemos admitir que fechem escolas no campo e na cidade. Queremos educação de qualidade e pública com valorização dos professores por todo o Brasil", afirmou.

O representante nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, ressaltou os planos da organização caso alguma escola seja fechada. "Já deixamos claro que as escolas que fecharem nas regiões das nossas ocupações, nós vamos ocupar e botar para funcionar. Essa é a resposta para quem corta dinheiro da educação", disse.

Secretária de Formação da CUT/SP, Telma Victor, lembrou também do impacto aos trabalhadores. “Os professores da categoria “O” e “F” que passaram na prova estão esperando para serem chamados. Mas, ao contrário, o fechamento de salas de aula irá cada vez mais demitir professores efetivos da rede ou contratados”, afirma a dirigente que é também educadora.

Para o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), Roberto Leão, a situação paulista é a mais grave das que já existiram nos últimos anos. “Em 1995 vimos algo parecido que causou desemprego, mudanças de alunos para longe de suas residências e a escola pública não melhorou. O que querem na verdade é fazer economia à custa da educação”, garante.

Solidariedade na luta
O professor de História e Sociologia, Fábio Sardinha, da Escola Estadual Oscar de Moura Lacerda, de Ribeirão Preto, disse que só não haverá fechamento de unidades de ensino na região onde atua por causa da pressão popular. “Nos organizamos junto com a comunidade e os alunos. Fomos ao Ministério Público, à imprensa local e fizemos uma verdade atividade cívica. Conseguimos uma grande conquista, mas sabemos que esta luta é a longo prazo”, resume.

As estudantes Ingrid Lerman, Guillia Figueiredo e Letícia Caroline, da Escola João Dias da Silveira, que fica no Tatuapé, não terão sua escola fechada, mas estiveram no ato para dizer que são contra este projeto.

Elas relataram também a realidade que vivem. “A superlotação é um dos problemas que vivemos e que afeta a todos. Nossos professores não conseguem dar aula para 50 alunos. O sistema de educação é difícil e a situação da escola é precária”, afirmou Guillia.

Dado de 2014 aponta que as 94 escolas estaduais que serão fechadas atendem 43.856 alunos. Nas 1.464 escolas estaduais que serão "reconfiguradas", serão 505.491 alunos afetados, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (29), pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Municipalização do ensino afetará vagas no ensino médio
Além de não discutir as mudanças com a comunidade escolar, Alckmin também não dialoga com os governos municipais e esconde o impacto real das mudanças, apontam os dados apurados pelo Dieese. Das 94 escolas estaduais que estão na lista, 36,2% serão municipalizadas.

Na capital, a transferência dos prédios escolares à prefeitura será tratada em reunião só na próxima semana, ainda sem data definida, entre representantes das secretarias Municipal e Estadual de Educação.

Para o técnico do Dieese, Rogério Limonti, "o pior disso tudo é que o ensino médio não é universalizado. A responsabilidade é exclusiva do governo estadual. Ou seja, se o município criar uma escola de ensino médio não receberá recursos pelo Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação] e demais recursos federais".

Rogério explica que hoje toda verba pública para a educação municipal é vinculada. Só pode ser aplicada em educação infantil e no ensino fundamental. Com o fechamento dessas escolas, faltará vaga para o ensino médio aos municípios afetados.

O levantamento do Dieese também mostra que do total de escolas fechadas, 40,2% são de ciclo único. Entre estas, nove são de Barueri, na Grande São Paulo, uma de Sertãozinho e uma de Roseira, no interior do estado.

http://cut.org.br/noticias/90-mil-marcham-pela-educacao-em-sao-paulo-8996/

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Quem responde pelos danos causados nos estacionamentos dos estabelecimentos comerciais?

Queridos consumidores eis um assunto que vem sendo motivo de grande polêmica na esfera judicial. A grande maioria de fornecedores (em geral supermercados) expõem cartazes ou placas informando que não se responsabilizam pelos danos eventualmente ocorridos no seu veículo. Os casos mais comuns são os de furto ou roubo de objetos deixados no interior do veículo.

Vale ressaltar que, muitas empresas se utilizam do argumento de não cobrarem pelo serviço e por conta disso ficariam afastadas de qualquer responsabilidade dos fatos que venham a ocorrer. Porém, como todo consumidor bem informado sabe, para que se configure uma relação de consumo um dos requisitos essenciais é a onerosidade, pois se não houver ganhos diretos ou indiretos não teríamos como aplicar a lei consumerista, desta forma a empresa quando oferta o serviço de estacionamento,mesmo que não cobre, está implicitamente induzindo o consumidor a adquirir os produtos na mesma e enquanto isso seu veículo estará seguro, configurando assim a conhecida “Teoria do risco”.

Diante disso podemos concluir que as placas e cartazes anteriormente citados, não possuem qualquer validade jurídica, se tratando de uma cláusula contratual nula de pleno direito. O CDC foi impecável quanto à responsabilidade dos prestadores de serviço pela reparação de danos causados aos consumidores, por defeitos relativos à prestação de serviço, exceto quando comprovado que o vício não existiu.

Quando o estabelecimento disponibiliza um serviço de estacionamento, seja pago ou como cortesia, o consumidor o procura pela comodidade e, principalmente pela “segurança”. Portanto, no momento em que ocorra o dano, este não pode ser admitido pelo consumidor, devendo assim, obviamente, o prejuízo ser solucionado impreterivelmente pelo prestador de serviços. O consumidor para se assegurar deverá no momento em que sofreu o dano, entrar em contato com a empresa e de imediato fazer o boletim de ocorrência, para que sejam tomadas as devidas providências.

O poder judiciário do nosso país, já possui esse entendimento consolidado, por isso, se você consumidor já sofreu algum tipo de dano dessa natureza, busque seus direitos! Procure o estabelecimento e a Delegacia mais próxima para registrar o ocorrido, procedimento este útil a qualquer dano ocorrido em estacionamentos.

http://annekls.jusbrasil.com.br/artigos/249374323/quem-responde-pelos-danos-causados-nos-estacionamentos-dos-estabelecimentos-comerciais?utm_content=bufferc0153&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

Deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) responde aos ataques do deputado João Rodrigues (PSD-SC)

Há pouco, no plenário da Câmara, a Deputada Federal Jô Moraes me chamou para mostrar o boletim da Comissão de Relações Exteriores, da qual fazemos parte. Estávamos aí, analisando a publicação, quando o deputado João Rodrigues (PSD-SC) chegou bem próximo de mim e me abordou [pra quem ainda não sabe quem ele é, eu informo que é aquele cujas falas em favor da morte de "bandidos", chamando-a de "faxina", eu critiquei em postagens anteriores; e também aquele que foi flagrado, em plena sessão, assistindo a um filme pornô]. O breve "diálogo" que se seguiu foi mais ou menos o seguinte:


João Rodrigues: Você me conhece? Você sabe quem eu sou?
Eu: Nunca lhe cumprimentei nem me apresentei pessoalmente, mas, sim, sei quem você é.
João Rodrigues: Então, você tome cuidado com o que você fala a meu respeito. Você postou, colocando a minha foto, que "bandido bom é bandido de gravata e com gabinete". Você não me conhece...
[Ele achava que eu me intimidaria. Perdeu o chão quando olhei em seus olhos e reiterei tudo que eu escrevi sobre sua fala de tons fascistas e acrescentei:]
Eu: ...E, por fim, alguém precisava relativizar sua fala; afinal, você foi denunciado pelo Ministério Público por aquilo que o órgão considera crime.
João Rodrigues: Mas, o processo contra mim que você citou foi arquivado...
Eu: Ora, se o processo contra você foi arquivado, é porque você teve amplo direito a defesa. Então, os outros que você chama de "bandidos" também devem ter direito a defesa, em vez de serem mortos sem a chance de se defender, não?
João Rodrigues: Bandido safado, nojento, merece morrer mesmo.
Eu: Ah, é? Então por que você não sobe à tribuna e diz isso em relação ao Eduardo Cunha? Afinal, pra Procuradoria Geral da República, ele cometeu os crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão ilegal de divisas, logo, é um bandido...
João Rodrigues: Mas ele só está denunciado...
Eu: Mas por qual julgamento passaram os "bandidos" ao quais você se refere para já sentenciá-los à pena de morte? Vamos, se bandido bom não é bandido com gravata, então por que você não sobe à tribuna e diz, em relação a Cunha, o que você disse sobre os bandidos pobres?
João Rodrigues: E por que você defende Lula?
Eu: Em primeiro lugar, eu não defendo Lula. Ele não precisa de minha defesa. Em segundo, ainda não há nenhuma denúncia formal contra Lula. Em terceiro, quem está negando o direito à defesa e defendendo pena de morte no vácuo da legalidade é você; não eu!
João Rodrigues [chegando bem mais perto de mim, de modo que eu quase sentia sua respiração e seu perfume]: Eu defendo a pena de morte mesmo! Você fica aí, defendendo essa raça... Você não sabe com quem você foi comprar briga! [referindo-se a si mesmo]
Eu [olhando no olho dele e para baixo, já que ele é bem menor que eu]: "Essa raça" é também parte do povo brasileiro e está sob o mesmo estado de direito... Quem é você para decidir quem vive ou morre? Deus? E se você está me ameaçando, devo lhe dizer que não temo sua ameaça. [aproximando-me bem dele e olhando diretamente em seus olhos] Os tempos mudaram, meu caro. Os "coronéis" já não podem mais intimidar as pessoas ou ameaça-las impunemente.
João Rodrigues [se esforçando para ser irônico]: Não, eu não estou lhe ameaçando. Eu não ajo desse forma. Eu não cheguei aqui pelo BBB, aquela putaria, eu tenho muitos mandatos.
Eu: Bom, eu estou em meu segundo mandato e fui eleito com quase 145 mil votos, mas se você quer crer que foi o BBB que me trouxe aqui, fique à vontade... Ao menos não cheguei pela força da grana.
João Rodrigues: Bom, agora você já me conhece. Já sabe quem eu sou. E já está avisado de que mexeu com a pessoa errada.
Eu: Prazer. Agora você já sabe que eu não temo o que me parece uma ameaça.

Despedimo-nos. Ele seguiu. Eu permaneci ali para concluir minha conversa com Jô Morais. O clima estava tão tenso entre os que conseguiam nos ouvir que dava para cortar o ar com uma faca [toda a conversa se deu como numa cena de um thriller político]

E, aí, amados e amadas, vocês acham que eu devo temer algo mais que as já manjadas difamações, injúrias e calúnias feitas na internet?


*Durante a produção do texto acima, em que contava a vocês a cena surreal em que fui abordado pelo deputado João Rodrigues, ele subiu à Tribuna da Câmara para novamente me atacar e intimidar.
Não intimidou!!!! Sou acostumado a falar o que penso, porque a verdade é libertadora. A resposta que dei a ele está no vídeo.

https://www.youtube.com/watch?v=K5DqraEBjpw

5 dicas para o professor evitar estresse e esgotamento profissional

Caracterizada por uma exaustão total, a síndrome de burnout é comum entre os profissionais de educação

Dificuldade para dormir, falta de ar frequente e problemas digestivos podem ser sintomas da síndrome de burnout. A doença é caracterizada por um esgotamento mental e físico ligados principalmente a uma vida profissional intensa que não deixa espaços para cuidar de si. A carreira de professor está entre as mais afetadas, principalmente pela grande responsabilidade que os docentes carregam.

Além do acompanhamento com um profissional da psicologia, há algumas estratégias que ajudam a não alcançar este ponto. Mary Beth Hertz, professora e colunista do site norte-americano Edutopia elaborou cinco dicas para que o professor se afaste da síndrome de burnout e para que o gestor ajude neste processo. Confira:

1 - Continue com sua "outra" vida
O balanço entre a vida pessoal e profissional é importante. Segundo Mary, principalmente no começo da carreira, os professores acabam passando madrugadas e fins de semana se dedicando às aulas. É importante ter momentos para se desconectar da carreira. Viagens e passeios com amigos de fora da escola são bons para relaxar.

2 - Renove-se e saia da rotina
De acordo com Mary, uma das formas de caminhar para o esgotamento é ficar preso na mesma rotina por muitos anos. Por isso, manter-se fresco lendo novas teorias sobre educação e conversando com profissionais que têm outras práticas pode ajudar a não chegar ao estresse extremo.

3 - Cultive conexões
Mary ainda alerta que o isolamento é um fator que frequentemente leva ao esgotamento profissional. Por isso, se sentir parte do time dos professores de sua escola ou região pode ajudar a tornar o dia a dia menos estressante. Com esse intuito, os gestores podem reservar um tempo de trabalho dos educadores para socialização e compartilhamento de experiências.

4 - Se mantenha leve
Agregue o humor e as risadas à sala de aula. Manter a expressão séria durante todo o tempo é difícil e pode tornar o dia a dia menos agradável. Os momentos que exijem seriedade existem, mas a colunista recomenda que o professor não se limite por causa deles.

5 - Gestores, incluam o professor nas mudanças da escola
A ameaça de mudanças pode causar apreensão entre os profissionais. Se estes processos forem transparentes por parte da gestão da escola, o medo das mudanças não será mais um dos fatores que causam estresse para o educador.

http://www.revistaeducacao.com.br/textos/0/5-dicas-para-o-professor-evitar-estresse-e-esgotamento-profissional-365323-1.asp

E se Verônica Serra fosse filha de Lula?

Por Paulo Nogueira

Um título do site Viomundo, trazido ao Diário pelo atilado leitor e comentarista Morus, merece reflexão.

E se o filho de Lula fosse sócio do homem mais rico do Brasil?

Antes do mais: certas perguntas têm mais força que mil repostas, e este é um caso.

Bem, o título se refere a Verônica Serra, filha de Serra. Ela foi notícia discreta nas seções de negócios recentemente quando foi publicado que uma empresa de investimentos da qual ela é sócia comprou por 100 milhões reais 20% de uma sorveteria chamada Diletto.

Os sócios de Verônica são Jorge Paulo Lehman e Marcel Telles. Lehman é o homem mais rico do Brasil. Daí a pergunta do Viomundo, e Marcel é um velho amigo e parceiro dele.

Lehman e Marcel, essencialmente, fizeram fortuna com cerveja. Compraram a envelhecida Brahma, no começo da década de 1980, e depois não pararam mais de adquirir cervejarias no Brasil e no mundo.

Se um dia o consumo de cerveja for cerceado como o de cigarro, Lehman e Marcel não terão muitas razões para erguer brindes.

Verônica se colocou no caminho de Lehman quando conseguiu dele uma bolsa de estudos para Harvard.

Eu a conheci mais ou menos naquela época. Eu era redator chefe da Exame, e Verônica durante algum tempo trabalhou na revista numa posição secundária.

Não tenho elementos para julgar se ela tinha talento para fazer uma carreira tão milionária.

Ela não me chamou a atenção em nenhum momento, e portanto jamais conversei mais detidamente com ela.

Mas ali, na Exame, ela já era um pequeno exemplo das relações perigosas entre políticos e empresários de mídia. Foi a amizade de Serra com a Abril que a colocou na Exame.

Depois, Verônica ganhou de Lehman uma bolsa para Harvard. Lehman, lembro bem de conversas com ele, escolhia em geral gente humilde e brilhante para, como um mecenas, patrocinar mestrados em negócios na Harvard, onde estudara.

Não sei se Verônica se encaixava na categoria dos humildes ou dos brilhantes, ou de nenhuma das duas, ou em ambas. Conhecendo o mundo como ele é, suponho que ela tenha entrado na cota de exceções por Serra ser quem é, ou melhor, era.

Serra pareceu, no passado, ter grandes possibilidades de se tornar presidente. Numa coluna antológica na Veja, Diogo Mainardi começou um texto em janeiro de 2001 mais ou menos assim: “Exatamente daqui a um ano Serra estará subindo a rampa do Planalto”. (Os jornalistas circularam durante muito tempo esta coluna, como fonte de piada e escárnio.)

Cotas para excluídos são contestadas pela mídia, mas cotas para amigos são consideradas absolutamente normais, e portanto não são notícia.

Todos os filhos são iguais, mas alguns são mais iguais que outros

Todos os filhos de políticos são iguais para a mídia , mas alguns são mais iguais que outros

Bem, Verônica agradou Lehman, a ponto de se tornar, depois de Harvard, sócia dele.

O nome dela apareceu em denúncias – cabalmente rechaçadas por ela – ligadas às privatizações da era tucana.

Tenho para mim que ela não precisaria fazer nada errado, uma vez que já caíra nas graças de Lehman, mas ainda assim, a vontade da mídia de investigar as denúncias, como tantas vezes se fez com o filho de Lula, foi nenhuma.

Verônica é da turma. Essa a explicação. Serra é amigo dos empresários de mídia. E mesmo Lehman, evidentemente, não ficaria muito feliz em ver a sócia exposta em denúncias.

Lehman é discreto, exemplarmente ausente dos holofotes. Mas sabe se movimentar quando interessa.

Uma vez, pedi aos editores da Época Negócios um perfil dele depois da compra de uma grande cervejaria estrangeira. Recomendei que os repórteres falassem com amigos, uma vez que ele não dá entrevistas.

Rapidamente recebi um telefonema de João Roberto Marinho, o Marinho que cuida de assuntos editoriais. João queria saber o que estávamos fazendo.

Lehman ligara a ele desgostoso. Também telefonara a seus amigos mais próximos recomendando que não falassem com os repórteres da revista. Ninguém falou, até mais tarde Lehman autorizá-los depois de ver os bons propósitos da reportagem.

Lehman patrocinou o curso em Harvard para Verônica e depois a fez sócia

Lehman patrocinou o curso em Harvard para Verônica e depois a fez sócia

A influência de Lehman sobre João Roberto se deve, é verdade, à admiração que Lehman e seu lendário Grupo Garantia despertavam na família Marinho.

Mas é óbvio que a verba publicitária das cervejarias de Lehman falam alto também. Um amigo me conta que em Avenida Brasil os personagens tomavam cerveja sob qualquer pretexto.

Isto porque as cervejarias de Lehman pagaram um dinheiro especial pelo chamado ‘product placement’, ou mercham, na linguagem mais vulgar.

O consumidor é submetido a uma propaganda sem saber, abertamente, que é propaganda. Era como se realmente os personagens tivessem sempre motivos para tomar uma gelada.

Verônica Serra, por tudo isso, esteve sempre sob uma proteção, na grande mídia, que é para poucos. É para aqueles que ligam e são atendidos pelos donos das empresas jornalísticas.

O filho de Lula não.

Daí a diferença de tratamento. E daí também a força incômoda, por mostrar quanto somos uma terra de privilégios, da pergunta do site Viomundo.

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/e-se-veronica-serra-fosse-filha-de-lula/

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O Enem e a educação democrática

Por Marcos Aurélio Ruy, no site da CTB:


Os 7.746.261 jovens, dentre os quais 4.458.265 (57,5%) do sexo feminino, inscritos para realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano tiveram que refletir sobre "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira", tema da redação do exame.
A proposta do Enem trouxe à baila velhos rancores dos setores conservadores da sociedade que atacaram de modo virulento o tema da redação, assim como outras questões de ciências humanas com destaque para o debate acerca da igualdade.
“Essa prova do Enem me deixou perplexa e emocionada. Não que a prova em si, vá mudar algo a curto prazo. Mas com certeza, demonstra que nosso projeto não está acabado apesar de todas as investidas desta direita fascista”, diz Isis Tavares, presidenta da CTB-AM.
A presidenta da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES), Bárbara Melo, acredita que “o grande diferencial das provas do Enem em relação a outros vestibulares é exatamente que ele trata muito da atualidade”. Ela acredita que essa proposta é positiva.
A mesma coisa pensa Isis, que também é Secretária de Relações de Gênero da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação.
Para ela, “atualmente sofremos os efeitos de não termos feito a formação necessária em todas as áreas da sociedade ao longo das mudanças e avanços na área social. Nas entidades da sociedade civil organizada, nas universidades com reflexo no ensino básico e nos diversos cursos profissionais”.
Ela afirma ainda que no currículo dos anos 1990 tinha implícito um modo de integrar os alunos ao processo de globalização. “A estética da sensibilidade revela intenções políticas de conformação e adequação da sociedade brasileira ao mundo globalizado, sem apresentar uma preocupação em uma formação estética que constitua sujeitos capazes de reagir de modo crítico e alternativo aos imperativos da Indústria Cultural e da cultura de consumo”.
Já o professor da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB) Remi Castioni acredita que a educação deveria estar antenada com a atualidade e é uma pena que “os temas atuais não fazem parte do cotidiano dos nossos estudantes, principalmente do ensino médio, porque essa seria uma maneira eficiente de levar a juventude a refletir sobre as nossas mazelas”.
Enquanto Bárbara defende a inclusão da questão de gênero no currículo das escolas. Ela pensa que a inclusão das questões de gênero no currículo escolar pode mudar muita coisa no país e acabar com preconceitos. “Certamente a inclusão dessa questão de gênero no currículo ajudaria a vida das mulheres e também dos LGBTs”, diz.


Congresso do retrocesso


Em apoio à prova do Enem, o filósofo e ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro defende que “existe um setor muito conservador no Congresso, que tem protestado contra uma série de medidas liberais do ponto de vista da conduta pessoal”.
Dessa forma acentua Janine, “a liberdade e a igualdade estão em xeque - há vários projetos no Congresso contra esses valores, sobretudo os que querem eliminar tipos de família que já existem”. Por isso, é muito importante mostrar “que temos problema de desigualdade, de violência, que a igualdade não está assegurada para mulheres, negros e outros grupos”, afirma.
Tese complementada por Madalena Guasco Peixoto, coordenadora-geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee). Para a professora Madalena, “as forças conservadoras estão lutando inclusive propondo projeto de lei que criminaliza a ação dos professores em sala de aula proibindo o debate sobre qualquer tema político, além da questão de gênero que eles são contra a introdução do tema na escola”.


Opressão nas escolas


Já Bárbara reclama que as meninas sentem a opressão na escola. Opressão que “vai desde os colegas até os professores”, fala. “Opressão contra a forma que estamos vestidas, por não estarmos enquadradas em determinados padrões de beleza”.
Ela explica que a escola não trata o tema da desigualdade de gênero. “Então esses preconceitos e essas discriminações, contra as meninas em especial, acontecem dentro das escolas e precisamos combater isso”.
Porque as escolas deveriam debater como “a sociedade procura condicionar as mulheres a um determinado comportamento, mas que elas são livres para serem da forma que quiserem, da forma que sejam mais felizes”, defende Bárbara. “A sociedade não pode combater a individualidade das pessoas, mas infelizmente é isso que ela faz”.
“Do ponto de vista da formação, é extremamente importante que a escola proporcione reflexões para os jovens. No caso, refletir sobre o uso da força física para se sobrepor ou até eliminar alguém. Refletir sobre a convivência entre nós seres humanos e o que nos leva a partir para a violência para solucionar questões que deveriam ser resolvidas na base do diálogo, da compreensão e do amor”, afirma Castioni.
A reação de setores masi conservadores da direita brasileira por si só já revela a necessidade de um amplo debate sobre o papel da educação numa sociedade de classes e o que leva a tanta violência contra o outro. A presidenta da UBES critica os setores que atacaram o Enem popr conter questões atuais em sua prova porque “se refletir a realidade é uma questão da esquerda como estão dizendo. Acaba revelando que a direita brasileira tem verdadeiro ódio às mulheres que ousam defender direitos iguais, assim como atacam todos os que ousam levar a vida com acreditam ser o melhor para si".


O debate se amplia


Para Castioni, que também é secretário-geral da Associação dos Docentes da UnB, “a grande discussão na educação é o modelo de ensino que queremos. Porque o enfoque atual é extremamente disciplinar na organização dos conteúdos e isso precisa mudar”.
E ele explica que “está mais do que provado de que as respostas aos temas candentes da sociedade estão fora dos conteúdos disciplinares”. Segundo Castioni, atualmente tentam mais condicionar a juventude, mas “é muito importante desafiar os jovens a refletir sobre a vida e os acontecimentos atuais”.
Bárbara acredita que “a educação precisa ter ligação com o dia-a-dia das pessoas”. Já Carina Vitral, presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE) ataca a “reação incompatível de setores conservadores à importância do tema proposto”.
De acordo com Carina, “a violência contra a mulher deveria ser combatida por toda a sociedade. Se esses setores se colocam contra esse tema é porque são a favor da violência contra a mulher, o que por si só é assustador”.
“A construção de uma pátria educadora se faz a partir da discussão de questões que mudam mentalidades e com isso, provocam mudanças culturais e rompem paradigmas”, diz Eleonora Menicucci, secretária especial de Políticas para as Mulheres do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, em texto publicado pela secretaria em apoio ao tema (

leia a íntegra do texto).
“É fundamental que a escola e todos os ambientes educativos coloquem no centro a conscientização contra qualquer tipo de desigualdade e de discriminação”, defende Madalena.
Gabarito disponível
Os gabaritos das provas objetivas do Enem já estão disponíveis na internet, divulgados nesta quarta-feira (28). As provas digitalizadas estarão disponíveis na sexta-feira (30).
* Marcos Aurélio Ruy é assessor de imprensa da CTB.

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/10/o-enem-e-educacao-democratica.html

A nova Lei 13.179/15 e a meia–entrada

No dia 22 de outubro de 2015 (ultima quinta–feira), foi publicada no Diário Oficial a Lei Federal nº. 13.179/15 que determinou, em breve síntese, a obrigatoriedade de se disponibilizar pela internet, a venda de ingressos na modalidade meia-entrada, quando existir disponibilização de compra deste ingresso na internet pelo preço integral.

Ou seja, uma vez disponibilizada a venda pela internet de qualquer evento cultural, deverá ser disponibilizada também pela internet, a venda na modalidade meia-entrada, o que já era praticado por algumas empresas, mas ainda não havia uma determinação legal neste sentido.

Referida norma, portanto, visa impedir a dificuldade daqueles que fazem jus ao benefício da meia-entrada, de terem que se descolar até as bilheterias oficiais do evento, para comprovar a situação de beneficiário e adquirir os ingressos pelo valor reduzido.

Com a nova lei, os fornecedores (no caso as empresas que realizam e comercializam estes eventos), deverão se atentar às novas obrigações e dever de informações, sob pena de aplicação das mesmas sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor.

Isso porque, além desta disponibilização obrigatória, os fornecedores deverão informar de forma clara e inequívoca, antes de consumada a venda, quais os documentos que serão aceitos para comprovação deste benefício no momento da entrada no evento.

Referidas informações também deverão ser afixadas na entrada do evento, em local visível.

Caso não existam referidas informações, a nova Lei já concede, expressamente, o direito do consumidor à devolução integral do valor pago, sem prejuízo de eventual indenização por perdas e danos.

Por outro lado, caso existam essas informações e o consumidor não tenha o documento comprobatório necessário para a entrada no evento, terá direito ao pagamento, na hora, do valor complementar do ingresso.

Aqui torna-se importante esclarecer que essas determinações não existiam na anterior Lei nº. 12.933/13 (que trata sobre o benefício da meia-entrada), o que precisará ser adequado pelas empresas que fornecem referidos eventos, em especial sobre a previsão de complementação do ingresso pago, pois em muitos eventos não há bilheteria no momento de realização destes.

Por fim, referida lei já está em vigor e poderá ter seu cumprimento exigido pelos consumidores, bem como pelos órgãos de defesa do consumidor.

http://molinaerosciano.jusbrasil.com.br/noticias/247538789/a-nova-lei-13179-15-e-a-meia-entrada?utm_campaign=newsletter-daily_20151027_2172&utm_medium=email&utm_source=newsletter

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Lula transformou “Vidas Secas” numa obra de ficção

Por PAULO TEIXEIRA

Hoje é aniversário do Lula.

Graciliano Ramos, se fosse vivo, também faria aniversário.

O primeiro completa 70 anos.

O segundo completaria 123.

Dois brasileiros, dois nordestinos, dois cabras que deixaram suas marcas na luta pela justiça social e pelos quais tenho enorme respeito e grande admiração.

Graciliano Ramos, alagoano, foi um dos escritores mais brilhantes do Brasil. Um escritor engajado, sensível, que em diversas obras voltou sua atenção para os temas sociais, a desigualdade, a injustiça, sobretudo para os flagelos da seca e da fome, personagens principais de seu livro mais famoso, "Vidas Secas".

Luiz Inácio, pernambucano, fugiu da seca e da fome e migrou para o Sudeste como um personagem de "Vidas Secas". Conseguiu se formar torneiro mecânico, entrou para o sindicato e, após uma vida dedicada a lutar pelos direitos dos trabalhadores, foi eleito presidente da República em 2002, transformado na maior liderança popular do século XX.

Graciliano e Lula foram presos pela repressão dos períodos ditatoriais, o primeiro no Estado Novo e o segundo na Ditadura pós-1964. Ambos saíram do cárcere ainda mais fortes, renovados, inspirados.

Os caminhos dos dois se cruzaram na primeira década do século XXI, da forma mais fascinante possível. Lula, quando presidente, transformou "Vidas Secas" numa obra de ficção. A narrativa documental daquelas páginas, redigidas por Graciliano Ramos há mais de 70 anos, deixou de ser a fotografia do país para virar romance, episódio literário. A miséria de que trata o livro, a fome que ceifava vidas e obrigava centenas de milhares de nordestinos a migrar para o Sudeste todos os anos, espremidos em paus de arara com um punhado de rapadura no bornal, sem nenhuma garantia de pouso ou trabalho, tudo isso virou ficção desde que Lula chegou ao Palácio do Planalto. Foi graças ao Fome Zero e ao Bolsa Família, um programa copiado em dezenas de outros países que garante uma renda mínima e uma rede de direitos fundamentais, foi graças à mais ousada política de transferência de renda já implantada neste país, que o desemprego baixou para apenas um dígito e o Brasil foi retirado do mapa da fome da ONU.

Melhor assim. Bem melhor.

"Vidas Secas" só é bonito na ficção.

27 de outubro, um dia de tirar o chapéu.

#Lula70

http://www.brasil247.com/pt/colunistas/pauloteixeira/202685/Lula-transformou-%E2%80%9CVidas-Secas%E2%80%9D-numa-obra-de-fic%C3%A7%C3%A3o.htm

DO QUE PRECISA O CEARÁ PARA PERMANECER NA SÉRIE "B"

Está chegando ao final a Série "B" 2015 e o Ceará vive a expectativa pouco comum, de ser rebaixado. Faltando 6 rodadas, o alvinegro não depende só de si, para fugir da degola.

Estamos fazendo um estudo sobre as possibilidades de permanência  do alvinegro, na Série "B".

Traço primeiro um comparativo com o Macaé, porque o alvinegro está 6 pontos atrás, porém tem um confronto direto na última partida, jogando em casa. Teoricamente, decidiria em casa, e para isto, terá que tirar 3 pontos apenas, para trazer a decisão para o Castelão. 

Os jogos que faltam para o Ceará e o Macaé:

01

A parte de baixo da tabela é a seguinte no momento:

02

Cada clube tem 6 jogos sendo 3 em casa e 3 fora;

O Ceará tem que ganhar uma partida a mais que o Macaé e decidir contra o próprio Macaé em casa;

Se o Ceará vencer uma partida a mais que o Macaé nas 5 próximas rodadas, igualará o número de pontos e também o número de vitórias.

Em acontecendo isto, o Ceará precisa apenas vencer o Macaé, e ficará com uma vitória a mais, que é o próximo critério de desempate.

Portanto, são duas metas a conseguir. Nada fácil, porém possível!

Enquanto o Ceará pega 3 adversários que estão no Z4, (Mogi, ABC e Macaé), O Macaé pega apenas 2, que são o Boa e o Ceará.

Há também a possibilidade de luta do Ceará ser com o Oeste, que é o atual 1º fora da zona. Neste caso, não haverá o confronto direto.

Vamos conferir os jogos que faltam para o Oeste.

03

Para superar o Oeste, o Ceará terá que, simplesmente, vencer duas partidas a mais que o time mineiro, das 6 restantes, já que este adversário tem 38 pontos ganhos contra 32 do Ceará. Fácil explicar. O Ceará tem atualmente, 8 vitórias e o Oeste tem 9. Se conseguir 2 vitórias a mais, o Ceará entra no 2º critério, que é número de vitórias.

Resumindo tudo, o Ceará terá que vencer 2 partidas a mais que o 16º colocado, das 6 partidas restantes. para permanecer na Série "B".

 

http://edmilsonmaciel.blogspot.com.br/2015/10/do-que-precisa-o-ceara-para-permanecer.html

A nova Lei Eleitoral: o que muda nas Eleições 2016

eleicoes_0Conheça principais mudanças trazidas pela Lei nº 13.165 de 29/09/2015 e que serão aplicadas para as de prefeitos e vereadores.

A Lei nº 13.165 de 29/09/2015 [1] trouxe significativas mudanças nas regras eleitorais e valerá para as Eleições 2016 em que se escolherão os próximos prefeitos e vereadores dos 5.570 municípios do país. Tais mudanças na legislação eleitoral irão alterar significativamente a regra do jogo eleitoral para os partidos políticos e candidatos aos cargos de prefeito e vereador.

A seguir apresentaremos as principais mudanças ocorridas na Lei das Eleicoes [2],Lei dos Partidos Políticos [3] e Código Eleitoral [4].

DATA PARA REALIZAÇÃO DAS COLIGAÇÕES

Pela nova regra as coligações serão realizadas no período compreendido entre os dias 20 de julho e 05 de agosto do ano em que se realizarem as eleições.

PRAZO PARA A FILIAÇÃO PARTIDÁRIA

A filiação partidária deverá estar deferida pelo partido político no mínimo seis meses antes da data da eleição.

JANELA PARA MUDANÇA DE PARTIDO

Os detentores de cargos eletivos poderão mudar de partido durante o período de 30 dias que antecede o prazo para a filiação partidária.

NÚMERO DE CANDIDATOS POR PARTIDO OU COLIGAÇÃO

Cada partido ou coligação poderá registrar até 150% do número de cadeiras da Câmara Municipal, salvo nos municípios com até 100 mil eleitores, nos quais cada coligação poderá registrar até 200% do número de cadeiras da Câmara Municipal.

Note-se que mesmo em municípios com até 100 mil eleitores a regra do registro de até 200% das cadeiras da Câmara Municipal somente valerá para as coligações partidárias e não para o partido político que lançar chapa individual.

DOAÇÕES DE CAMPANHA

Em razão do veto presidencial aos artigos 24-A e 24-B, somente pessoas físicas poderão efetuar doações e contribuições para campanhas eleitorais, limitadas a 10% dos rendimentos brutos auferidos pelo doador no ano anterior à eleição. Ficam fora do limite de 10% dos rendimentos brutos as doações estimáveis em dinheiro relativas à utilização de bens móveis ou imóveis de propriedade do doador, desde que o valor estimado não ultrapasse R$ 80.000,00.

LIMITE DE GASTOS

Os recursos próprios utilizados pelo candidato na sua campanha eleitoral ficam vinculados ao limite de gastos estabelecidos dentro do limite legal estabelecido para o cargo ao qual concorre.

No caso dos candidatos ao cargo de prefeito o limite será:

i) Para o primeiro turno das eleições, 70% do maior gasto declarado para o cargo nas eleições 2012, na circunscrição eleitoral em que houve apenas um turno; ou 50% do maior gasto declarado para o cargo nas eleições 2012, na circunscrição eleitoral em que houve dois turnos.

ii) Para o segundo turno das eleições; onde houver, o limite de gastos será de 30% do valor previstos para o primeiro turno.

iii) Em Municípios com até dez mil eleitores, o limite de gastos será de R$ 100.000,00.

No caso dos candidatos ao cargo de vereador o limite será:

i) De 70% do maior gasto contratado na circunscrição nas eleições de 2012.

ii) Em Municípios de até dez mil eleitores, o limite de gastos será de R$ 10.000,00

RECURSOS RECEBIDOS DE FONTES VEDADAS OU NÃO IDENTIFICADAS

Caso o candidato ou o partido receba recursos provenientes de fontes vedadas ou de origem não identificada, deverá devolver os valores recebidos ou não sendo possível identificar o doador deverá transferi-los para a conta única do Tesouro Nacional.

PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA

Será adotado o sistema simplificado de prestação de contas de campanha para municípios com menos de 50.000 eleitores ou para candidatos que apresentarem, independentemente do número de eleitores, movimentação financeira de até R$ 20.000,00.

PROPAGANDA ELEITORAL

A propaganda eleitoral somente será permitida após o dia 15 de agosto de 2016.

Em bens particulares a propaganda eleitoral somente poderá ser veiculada se feita em adesivo ou papel e não exceda 0,5m² (meio metro quadrado). Nas eleições anteriores, a propaganda eleitoral era permitida por meio de fixação de faixas, placas, cartazes, pinturas ou inscrições, desde que não excedessem a 4m² (quatro metros quadrados).

EXIGÊNCIA DE VOTAÇÃO NOMINAL MÍNIMA

Para que o vereador seja considerado eleito, além do número de vagas indicadas pelo quociente eleitoral partidário ele deve obter votos em número igual ou superior a 10% do quociente eleitoral.

Deste modo, imaginemos o caso de um município em que o quociente eleitoral foi de 5.000 votos e determinado partido político obteve 12.000 votos e faria pela sobra três vereadores; mas, entretanto, ocorrer de o terceiro colocado obter 499 votos e, portanto, menos de 10% do quociente eleitoral. Neste caso, o terceiro colocado não seria considerado eleito e a vaga seria distribuída ao partido que obtivesse a maior média e o seu candidato uma votação acima de 499 votos.

http://leandroreis.jusbrasil.com.br/artigos/247163397/a-nova-lei-eleitoral-o-que-muda-nas-eleicoes-2016?utm_campaign=newsletter-daily_20151027_2172&utm_medium=email&utm_source=newsletter

OMS classifica carne processada como alimento cancerígeno

Carnes processadas – como salsicha, presunto, linguiça, hambúrguer e bacon – foram classificadas como alimentos cancerígenos para seres humanos, conforme divulgado hoje (26) pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Já a carne vermelha, incluindo partes do boi, porco, carneiro, bode e cavalo, foi classificada como alimento de provável risco cancerígeno.

A decisão foi tomada pela Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (IARC, na sigla em inglês) e levou em consideração evidências de que o alto e frequente consumo de carne processada provoca câncer colorretal. “Especialistas concluíram que, para cada porção de 50 gramas desse tipo de carne consumida todos os dias, o risco de câncer colorretal aumenta em 18%”, alertou a agência.

As classificações foram definidas com base em mais de 800 estudos que tratam da associação de cerca de 12 tipos de câncer ao consumo de carne vermelha ou de carne processada em países e populações de dietas variadas. As evidências mais fortes, segundo a IARC, vieram de um grupo de estudo conduzido nos últimos 20 anos.

Ainda de acordo com a agência, braço da OMS, as descobertas reforçam a orientação do consumo limitado de carne entre humanos, sem deixar de levar em consideração que o alimento tem valores nutricionais.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2015-10/oms-classifica-carne-processada-como-alimento-cancerigeno

#Lula70: personalidades exaltam legado de Lula

Em comemoração aos 70 de Lula, nesta terça-feira, o Instituto Lula divulgou diversas mensagens de políticos, atletas e outras personalidades em homenagem ao ex-presidente.

"Nós contamos e precisamos muito de você. Hoje e por muito tempo", disse Luiz Marinho, prefeito de São Bernardo do Campo.

João Pedro Stédile, da liderança do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), destacou seu legado: “Que o senhor possa seguir ajudando o povo brasileiro a se conscientizar sobre nossos inimigos e percorrendo esse Brasil levando uma voz de esperança”, afirmou.

"Parte destes 70 anos foi dedicado ao povo do Rio de Janeiro, que se libertou. O senhor levou o desenvolvimento econômico aonde as pessoas já não acreditavam mais", destacou ainda Luiz Fernando Pezão, governador do Rio de Janeiro.

Um dos vídeos mais assistidos e compartilhados foi o da equipe do Corinthians, com o técnico Tite, o gerente de futebol Edu Gaspar e os jogadores Cássio, Felipe, Ralf, Danilo e Jadson.

O cantor Zeca Pagodinho também enviou uma mensagem: “Meu querido amigo, feliz aniversário! Seu amigo está aqui, com saudade de você”, disse.

O ministro da Cultura, Juca Ferreira; a diretora e produtora de cinema Tata Amaral; Sebastião Salgado, um dos maiores fotógrafos do mundo, e sua esposa, Lélia Wanick Salgado, participaram igualmente da iniciativa.

“Tenho certeza de que o Brasil ainda precisa do senhor e nós vamos estar juntos nessas batalhas para melhorar a vida do povo brasileiro”, disse o ministro da Cultura, Juca Ferreira.

Assista aos videos aqui.

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/202559/Lula70-personalidades-exaltam-legado-de-Lula.htm

RICHA REPETE ALCKMIN E FECHA ESCOLAS ESTADUAIS

Por Tiago Pereira, da Rede Brasil Atual

O governo do Paraná confirmou segunda-feira (26) o fechamento de até 40 escolas em todo o estado, de acordo com o plano de "otimização", que segue receituário do seu colega de partido, o governador Geraldo Alckmin, em São Paulo. O número foi anunciado em entrevista coletiva pela superintendente de Desenvolvimento Educacional da secretaria, Vanda Dolci Garcia, que acompanhou o governador Beto Richa (PSDB), e a secretária de Educação, Ana Seres Trento, na entrega de um prêmio na capital.

O plano de "otimização" visa fechar principalmente unidades escolares que funcionam em prédios alugados. Levantamento inicial do APP-Sindicato, que representa os professores e funcionários de ensino público do Paraná, chegou a aventar o fechamento de até 150 escolas. Até mesmo a Secretaria de Educação chegou a falar em 71 escolas na semana passada.

Para a secretária educacional do APP-Sindicato, Walkíria Olegário Mazeto, o número é impreciso, pois só das escolas do interior do estado, onde o movimento de fechamento foi iniciado há um mês, o sindicato recebeu ao menos 60 denúncias. Para além das ações pontuais em cada unidade alvo de fechamento, a entidade convoca manifestação unificada, na quinta-feira (29), às 10h, na região da Boca Maldita, centro de Curitiba, para denunciar os fechamentos. No interior, também estão previstas mobilizações.

"Não é o primeiro ano que a Secretaria de Educação tem essa política. É o ano em que ela foi mais incisiva, e com o maior número de escolas para o fechamento." Contrariando o número oficial, Walkíria estima que o total de escolas fechadas ultrapasse uma centena.

Ela afirma também que a decisão não foi negociada com comunidade, como diz a secretaria. Walkíria conta que as diretorias das escolas são chamadas, nas regionais de ensino, e comunicadas da decisão, e, só então, a comunidade escolar é avisada.

A dirigente afirma que a proposta de otimização atinge mais fortemente as escolas rurais e as que se dedicam à modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA), essas últimas por funcionarem na sua grande maioria em prédios locados, e por contarem com menor número de alunos.

Walkíria afirma que, ao atingir o EJA, a secretaria estadual ignora especificidades relativas a esse público, composta de adultos trabalhadores. "É um público que você tem que buscar, que tem que insistir para que fique na escola. São mais resistentes", diz ela, que lembra ainda que dessa maneira, o governo estadual se desincumbiria de ir atrás daqueles dos adultos analfabetos, ou semialfabetizados, comprometendo assim a busca pela erradicação do analfabetismo no estado.

Para as unidades de ensino regular, a 'otimização' acarreta a superlotação das salas de aula, já que o fechamento acaba na junção de salas com um baixo número de alunos (cerca de 35), mas que somadas alcançam a casa dos 70. "É uma política do olhar financeiro",afirma Walkíria.

Além da erradicação do analfabetismo, que consta do Plano Estadual de Educação (PEE), aprovado neste ano, a política de 'otimização', para Walkíria, compromete outra meta, a ampliação do ensino integral.

"O governo estadual estabeleceu meta de construção de 500 escolas de ensino integral e deveria, portanto, aproveitar as unidades que apresentam capacidade ociosa para a implementação das escolas de tempo integral", propõe Walkíria. Por fim, o plano atual vai de encontro a outra meta constante no PEE, que determina a ampliação de vagas do ensino médio, e não o fechamento.

Segundo o APP-Sindicato, nos últimos anos, o estado registrou queda no número de matrículas, tendência que foi revertida, em 2015, com a migração de alunos da rede particular para a rede pública, o que não justificaria o fechamento.

Além do impacto para o alunado, que deve sofrer com a superlotação e aumento no tempo de deslocamento até à escola para aqueles que forem remanejados, Walkíria aponta consequências para os professores. "Como reduz o número de turmas, com a previsão de redução do número de turmas, por óbvio, é preciso de menos trabalhadores."

Ainda mais grave que a situação dos professores é a dos funcionários das escolas, como inspetores, serventes, porteiros e merendeiras. "Se junto duas escolas, que passam a funcionar no mesmo prédio, automaticamente reduzo a quantidade de funcionários", explica Walkíria. Ela diz que, mais uma vez, o proposto pelo governo vem na contramão das necessidades da comunidade escolar, que sofre a falta de profissionais desse tipo.

Contudo, a secretária do APP-Sindicato relata que, a partir da mobilização da comunidade escolar, algumas escolas que seriam alvo de fechamento conseguiram reverter a medida, como foi o caso da Escola Estadual Dom Orioni, unidade de referência em Curitiba. Outros casos de resistência ocorreram em Maringá, Prudentópolis e Cascavel. Frente à resistência de pais, alunos e professores, a Secretaria de Educação recuou e classificou o anuncio de fechamento como 'equívoco'.

O APP-Sindicato propõe que, ao receber a notificação de fechamento da escola, a unidade deve convocar a comunidade escolar, em assembleia ampliada, reunindo não apenas pais e professores e alunos, mas também aqueles que ingressariam na escola no ano seguinte, para deliberar sobre a medida, e que façam uma ata da reunião e um abaixo-assinado e protocolem os dois documentos no Ministério Público Estadual (MPE).

http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/202508/Richa-repete-Alckmin-e-fecha-escolas-estaduais.htm

Campanha Salarial 2016: Plenárias em Juazeiro, Brejo Santo, Jaguaribe, Crateús, Tauá e Tianguá. Confira Programação!

16 "Plenárias Regionais APEOC - Campanha Salarial 2016" constróem nossa Campanha de 2016.

Diretores e assessores do Sindicato APEOC participaram, no decorrer de toda semana passada (19-23/10), de seis "Plenárias Regionais APEOC - Campanha Salarial 2016" no interior do Ceará, respectivamente nos municípios de Juazeiro do Norte e Brejo Santo; Jaguaribe e Crateús; Tauá e Tianguá - tais Plenárias tem por objetivo principal construir, coletivamente, nossa Campanha Salarial 2016, através da interação com os profissionais da educação (debate e registro de idéias e proposições) de todo o estado do Ceará.

As três primeiras "Plenárias Regionais APEOC" ocorreram dia 21/10: a primeira, no Centro Educacional de Referência Almirante Ernani Vitorino Silva, Av. Castelo Branco, s/n - Santa Teresa, Juazeiro do Norte; a segunda, na sede do Liceu José Teles de Carvalho, em Brejo Santo; e, a terceira, nas dependências da Escola de Ensino Estadual Profissionalizante Poeta Sinó Pinheiro, em Jaguaribe.

Outras três Plenárias ocorreram dia 23/10, sexta-feira, em Tauá, Crateús e Tianguá. A primeira, em Tauá, na sede da Escola Liceu de Tauá Lili Feitosa, Rua Jornalista Hélder Feitosa, Planalto dos Colibris; a segunda, em Crateús, na sede do Colégio Estadual Regina Pacis; e, a terceira, em Tianguá, no auditório da Crede 5, Av. Jaques Nunes, s/n.

Das "Plenárias Regionais APEOC - Campanha Salarial 2016" participaram professores e servidores da educação (efetivos, temporários e aposentados), lotados nos municípios circunvizinhos de cada um dos municípios sede, no caso, de Juazeiro do Norte, Brejo, Jaguaribe, Crateús, Tauá e Tianguá.

É o Sindicato APEOC interagindo com a categoria para construir, coletivamente, nossa Campanha Salarial de 2016.

"Plenárias Regionais APEOC - Campanha Salarial 2016" - Programação (28 e 29/10):

plenarias

"Plenárias Regionais APEOC - Campanha Salarial 2016" - Programação de novembro:

Em novembro, as "Plenárias Regionais APEOC - Campanha Salarial 2016" prosseguem dia 05, às 16h, em Sobral, Itapipoca e Camocim; e dia 06, às 16h, em Fortaleza (Plenária da Região Metropolitana, no Ginásio da Parangaba).

“De frente e ao lado de nossa base, fazendo o debate, recebendo novas filiações, fortalecendo o interior e unindo nossa categoria.
A gente não quer só o Piso, a gente quer o Piso, Carreira e Dignidade!”

Anízio Melo

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Viver Sem Tempos Mortos - Simone de Beauvoir

" A impressão que eu tenho é de não ter envelhecido embora eu esteja instalada na velhice. O tempo é irrealizável. Provisoriamente, o tempo parou pra mim. Provisoriamente. Mas eu não ignoro as ameaças que o futuro encerra, como também não ignoro que é o meu passado que define a minha abertura para o futuro. O meu passado é a referência que me projeta e que eu devo ultrapassar. Portanto, ao meu passado eu devo o meu saber e a minha ignorância, as minhas necessidades, as minhas relações, a minha cultura e o meu corpo. Que espaço o meu passado deixa pra minha liberdade hoje? Não sou escrava dele. O que eu sempre quis foi comunicar da maneira mais direta o sabor da minha vida, unicamente o sabor da minha vida. Acho que eu consegui fazê-lo; vivi num mundo de homens guardando em mim o melhor da minha feminilidade. Não desejei nem desejo nada mais do que viver sem tempos mortos."

Trecho da Peça VIVER SEM TEMPOS MORTOS, inspirada na correspondência de Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre , com Fernanda Montenegro

Música: Humming Chorus

Confira

GOVERNO ALCKMIN ANUNCIA FECHAMENTO DE 94 ESCOLAS

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo informou nesta segunda-feira (26) que 94 escolas da rede serão "reorganizadas", ou seja, serão fechadas e terão de transferir seus alunos para outras unidades próximas.

Do total, 66 unidades ficarão à disposição das cidades para uso de Educação de Jovens e Adultos (EJA), Centro Educacional Unificado (CEU) ou creche. Cerca de 340 mil alunos serão transferidos para outra unidade no próximo ano e 74 mil professores serão afetados. Ainda não foi possível saber quantos temporários serão dispensados.

A proposta prevê um arranjo nas escolas para que tenham apenas um ciclo de ensino (anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do fundamental e ensino médio). Segundo o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, 754 escolas passarão a ter ciclo único – atualmente são 1,5 mil -, o que representa um aumento de 52%. O chefe do Executivo informou, ainda, que, após a reestruturação da rede, 1.197 salas serão fechadas.

De acordo com o secretário de Educação, Herman Voorwald, o ensino fundamental 1 ganhará 54 escolas de ciclo único, passando das atuais 778 para 832; o ensino fundamental 2 terá 360 unidades a mais neste formato (de 206 para 566); e o ensino médio, 340 (de 459 para 799).

O dirigente se baseou em dados do Idesp, principal indicador de qualidade da educação paulista, que aponta que as escolas de ciclo único têm desempenho melhor em todos os ciclos. A melhora na nota é de 5,1% nos anos iniciais, de 10,5% nos anos finais e de 28,4% no ensino médio.

http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/202472/Governo-Alckmin-anuncia-fechamento-de-94-escolas.htm

domingo, 25 de outubro de 2015

Campeonato Cearense C - Alto Santo é o campeão da série c cearense de 2015

Depois das belas campanhas nas disputas da Série C cearense de 2015, Alto Santo x Floresta, decidiram na tarde deste domingo 25, o título do certame.

Em busca do vitória que lhes daria o tão cobiçado troféu, as duas equipes entraram em campo com o mesmo objetivo. Porém jogando em casa, diante de sua torcida no recém inaugurado Estádio Coliseu, o Alto Santo saiu na frente.

Incentivado por seus torcedores facilmente colocou 3 x 0 no placar, envolvendo totalmente o cansado time do Floresta que vinha de uma desgastante partida na última sexta feira no PV, quando vencera o Iguatu, vitória esta, que o colocou na final deste domingo diante do Alto Santo, a equipe que mais pontuou no certame.

Com 3 x 0 no placar, o Alto santos tirou o pé do acelerador e deu uma relaxada, porém o Floresta não estava morto e nos cinco minutos finais marcou dois gols e por pouco não chegou ao empate, o que teria levado a decisão para os penais. Porém no final Alto Santo vence por 3 x 2 e conquista o certame cearense da série C 2015.

 

http://deberlima.blogspot.com.br/2015/10/alto-santo-e-o-campeao-da-serie-c.html

sábado, 24 de outubro de 2015

Pagamento do 13º salário dia 18 de dezembro

“Nós vamos pagar a segunda parcela do 13º salário (50%) no dia 18 de dezembro, conforme o calendário”, declara à imprensa o Secretário da Fazenda do Ceará, Mauro Filho.

A primeira parcela foi paga em julho passado. Ele informou que essa folha custará cerca de R$ 400 milhões, verba já reservada para o cumprimento dessa obrigação legal. Mauro reconheceu que o Ceará tem dificuldades financeiras em razão do cenário nacional, mas se destaca no País porque vem honrando seus compromissos e, principalmente, tendo crédito para adquirir novos empréstimos como o de US$ 105 milhões junto ao Eximbank, em negociação final, em Brasília.

http://www.apeoc.org.br/noticias2/7851-pagamento-do-13-salario-dia-18-de-dezembro.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+apeoc+%28Sindicato+APEOC+-+%C3%9Altimas+Not%C3%ADcias%29

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Ceará perde 2,6 mil professores da rede pública em três anos

Da precariedade na infraestrutura até a desvalorização salarial. A vida de quem opta por lecionar é repleta de desafios sentidos no cotidiano, o que, muitas vezes, motiva a evasão de Professores das salas de aula. No Ceará, de janeiro de 2013 a agosto deste ano, 2.631 Professores saíram da rede pública de Ensino, incluindo Escolas da Prefeitura de Fortaleza e do Governo do Estado do Ceará.

Orçamento do Estado para Educação é de R$ 2,3 bilhões

O número assusta, mas pode ser compreendido por englobar pedidos de exoneração e aposentadorias. Apenas nas Escolas municipais de Fortaleza, segundo dados da Secretaria Municipal de Educação (SME), durante o período mencionado, 192 Professores foram desligados. Já para outros 1.296 chegou a hora de se aposentar. As estatísticas ganham força em 2014, ano em que dos 1.296, um total de 941 se aposentou e 76 se desvincularam das Escolas municipais, por diversas razões.

Nos colégios de nível médio, sob a responsabilidade da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), a situação não é diferente. Com uma rede composta por 705 Escolas com o atendimento de mais de 400 mil Alunos, 243 Professores pediram para sair da rede e, em média, 270 profissionais se aposentaram a cada ano, afirma a assessoria da Pasta. 

O presidente do sindicato da Associação dos Professores de Estabelecimentos Oficiais do Ceará (Apeoc), Anízio Melo, ressalta que os números alarmantes se repetem em todo o Brasil. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), no País, há uma carência de 250 mil Professores para atuar nas salas de aulas, principalmente, na área de ciências.


"A quantidade de profissionais que se forma não é suficiente para atender a demanda. Pelo fator salarial, há muitos abandonos. Houve uma evolução na estrutura das Escolas, mas ela não é universalizada. Em Fortaleza, encontramos situações muito complexas", garante o presidente, que acrescenta a dificuldade de relacionamento com os estudantes em uma sala lotada.

Para muitos, a estabilidade de um concurso público junto ao sonho de uma renda mensal garantida já não são atrativos suficientes para atuar dentro das salas de aula.

Hoje, o Professor que ingressa na rede municipal e está no início de carreira, recebe R$ 14,11 por hora/aula ministrada. Nas Escolas governamentais, o Docente nas mesmas condições ganha R$ 2.840,17, mais auxílio transporte e vale alimentação.

Relato 

A Professora de química Kelly Araújo Leite, aprovada, pela primeira vez, em um concurso público promovido em 2003 pela Seduc não chegou a assumir o cargo que, na época, somava 200 horas mensais, equivalente a dois turnos de trabalho, de segunda-feira a sexta-feira.


Kelly conta que em 2010 resolveu prestar novamente o concurso, desta vez, chegando a assumir. Três meses foi tempo para abandonar o cargo. Lotada em uma Escola no bairro Siqueira, o perigo e as condições inapropriadas determinaram que a mais nova concursada fosse à Pasta pedir exoneração. "Tudo no entorno da Escola era extremamente perigoso. Eu trabalhava de 13h às 22h. Não tinha condições de dar aula, não tinha livro, nem pincel. Eu decidi sair quando um Aluno quebrou a cadeira nas costas de um Professor e outro entrou armado para assistir aula. A Seduc não queria aceitar minha exoneração e alegaram que tinha pouco Professor de Química, mas eu não aguentava mais", conta. Em 2013, a Professora decidiu tentar mais uma vez pela oferta de um melhor salário. Pela terceira vez, foi aprovada. "Agora, trabalho em uma Escola no Montese. Lá tem seus problemas, como a falta constante de pincel e folha de papel ofício, mas a equipe é boa e faz de tudo para dar certo", ressaltou.

Conforme Giovanna França, coordenadora de Gestão de Pessoas, da Seduc, as condições de trabalho nas Escolas mudaram. "Houve uma melhoria das condições de trabalho nas Escolas em ambientes adequados e equipados para as atividades de estudos, planejamento e reuniões de trabalho", ressalta.

Consequências 

O diretor do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Ceará (Sindiute) Wellington Monteiro ressalta que uma das consequências no afastamento dos Professores das salas de aula é o acúmulo de funções para outros funcionários. "O prazo de 15 dias para sair um Professor e entrar outro nunca foi cumprido. Tem turma que fica sem Professor de matemática o ano todo. Mesmo sem ter aula, os Alunos não podem voltar para casa. Essa determinação é correta, mas acaba sobrando para o coordenador pedagógico ter que ficar com a turma. Estamos alertando a Prefeitura para que esse coordenador não se torne um Professor substituto de luxo".


Reconhecendo o déficit de Professores em Matemática, Português e Inglês, a gerente da Célula de Política de Formação de Pessoas da SME, Roberta Batista, afirma que a contratação de Professores temporários supre o problema, parcialmente, já que, de segunda à sexta-feira, há Professores tirando licença. "A gestão Escolar se organiza para não deixar o Aluno voltar para casa. A situação dos coordenadores ficarem em sala diminui substancialmente com a presença dos Professores substitutos, mas não conseguimos zerar essa carência. São problemas que dependem da saúde do Professor naquele dia", conta a gestora.

Dados 

Atualmente, conforme dados da SME, há 8.254 Professores efetivos e 2.824 substitutos nas salas de aulas dos 501 prédios da rede de Ensino pública municipal - inclusas Escolas patrimoniais, Escolas especiais, Creches conveniadas e anexos - com 195.443 Alunos regularmente matriculados. Até agosto de 2015, 342 Docentes estavam afastados por licença. Em maioria, o número se deve à disfonia (alteração ou enfraquecimento na voz), problemas psicológicos, psiquiátricos ou ortopédicos.


Para o presidente da Apeoc, a necessidade do afastamento se deve à ausência de política pública de saúde preventiva para os Docentes. "Quando o Professor vai para a sala de aula, ele vai desconectado das condições de trabalho e sem habilidade para utilização da voz. Eles também acabam se deparando com a violência. São muitos os problemas sociais e não há um suporte nas Escolas", garante o presidente.

A gerente da Célula de Política de Formação de Pessoas da SME assegura que existe um treinamento prático disponibilizado para os Professores que ingressarão na rede. Roberta Batista afirma que antes de assumirem, há uma semana de formação intensiva. "É realizada uma vivência sobre a vida Docente, perfil do Aluno da rede municipal, sala de aula e planejamento. Já em atividade, os Docentes passam por formações mensais", conta a responsável pela célula.

FIQUE POR DENTRO

Governo Federal garante verbas para a Educação
Em setembro de 2013, a presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 12.858, que destina 75% dos royalties do petróleo para a Educação e 25% para a Saúde. O texto ainda prevê que 50% do excedente em óleo do pré-sal também seja voltado para o setor educacional.


A ser cumprido nos próximos dez anos, o Plano Nacional de Educação (PNE) estabelece um conjunto de metas para o setor. Nestes dez anos, 10% do Produto Interno Bruto (PIB) deverão ser destinados à Educação. Atualmente, o setor recebe o equivalente a 5,3% do PIB.

Fonte: Diário do Nordeste

←  Anterior Proxima  → Inicio

Pacatuba Em Foco

Ouça-nos !

Agenda de Jogos da Semana


Taça Fares Lopes
Segunda-Feira, 14, 15h30
Floresta x Caucaia - PV

Campeonato Brasileiro A
Quarta-Feira, 16, 20h00
Fortaleza x Flamengo - Castelão

Campeonato Brasileiro A
Sábado, 19, 17h00
Fortaleza x Grêmio - Castelão

Campeonato Cearense C
Domingo, 20, 15h30
Pacatuba x Verdes Mares - Domingão

Mais Acessadas

Total de Transeuntes

Votar ao Topo