Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

'Musa do veneno', Tereza Cristina será ministra da Agricultura de Bolsonaro

Liderança dos ruralistas, deputada federal do DEM-MS comandou manobras na Câmara para aprovar o "Pacote do Veneno". E deverá dar as cartas também no Meio Ambiente, em caso de fusão das duas pastas

Por Cida de Oliveira

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou na noite de ontem (7) a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) como ministra da Agricultura. Primeira mulher escolhida para compor o primeiro escalão do governo que toma posse em 1º de janeiro, ela recebeu o apelido de Musa do Veneno pelos próprios ruralistas quando em maio, promoveu festa para comemorar a aprovação, em comissão especial, do chamado Pacote do Veneno, projeto que revoga a atual Lei dos Agrotóxicos.

Como presidente da comissão, ela comandou as manobras e "tratoradas" que deixaram o conjunto de leis pronto para votação em plenário, apesar de protestos das mais importantes entidades nacionais e estrangeiras. Até a ONU pediu ao governo brasileiro que arquivasse o projeto que facilita ainda mais as regras do país para o registro, importação, produção, comercialização e utilização desses venenos.

A ruralista, reeleita deputada estadual, preside a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), da qual faz parte o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (PP-RS) e terá papel-chave no comando de políticas que, pelo que tudo indica, vão atender plenamente apenas os interesses doagronegócio que ela representa. 

Se o presidente eleito mantiver a proposta, até agora indefinida, de transformar o Ministério da Agricultura em um superministério que incorporará o Ministério do Meio Ambiente, Tereza Cristina será, na prática, "a raposa que toma conta do galinheiro". 

O desmatamento, que já devorou grande parte do Cerrado, e que avança sobre a floresta Amazônica, serve aos objetivos do agronegócio: ampliar as pastagens e as já extensas áreas de monocultivo de soja, cana e eucalipto. Uma produção que não combina com a preservação da natureza e que passa por cima de direitos de populações indígenas e quilombolas, entre outros povos tradicionais.
Quem financia a Musa?

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o partido Democratas injetou R$ 1,35 milhão na campanha para a reeleição de Tereza Cristina nas eleições de 2018. Na sequência de maiores financiadores aparecem empresários do agronegócio, como Osmar Martignano Junior, que sozinho doou R$ 200 mil. Entre seus negócios está a Elo Agrícola, que tem entre os parceiros a Basf e a Arysta, fabricantes de agrotóxicos e plantas transgênicas, que estão no centro dos interesses pela aprovação do Pacote do Veneno. 

Outro parceiro é Marcos Marinho Lutz, do conselho de administração da Raíz Energia – Raízen, ex-Cosan, que oficialmente doou R$ 100 mil. Maior produtora individual de açúcar e de etanol do país, produz também o biocombustível distribuído nos postos Shell de todo o Brasil. A empresa está entre os maiores financiadores de campanha da ruralista em 2014, conforme o quadro a seguir. 

financiadores.jpg
O presidente do conselho da Raízen e sócio de Lutz em alguns negócios, Rubens Ometto Silveira Mello também é doador de Tereza: R$ 50 mil declarados ao TSE. A cana está entre as culturas com maiores áreas plantadas no país e uma das maiores consumidoras de agrotóxicos. Uma cana transgênica já foi aprovada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio).

A lista inclui ainda outros nomes fortes do setor, como Aluísio de Aguiar, do setor algodoeiro, Celso Griesang, com mais de 30 empresas agropecuárias, e Alexandre Pedro Schenkel, que também atua na produção algodoeira, entre outras.

Schenkel é autor de artigo em que pede ao novo presidente prioridade na revogação dos decretos de demarcação de terras indígenas, quilombolas e de reforma agrária editados no final do Governo Dilma Rousseff, cujo impeachment foi aprovado em massa pela bancada ruralista.

Chama atenção também o patrimônio da nova ministra. Conforme o TSE, os bens declarados em 2018 totalizam R$ 5.160.215,34, um valor 498 vezes maior que o declarado na eleição de 2014, que foi de 10.360,98. Entre seus bens estão terrenos, casas, participação em empresas, títulos de capitalização e outros investimentos. 

O nome mais esperado para ocupar o possível superministério era o também ruralista Jerônimo Goergen (PP-RS), integrante da Frente Parlamentar da Agropecuária e que também integrou a comissão especial do Pacote do Veneno. Indicado pelo presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antonio Nabhan Garcia, Goergen chegou a anunciar que aceitaria o cargo.

jeronimo.jpg

O agrônomo Xico Graziano, outro nome especulado para o posto, também elogiou a escolha por sua conta nas redes sociais. "Adorei! Tereza Cristina é minha colega engenheira agrônoma, competente, educada, pessoa do bem, querida. Nota 10 para Jair Bolsonaro".

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

Votar ao Topo