Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Participe pelo Whatsapp 85 997 097 854

Aécio recebia mesada de R$ 50 mil paga pela JBS por meio de rádio, diz Joesley

O delator e ex-executivo da JBS Joesley Batista afirmou, em depoimento à Procuradoria-Geral da República (PGR), que pagou mesada de R$ 50 mil ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), durante dois anos, por meio da rádio da qual o tucano era sócio. A declaração faz parte de um dos anexos da complementação da delação ao qual o jornal Folha de S. Paulo teve acesso. A defesa do senador afirma que Joesley tenta “forjar mais uma falsa acusação”.

Segundo Joesley, os pagamentos foram um pedido de Aécio para “custeio mensal de suas despesas” e foram pagos por meio da Rádio Arco Íris, afiliada da Jovem Pan em Belo Horizonte, da qual Aécio era sócio. Atualmente, a rádio pertence a irmã do senador, Andrea Neves.

Foram 16 notas fiscais emitidas pela rádio entre 2015 e 2017, atribuídas a “prestação de serviço de publicidade”. Somadas, as notas fiscais acumulam R$ 864 mil. Joesley afirmou não saber se realmente foram prestados serviços de publicidade, mas que pagou a mesada para manter um bom relacionamento com o tucano.

Segundo a reportagem assinada por Reynaldo Turollo Jr. e Camila Matoso, apesar de as notas fiscais registrarem o valor de R$ 54 mil, o empresário cita R$ 50 mil, sem esclarecer a diferença. O primeiro pagamento registrado data de julho de 2015 e vão até junho de 2017, quando a delação da JBS já era conhecida e Andrea e o primo de Aécio, Frederico Pacheco, já haviam sido presos na Operação Patmos.

O advogado de Aécio, Alberto Toron, confirmou, em nota, as transações financeiras entre a rádio e a JBS, mas que o tucano jamais fez pedido de mesada ao empresário. Toron alega ainda a relação entre JBS e Rádio Arco Íris era legal e comprovada pelo contrato, que foi mantido normalmente até o fim, após a delação da JBS.

Leia a íntegra da nota da defesa de Aécio Neves:

A Defesa do senador Aécio Neves considera que se trata de mais uma demonstração da má-fé e do desespero do delator Joesley Batista na tentativa de manutenção do seu extraordinário acordo de delação, atualmente sob risco de ser anulado. O senador jamais fez qualquer pedido nesse sentido ao delator, da mesma forma que, em toda a sua vida pública não consta nenhum ato em favor do grupo empresarial.

O sr. Joesley Batista se utiliza de uma relação comercial lícita mantida entre empresas de seu grupo e um veículo de forte inserção no mercado mineiro para forjar mais uma falsa acusação. Ao dar início à negociação de acordo de delação, delatores se comprometem a suspender qualquer prática irregular. Prova de que o contrato com a emissora foi uma relação comercial legal e desprovida de qualquer conotação pessoal é que o contrato foi mantido normalmente, até a data do seu encerramento.

A afirmação do delator de que não sabia se os serviços teriam sido prestados, demonstra o alcance da sua má-fé, já que bastaria uma consulta ao setor de comunicação das suas empresas para constatar que os serviços foram correta e efetivamente prestados.

A falta de credibilidade e as sucessivas mentiras e omissões praticadas pelo delator levaram a PGR a pedir a rescisão dos benefícios de sua delação e contribuem para desqualificar mais uma mentira desse cidadão, réu confesso de mais de duas centenas de crimes e pelos quais o Brasil espera que ele venha a responder.

Alberto Zacharias Toron

Advogado

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/aecio-recebia-mesada-de-r-50-mil-paga-pela-jbs-por-meio-de-radio-diz-joesley/
←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

Votar ao Topo