Repórter elogia zagueiro ex-traficante: "Coragem de expor passado obscuro" ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares









Seja nosso Parceiro, anuncie na Melhor Calçada Virtual ! Entre em contacto: (85) 988621206

VEM COMIGO !


sábado, 22 de julho de 2017

Repórter elogia zagueiro ex-traficante: "Coragem de expor passado obscuro"

Daniel Leal, do "Diário de Pernambuco", diz que se impressionou com sinceridade de Breno Calixto, ex-integrante de torcida organizada no Ceará e hoje jogador do Náutico

Vestindo a camisa do Náutico desde maio, o zagueiro Breno Calixto encontrou no futebol profissional uma forma de sobreviver. Literalmente. Aos 24 anos, o jogador não esconde o seu passado violento, quando chegou a traficar drogas, integrar uma torcida organizada do Fortaleza e fazer das brigas uma satisfação pessoal. O repórter Daniel Leal, do "Diário de Pernambuco", trouxe à tona detalhes desta faceta de Calixto em uma longa entrevista, marcada pela sinceridade do atleta. Em participação no “Redação SporTV”, Leal destacou que se impressionou com a transparência de Breno. No vídeo acima, confira trechos da reportagem. 

- Em princípio, eu até subestimei o entrevistado. Não esperava que um jogador tivesse tanta coragem de expor um passado tão obscuro quanto o que Breno teve. De fato, ele foi cru nos relatos. Foi um menino que, com 12 anos, já traficava drogas na periferia de Fortaleza. Aos 16, já integrava grupos perigosos. Disse que nunca assaltou, mas era traficante, já era linha de frente da organizada Leões da TUF (do Fortaleza). Ele relata que ir ao estádio e não brigar era a mesma coisa que não ir. É um relato que, vindo de uma torcida para fora e ainda mais se tratando de um atleta profissional, se torna muito mais realista. Uma realidade que vive paralelamente ao esporte - disse.

Breno começou no futebol profissional em 2012, no Corintians-RN. Passou pelo Horizonte, Chapecoense, Mirassol, o próprio Fortaleza, do qual integrou uma torcida organizada, Caxias, Cianorte e Botafogo-SP. O zagueiro lembra que o treinador Bira, do Tricolor cearense, foi um dos que o ajudou a ficar longe da capital do Ceará, para que ele se afastasse das más companhias e das drogas. 

O jogador revelou ter levado tiro em clássico do Fortaleza, brigado com barra de ferro contra torcedores de outros clubes e, inclusive, já ter suspeitado de que poderia ter matado um rival a pauladas. Abandonado pelos pais, o jogador foi criado pela avó e estudou apenas até a 5ª série do fundamental. Ao longo da carreira, Breno viu 12 amigos morrerem.

Frente a um entrevistado com passado tão violento, o repórter Daniel Leal disse que chegou a ter receio de possíveis consequências da entrevista. O jornalista disse que Breno ficou satisfeito com o resultado final da reportagem. 

- Era um temor que eu tinha, porque sempre que vamos fazer reportagem que se relaciona à torcida organizada, sempre temos cuidado especial. Levei para o meu editor, discutimos a pauta com muito esmero, porque qualquer escorrego poderia dar razão a qualquer tipo de ameaça. Graças a Deus não. Breno pediu para que a gente mandasse a reportagem para ele e ficou muito satisfeito. Disse que os companheiros de Fortaleza ligaram e parabenizaram pela coragem de expor – disse. 

O Náutico vive momento delicado na Série B do Brasileirão, dono da lanterna da tabela, com apenas cinco pontos conquistados. A equipe encara o Figueirense, nesta terça-feira, às 21h30, no estádio Rei Pelé, pela 13ª rodada. 

←  Anterior Proxima  → Inicio

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

Mais Acessadas