Moro agora determina: o que não é contra Lula passa a ser “propaganda política” ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

Moro agora determina: o que não é contra Lula passa a ser “propaganda política”

Sergio Moro cruzou o Rubicão em sua cruzada contra Lula e se vê numa posição cada vez mais complicada para provar sua tese a qualquer custo — inclusive da própria missão que se auto outorgou, a de destruir sua nêmesis barbuda.

O juiz paranaense agora determina o que é “propaganda política” em seu processo, como se o que ele mesmo produzisse, com a reverberação da mídia, fosse algo de natureza diferente.

O critério, evidentemente subjetivo, é um só: se for contra Lula, ok. Se não, está vetado. É pós-kafkiano.

A pergunta do advogado Cristiano Zanin Martins ao ministro da Fazenda Henrique Meirelles, ex-presidente do BC na gestão lulista, é absolutamente legítima. Você vê a partir do minuto 11:00 acima. 
 

Na audiência, Martins inquiriu o depoente se achava que o governo Lula “Lula trouxe benefícios ao País e não foi um governo que tenha buscado benefícios pessoais para os governantes e pessoas do alto escalão”.

Moro indeferiu a questão.

“A impressão é que a defesa está fazendo propaganda política do governo anterior. Isso não é apropriado”, afirmou. Para o magistrado, a resposta seria uma “opinião” e não um “fato”.

Ora, quem começou essa confusão entre uma coisa e outra foram Sergio Moro e os herois da Lava Jato.

Meirelles já havia contado que nunca vira “algo ilícito” e que sua relação com Lula “era totalmente focada em assuntos relativos ao Banco Central e à política econômica”.

Ou seja, Moro se antecipou.

Se foi assim com Meirelles, como será com as próximas testemunhas? Haverá um manual?

A defesa arrolou os nomes de Fernando Henrique Cardoso, Stefan Löfven (ex-premiê da Suécia), François Hollande e Nicolas Sarkozy.

Eles também serão impedidos de falar o que Sérgio Moro não quer ouvir?

O que o país está assistindo não tem mais nada a ver com Justiça, mas Moro vai prosseguir até ser avisado por seus patrocinadores de que bateu no muro. Isso não é propaganda política.

É fato.

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/moro-agora-determina-o-que-nao-e-contra-lula-passa-a-ser-propaganda-politica-por-kiko-nogueira/
←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SERIPAN

RADIOSNET