Eunício deve à Previdência, aos bancos públicos e lidera o fim de direitos — Só no Brasil dos golpistas ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

Eunício deve à Previdência, aos bancos públicos e lidera o fim de direitos — Só no Brasil dos golpistas

i) Eunício Oliveira e sua empresa Confederal devem R$ 8,478 milhões em dívidas com a Previdência Social — à União. Este sujeito que participou de golpe de estado contra a presidente Dilma Rousseff é quem vai fazer as "reformas" previdenciárias, ou seja, junto com seus parceiros de sedição irão escravizar os trabalhadores e os aposentados brasileiros.

ii) Eunício Oliveira é o "Índio", apelido que consta na lista e nas delações dos executivos da Odebrecht.

iii) Cadê os juízes e procuradores varões de Plutarco, da moral e dos bons costumes udenistas e golpistas?

Eunício Oliveira é, conforme comprovam suas declarações à Justiça Eleitoral, o segundo senador mais rico da República. O senador do PMDB do Ceará é atualmente o presidente do Senado, além de ser genro de Paes de Andrade, político antigo, ex-presidente da Câmara dos Deputados e um dos coronéis do Ceará, Estado da Federação pródigo em coronelismo político, econômico e social, a ter como exemplo fidedigno o senador Tasso Jereissati (PSDB) e o próprio Eunício Oliveira, além dos já históricos coronéis que dominaram a paisagem política cearense durante décadas, a exemplo dos governadores Adauto Bezerra, César Cals e Virgílio Távora.

Os políticos conservadores governaram o Ceará sob as bençãos da ditadura civil-militar, quando sacramentaram o "Acordo dos Coronéis", que viabilizou a eleição de Gonzaga Mota para governador. Na verdade, tratava-se de três grupos oligárquicos que se revezaram, entre os anos 1960 e 1980 no Palácio da Abolição, sede do governo estadual. Não demorou muito, os três coronéis romperam o acordo firmado e cada oligarquia foi tratar de suas vidas e de seus interesses políticos e econômicos, porque o social nunca fez parte do dicionário da direita brasileira, a proprietária da casa grande e que até os dias de hoje continua a dar golpes de estado e a fazer molecagens contra os trabalhadores e a Nação.

Contudo, o assunto deste artigo é o "sortudo" e "competente" Eunício Oliveira, mais um dos grandes capitalistas deste País de terceiro mundo e, com efeito, atrasado, que vive a enriquecer sob o guarda-chuva do Estado Nacional e dos contribuintes, porque é evidente que os inúmeros contratos milionários de suas empresas são firmados com órgãos, corporações e instituições públicas, desde ministérios, a exemplo do Ministério da Saúde, a bancos, como o Banco Central, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, além do DNIT.

A maioria dos contratos expiram no ano de 2019, quando, convenientemente, termina o mandato do senador. Eunício não dá ponto sem nó. Trata-se de um grande empresário, que atua principalmente nas áreas do agronegócio e da terceirização de serviços por intermédio das empresas Confederal (transporte de valores, vigilância, limpeza etc.), da Corpvs e da Manchester. Só que tem um problema que para o Brasil dos golpistas e usurpadores não é problema, porque nestas bandas vale tudo, não há lei e a bagunça propositalmente é estabelecida, bem como generalizada. Como dizia o poeta Cazuza: "Transformam o País inteiro {golpe} num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro!"

Só que eu ainda não disse qual é o real problema. Então, vamos lá: De acordo com Constituição, os parlamentares (deputados e senadores) não podem realizar negócios ou contratos com o poder público. Porém, especialistas no assunto afirmam que as empresas de Eunício são exceção, por causa do tipo de serviço, mas é obrigatório que o proprietário das empresas se afaste de suas administrações, pois sua participação é vedada ou proibida. Bingo!

É assim: todo mundo é idiota ou burro ou ingênuo ou nasceu ontem ou veio do espaço sideral e, por ser extraterrestre não entende e compreende bulhufas sobre como as sociedades e os donos do poder beneficiam seus privilegiados. Até hoje não compreendo o porquê disso, mas desconfio que gente como o Eunício Oliveira et caterva devem ter acesso direto com Deus, que os ama profundamente, muito mais do que qualquer indivíduo dos estratos populares da sociedade. Por isto que temos miseráveis, muito pobres e pobres de montão. Deus não os ama, por considerá-los burros, feios, incompetentes, preguiçosos e... idiotas.

Só pode ser isto, porque é evidente que o senador do Ceará é dono das empresas e seus contratos bilionários com o poder público tem sua influência, afinal Eunício Oliveira tem muito poder, pois é um dos caciques do PMDB nacional, foi ministro de Estado, líder de governo e hoje é o presidente do Senado e, consequentemente, do Congresso.

Além do mais, o presidente da República, o golpista *mi-shell temer, mesmo a ser um fantoche de banqueiros e de empresas transnacionais, era o vice-presidente e, evidentemente, que esses homens que tomaram o poder de assalto, a exemplo também de Eunício Oliveira, olham e cuidam com muito carinho de seus próprios negócios, afinal a direita luta pelo poder para quê? Mesmo "afastado", quem manda nas empresas de Eunício é o Eunício. Ora bolas!

A Constituição é letra morta, pois foi prostituída, desmoralizada e rasgada por golpistas que se aboletaram como ratos no Palácio do Planalto. Ninguém liga para a Constituição. Ninguém a leva a sério, a começar pelos juízes, procuradores e delegados. Se os operadores do Direito e das leis estão pouco a se lixar, não serão os empresários do porte de Eunício Oliveira, um grande capitalista, que vão se doer ou se preocupar se o Brasil retornou ao século XIX ou à era pré-getuliana.

Eunício Oliveira é exemplo real ou fidedigno da direita brasileira. Veja bem: não somente ele, mas o cito porque o senador e apoiador de golpe terceiro-mundista contra uma presidente constitucional e legítima, que não cometeu crimes, está à frente de toda covardia e perversidade que ocorre no Brasil, que significam o desmantelamento dos direitos sociais, políticos e previdenciários do povo brasileiro e seus milhões de trabalhadores e aposentados, sendo que a maioria é pobre ou remediada.

Eunício é o cara que, como presidente do Senado, vai tocar a entrega da previdência pública aos bancos privados, bem como deve estar muito feliz com a terceirização total dos cargos e empregos, tanto na iniciativa privada quanto na pública. Afinal, ele é um dos maiores empresários no ramo de terceirização. É deplorável a que ponto chegou este País: a raposa a cuidar do galinheiro. Eunício é o dono de várias empresas, que compõem a holding Remmo Participações. O senador tem 99% do controle acionário, segundo sua declaração de bens à Justiça Eleitoral.

Entretanto, o que chama a atenção no Brasil e no mundo racional, ponderado e que tem discernimento de perceber que neste País de "elites" atrasadas, que consideram avanço o retrocesso e comemoram olhar o futuro pelo espelho retrovisor, é que esses golpistas e usurpadores do poder central agem como se nada tivesse acontecido, a fazer, cinicamente e hipocritamente, cara de paisagem. Trata-se de escárnio e deboche. Em um país sério seriam presos ou fuzilados. E por quê? Porque não foi o programa e as propostas de governo deles que foram aprovadas pela maioria dos eleitores.

Estão a implementar no Brasil políticas neoliberais radicais, ao ponto de se tirar tudo da população, destruir a indústria nacional e desmontar o estado brasileiro. São traidores da Pátria, do povo e dos interesses mais importantes e estratégicos do Brasil em todos os segmentos, setores e ramos. É inacreditável e assombroso, pois um pesadelo que parece não ter fim, pois reflete a violência e o desprezo da casa grande escravocrata deste País azarado e atrasado.

Essas pessoas que tomaram o Palácio do Planalto de assalto cometem crimes de lesa-pátria e contra a humanidade, com o beneplácito e a cumplicidade do Judiciário, o que se torna um horror e terror, porque quando juízes, procuradores e delegados escolhem lado, realmente e sem sombra de dúvida, percebe-se nitidamente que o Brasil já vive em uma ditadura civil-empresarial ou jurídico-parlamentar.

A verdade é que quem está a mandar, sem a legitimidade das urnas, são os políticos e os partidos de direita, os empresários, o Judiciário e a classe média coxinha ignorante e analfabeta política, que vai às ruas apoiar a Lava Jato ao tempo que, como se fosse mentalmente celerada, não luta pela queda do governo de *mi-shell *temer, que está a tirar seus direitos previdenciários e trabalhistas, além de combater, pasmem, a Lava Jato, que os coxinhas tanto admiram e se equivocam. *temer e camarilha de lobos devem rir até doer o estômago da burrice e da idiotice dos coxinhas alucinados e violentos.

Todavia, Eunício Oliveira está com a faca e o queijo na mão. É a vitória dos empresários neoliberais e fundamentalistas do mercado. Dos empresários da plutocracia, mas colonizados, submissos e servis aos interesses do governo dos Estados Unidos e de suas empresas transnacionais. O Judiciário, como fizeram os militares de 1964 e como dizia Brizola, segura a vaca para a casa grande mamar à vontade, a transformar o pequeno estado de bem-estar social em um estado diminuto mas patrimonialista, que atende e somente atende às demandas e os interesses da grande burguesia. É o que acontece. Ponto.

Eunício vai "reger" a privatização da Previdência Social. Vai cooperar e muito para que as riquezas coletivas do povo brasileiro sejam canalizadas diretamente para os cofres da iniciativa privada nacional e estrangeira. Tais bárbaros ou selvagens não pensam o País, se recusam a desenvolver o Brasil e negam há séculos a emancipação total do povo brasileiro. Agem e atuam como escravocratas do século XXI e se tornam, irremediavelmente, algozes da Nação perante a história.

Golpistas são criminosos porque tomam o poder sem a autorização do voto. Por causa disto são autoritários e violentos, porque sabem e compreendem que não precisam dar satisfação a ninguém, nem à plutocracia, se ela encher o saco, e muito menos ao povo. Por isto que retiram direitos conquistados há décadas pelo povo brasileiro. Vivem em um mundo paralelo, mas sabem contar dinheiro para seus bel-prazeres, sempre em dissonância com as realidades apresentadas pela verdade dos fatos e dos acontecimentos.

Não se importam com nada porque são isolados como as ilhas, e contam com um sistema de segurança poderoso, de tal forma que podem e se sentem à vontade para cometer quaisquer crimes até mesmo contra a segurança nacional, pois o que importa é o lucro e que o próximo governo popular e de esquerda, se um dia for eleito, não tenha condições de trabalhar em prol do País, porque o Estado ficou mínimo e sem força e poder para realizar políticas públicas desenvolvimentistas, além de fiscalizar e mediar conflitos e interesses não confessáveis de grupos econômicos hegemônicos e monopolistas, assim como useiros e vezeiros em derrubar governos trabalhistas desde 1945.

Então, para finalizar, informemos ao senador golpista Eunício Oliveira, que jamais em sua medíocre carreira política apresentou projeto de lei que beneficiasse a população brasileira ou os trabalhadores, além de ser considerado um péssimo patrão à frente de suas empresas, que a Previdência Social é viável e superavitária. O resto é embuste, mentira e farsa para privatizá-la e, por conseguinte, os banqueiros mamarem em suas fartas tetas.

Então vamos lá: Segundo a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, o déficit da Previdência Social é de R$ 149,7 bilhões no ano de 2016. Entretanto, os grandes devedores da Previdência devem a "bagatela" de R$ 426,07 bilhões, ou seja, a sonegação é três vezes maior do que o déficit tão propalado para que os representantes da burguesia que tomaram o poder de assalto privatizem a previdência pública.

Segundo a Procuradoria, existem mais de 500 nomes entre empresas privadas e públicas, além de fundações, governos municipais e estaduais. Todos devem e não pagam a dívida ao Regime Geral da Previdência Social. O coordenador-geral da Dívida Ativa da União, Cristiano Lins de Moraes, afirmou, isento de dúvidas: "Tem débitos de devedores de vários tipos, desde um pequeno a um grande devedor, e entre eles há muita variação de capacidade econômica e financeira. Também há algumas situações de fraude, crimes de sonegação e esquemas fraudulentos sofisticados. Às vezes, um devedor que aparenta não ter movimentação financeira esconde uma organização que tem poder econômico por trás dele".

Todo mundo sabe quem deve, mas até agora só foi resgatado pelo poder público 1% do que é devido pelos estados, municípios e empresas de grande e pequeno portes, ou seja, apenas R$ 4,150 bilhões. Trata-se de uma geleia geral e, obviamente, de escárnio, ousadia e nenhum respeito pela sociedade brasileira. São crimes graves cometidos e fica tudo como dantes no quartel de Abrantes.

É a bagunça e a total e generalizada, que coopera, sem dúvida, para a falta de identificação nacional e com o País por parte da burguesia e da pequena burguesia colonizadas e portadoras de um retumbante e inenarrável complexo de vira-lata. Este País é apenas um amontoado de muita gente que vive em um espaço geográfico gigantesco, mas nunca será realmente uma Nação. Jamais! Neste País existem grupos sociais que têm imensa dificuldade de se identificar com sua própria cultura. São alienígenas irrefragavelmente colonizados. E não é necessário explicar ainda mais, não é?

Senador Eunício Oliveira, tome a lista de alguns dos muitos devedores e veja o que vossa excelência, como um megaempresário de pendores golpistas pode fazer em prol do interesse público:

1) Varig - R$ 3,713 bilhões;

2) Vasp - R$ 1,683 bilhões;

3) Banco do Ceará - R$ 1,418 bilhão;

4) TV Manchete - R$ 336 milhões (PS: todas empresas acima estão falidas, mas seus herdeiros e executivos estão vivos e bem vivos);

5) Vale do Rio Doce - R$ 275 milhões;

6) JBS (Friboi) - R$ 1,8 bilhão (PS: o ministro golpista e que "genialmente" afundou a economia, Henrique Meirelles, era conselheiro da JBS);

7) CEF - R$ 549 milhões;

8) Bradesco - R$ 465 milhões;

9) Banco do Brasil - R$ 208 milhões;

10) Itaú/Unibanco - R$ 88 milhões; e

11) Eunício Oliveira/Confederal - R$ 8,478 milhões.

Existem milhares e milhares de empresas sonegadoras e políticos coniventes com seus crimes. Por isto que este País é o paraíso de golpes de estado de todo tipo e espécie, com um povinho de classe média cúmplice daqueles que ferram seus direitos civis. Sandice da classe média conservadora contra si, seus filhos e netos. Vítima a favor do algoz. Síndrome de Estocolmo coletiva. Surreal.

Empregado (classe média) ser parceiro de patrão golpista e que aceita manso como um boi velho e castrado ter seus direitos previdenciários e trabalhistas extintos, além de ser conivente com a entrega das estatais brasileiras a preço de banana por parte de patifes desprovidos de votos e de autoridade, que tomaram o poder de assalto como fazem os bandidos em ruas, comércios e residências é verdadeiramente o fim da picada. Injustificável.

Recolheram-se às suas ignorâncias e insignificâncias, sendo que os políticos que os coxinhas ajudaram a colocar no poder estão a dar-lhes uma sonora e retumbante banana. Eunício Oliveira está de boa, em um paraíso deslumbrante para os que se locupletam com a riqueza produzida por milhões de trabalhadores, porque sem trabalhador para explorar não haverá capital e, com efeito, não existirão capitalistas como o senhor Eunício — um dos coronéis do Ceará e do Brasil.

Os negócios do senador cearense com o Governo Federal chegam a quase R$ 1 bilhão, em contratos com bancos estatais, evidentemente. A iniciativa privada tão badalada pelos especialistas e economistas de prateleiras da Globo e de outros veículos de comunicação, ou seja, os bancos privados jamais emprestariam ou assinariam contratos com as empresas do Eunício Oliveira nesses valores. É por aí: o estado é uma porcaria, conquanto NÃO atenda os interesses da casa grande.

A verdade é que o Estado é uma "porcaria" quando o governante, ainda mais se for trabalhista, resolve desenvolver o País e dar acesso aos pobres a uma vida de melhor qualidade. A iniciativa privada, os empresários e os ricos a-do-ram o Estado, desde que seja patrimonialista e alimente seus benefícios e privilégios. Não é mesmo, Eunício? E a Previdência Social vai para o beleléu. Eunício é o Índio da Odebrecht. Viva o Brasil! É isso aí.

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SERIPAN

RADIOSNET