Empresa do presidente do Senado é alvo da Lava Jato ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

Empresa do presidente do Senado é alvo da Lava Jato


Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão na sede da Confederal, uma das maiores empresas de transporte de valores do país, e na casa do atual presidente da companhia. Ações miram pessoas ligadas a senadores do PMDB e do PT


Uma das maiores empresas de transporte e vigilância de valores do país, a Confederal, fundada pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), é um dos alvos da etapa deflagrada nesta terça-feira (21) da Operação Lava Jato, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Policiais federais cumprem mandado de busca e apreensão na residência do presidente da companhia, Ricardo Augusto, e na sede da empresa em Brasília.

As ações desta manhã alcançam pessoas ligadas a quatro senadores: além de Eunício, Renan Calheiros (PMDB-AL), Valdir Raupp (PMDB-RO) e Humberto Costa (PT-PE). Ao todo são cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em Brasília, Recife, Salvador, Maceió e Rio.
“Esta é a primeira vez em que são utilizadas informações dos acordos de colaboração premiada firmados com executivos e ex-executivos da Odebrecht. Os acordos foram homologados pelo STF em janeiro deste ano”, informa a Polícia Federal.

Em delação premiada, o ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho afirmou que a construtora pagou R$ 7 milhões a parlamentares para garantir a aprovação de uma medida de interesse do grupo. Um dos beneficiários, segundo ele, é o atual presidente do Senado, chamado pelo apelido de “Índio” nas planilhas da Odebrecht. Eunício tem patrimônio declarado de R$ 99 milhões.

O senador alega que está afastado da gestão das empresas de seu grupo desde 1998, quando foi eleito deputado federal pela primeira vez. Na declaração de bens que entregou à Justiça eleitoral em 2014, Eunício informou ter se desfeito de 98,3% da participação na Confederal Vigilância e Transporte de Valores Ltda., equivalente a um capital de R$ 7,7 milhões.

Recife

Já em Pernambuco, o principal alvo é o empresário Mário Barbosa Beltrão, amigo do senador Humberto Costa. Policiais cumprem mandado de busca e apreensão no apartamento do empresário na Praia de Boa Viagem, em Recife.

Em sua delação premiada, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que o senador recebeu R$ 1 milhão do esquema de corrupção na estatal para a campanha de 2010. O dinheiro, segundo ele, foi solicitado por Beltrão. Humberto e o empresário negam.

Beltrão também é apontado pelo ex-gerente da Petrobras Carlos Alberto Ferreira como arrecadador da campanha de Humberto ao governo de Pernambuco, em 2006. Segundo ele, os repasses do esquema de corrupção foram de R$ 14 milhões para o petista, por meio da Schahin Construtora e da Odebrecht. Eles também negam a acusação.

Por meio de nota enviada à imprensa, a defesa do senador Eunício Oliveira afirmou que as doações à sua campanha, em 2014, ao governo do Ceará, foram realizadas na forma da lei e disse que as apurações seguem “o caminho natural do rito processual”. Também por meio de nota, o senador Humberto Costa disse que “está certo de que a ação de hoje vai corroborar a apuração realizada até agora, que aponta para o teor infundado da acusação e da inexistência de qualquer elemento que desabone a sua vida pública”.

Nota do senador Humberto Costa

“Sobre a fase da Operação Lava-Jato realizada nesta terça-feira (21), o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), esclarece que a Polícia Federal já solicitou o arquivamento do inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) por não encontrar qualquer evidência de irregularidade ao longo de dois anos de extensa investigação.

O senador – que tem contribuído com as autoridades em todos os esforços necessários à elucidação dos fatos – está certo de que a ação de hoje vai corroborar a apuração realizada até agora, que aponta para o teor infundado da acusação e da inexistência de qualquer elemento que desabone a sua vida pública.

Por fim, o senador Humberto Costa reitera que sempre esteve e continua à disposição para quaisquer informações adicionais de que necessitarem a Polícia Federal, a Procuradoria-Geral da República e o Supremo Tribunal Federal e espera que o inquérito em tela possa, finalmente, ser concluído”.

Nota da defesa do senador Eunício Oliveira:

“A propósito das buscas e apreensões realizadas hoje (21), supostamente decorrentes de delações premiadas, o presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (PMDB-CE), tem a informar:

- No ano de 2014, durante o processo eleitoral, autorizou que fossem solicitadas doações, na forma da lei, à sua campanha ao Governo do Estado do Ceará.

- O pedido de abertura de inquéritos no Supremo Tribunal Federal, destinados a apurar versões de delatores, cujos conteúdos desconhece, é o caminho natural do rito processual.

- O senador tem a convicção que a verdade dos fatos prevalecerá.

Aristides Junqueira Alvarenga

Advogado – OAB-DF 12500”

Nota da PF sobre a operação:


“A Polícia Federal, em conjunto com a Procuradoria-Geral da República, deflagrou hoje, 21, a Operação Satélites*, nova fase da Operação Lava Jato autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).Estão sendo cumpridos 14 mandados em 13 endereços nas cidades de Brasília/DF, Maceió/AL, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ e Salvador/BA. O objetivo é investigar indícios dos crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Esta é a primeira vez em que são utilizadas informações dos acordos de colaboração premiada firmados com executivos e ex-executivos da Odebrecht. Os acordos foram homologados pelo STF em janeiro deste ano.

Trata-se da 7ª fase da Operação Lava Jato que apura o envolvimento de pessoas com prerrogativa de foro junto ao STF. Outras três foram realizadas em 2015, duas em 2016 e uma em fevereiro deste ano.

DISCRIMINAÇÃO DOS MANDADOS

Pernambuco (5), Rio de Janeiro (3), Bahia (2) e Alagoas (2), além do Distrito Federal (2)”

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SERIPAN

RADIOSNET