JOSÉ YUNES - Citado em delação da Odebrecht, assessor especial de Temer pede demissão ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

JOSÉ YUNES - Citado em delação da Odebrecht, assessor especial de Temer pede demissão

Amigo pessoal de Michel Temer há 50 anos, Yunes afirmou que a decisão busca preservar sua dignidade


O assessor especial da Presidência da República, José Yunes, entregou carta de demissão na tarde desta quarta-feira, 14. Amigo pessoal de Michel Temer (PMDB) há 50 anos, ele foi citado em delação de Cláudio Melo Filho, ex-executivo da Odebrecht.

Na carta, Yunes afirma que a decisão foi tomada para preservar sua dignidade diante das denúncias do empreiteiro. "Repilo com a força de minha indignação essa ignominiosa versão", diz. Foi a primeira baixa do governo Temer seguindo o acordo de delação da Odebrecht.

"Nos últimos dias, senhor presidente, vi meu nome jogado no lamaçal de uma abjeta delação, feita por uma pessoa que não conheço, com quem nunca travei o mínimo relacionamento e cuja existência passei a tomar conhecimento, nos meios de comunicação, baseada em sua fantasiosa alegação, pela qual teria eu recebido parcela de recursos financeiros em espécie de uma doação destinada ao PMDB", diz a carta.

Elementos de prova

Na delação em que cita Yunes e Temer, Cláudio Melo diz que possui "elementos relevantes" de prova, como ligações telefônicas. O ex-executivo destaca que possui registros que podem levar a investigação "muito além daquilo que o simples acesso ao sistema (de pagamentos) da empreiteira pode permitir".

Melo Filho afirmou, em anexo entregue ao Ministério Público Federal, que o presidente Michel Temer pediu "apoio financeiro" para as campanhas do PMDB em 2014 a Marcelo Odebrecht, que se comprometeu com um pagamento de R$ 10 milhões.

O ex-executivo detalha um jantar com Temer no Palácio do Jaburu, no qual estiveram presentes Temer, Marcelo Odebrecht e Padilha. Segundo o delator, Temer solicitou "direta e pessoalmente para Marcelo, apoio financeiro para as campanhas do PMDB no ano de 2014".

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SOARTE

RADIOSNET