FHC emprestou 1 bilhão a Globo via BNDES ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

FHC emprestou 1 bilhão a Globo via BNDES

O BNDES, maior banco de fomento do País, anunciou na terça-feira 12 a operação de capitalização da Globocabo, principal empresa nacional de tevê por assinatura, que carrega uma dívida de R$ 1,6 bilhão, dos quais R$ 514 milhões vencem já em 2002. A companhia terá um aporte de R$ 1 bilhão. Dos cofres do banco virão R$ 284 milhões. Nesse negócio, há alguns fatos que merecem ser analisados:

Embora tenha apenas 4,8% das ações da Globocabo, o banco decidiu oficialmente entrar com 28,4% dos recursos do aumento de capital. Só que a conta real sobe para 40,8%, pois uma parcela de R$ 305 milhões que deveria sair da Globo, maior acionista da empresa, não vem em dinheiro. Trata-se de uma manobra contábil. A Globo tinha em seu balanço esse valor contabilizado a título de expectativas de ganhos futuros da Globocabo. Foi isso o que se transferiu à operadora de tevê por assinatura.

A Globocabo anunciou em 2001 um prejuízo de R$ 700 milhões. Foi a sétima perda em sete anos consecutivos. Em toda a sua história, a empresa só teve lucro em um trimestre e, mesmo assim, de R$ 1,4 milhão. No ano passado, mais uma vez, a base de clientes caiu. Passou de 1,47 milhão para 1,28 milhão.

O BNDES não possui qualquer política de financiamento destinada a empresas de mídia. A Bandeirantes e o SBT já tentaram obter recursos e receberam a informação de que o banco não opera nesse setor. A Globocabo não é exatamente do ramo de comunicação, mas sua controladora é.

O Brasil está há seis meses das eleições.

Diante dos fatos que ocorreram, as reações, naturalmente, foram negativas. A Bandeirantes escalou seu vice-presidente, Antônio Teles, para comentar a operação. Por que o BNDES tem que socorrer uma empresa insolvente ?, indagou. É um escárnio e um espanto que isso tenha acontecido a poucos meses das eleições. Na Abril, que concorre diretamente com a Globo no mercado de tevê por assinatura, a primeira reação do presidente Roberto Civita foi a seguinte: Se for assim, eu também quero. O Bispo Rodrigues, coordenador da bancada evangélica na Câmara dos Deputados e dos interesses da Record, foi duro. Por que a sociedade deve emprestar tanto dinheiro a uma empresa privada ?

O BNDES logo tratou de defender a operação, mas deixou dúvidas. Seu presidente, Eleazar Carvalho, que um dia antes do anúncio havia dito que o banco não é hospital de empresas, afirmou que a injeção de recursos foi a única forma de preservar o que BNDES já investiu na Globocabo. Mas de acordo com a consultoria Economática, o valor de mercado da Globocabo é hoje de R$ 1,8 bilhão. Os 4,8% do BNDES, portanto, valeriam menos de R$ 90 milhões. Para preservá-los, o banco ofereceu R$ 284 milhões à Globocabo. O mercado financeiro também reagiu mal. As ações da empresa caíram 9,8% um dia depois do anúncio da operação e já acumulam um tombo de 60% em um ano. Os indicadores da Globocabo são piores do que os das outras empresas de tevê por assinatura que atuam no Brasil?, disse à DINHEIRO Matthieu Coppet, analista do banco suíço UBS em Nova York.

Apenas como comparação, é interessante perceber o comportamento de um outro acionista, que tem uma parcela maior do que o BNDES na Globocabo. A Microsoft, com 7,5% da empresa, já decidiu que não entrará no aumento de capital. Deixará sua participação acionária ser diluída. Comenta-se, no mercado financeiro, que a avaliação da Microsoft, que pertence a Bill Gates, o homem mais rico do mundo, é que a Globocabo não tem mais como prosperar. A associação só interessou enquanto se imaginou que haveria sinergias entre o negócio de tevê a cabo e a internet.

O diretor-geral da Globocabo, Luiz Antônio Viana, diz que ainda não há uma destinação definida para o aporte de R$ 1 bilhão. Segundo ele, nem tudo será usado para pagar as dívidas. O dinheiro não será carimbado, afirmou. É uma montanha de dinheiro e pretendemos comer este elefante aos bifes

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

SERIPAN

Ir para o Topo