O Brasil está sofrendo uma agressão imperialista comparável às guerras contra o Iraque e a Líbia ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

O Brasil está sofrendo uma agressão imperialista comparável às guerras contra o Iraque e a Líbia


Charge: Vitor Teixeira 

Apontar para a cabeça da besta

Por Fernando Rosa, em seu blog

Os últimos discursos de Lula foram corretos ao defender as instituições, a legalidade, o papel do PT e os seus governos. É inegável que o Brasil mudou nesses últimos anos, cresceu, incluiu e afirmou sua soberania. O mundo, ou boa parte dele, sabe disso e por isso organiza a campanha #Standwithlula. No entanto, nesse momento, se isso fortalece em parte a defesa, por outra é insuficiente para enfrentar o inimigo.

O problema é que não estamos vivendo uma disputa qualquer pelo poder no país, entre partidos, ou projetos. A mídia, as organizações partidárias, as instituições policiais e do judiciário, capturadas, funcionam como “mariners” de aluguel. A Operação Lava Jato é o Cavalo de Tróia da destruição da democracia e da economia. O seu juiz viaja aos EUA antes de cada decisão adotada para atacar os interesses nacionais.

A presidenta Dilma foi cassada em um julgamento sem provas e o mesmo ocorrerá com o ex-presidente Lula. Não existe mais Lei, mas sim uma ditadura de classe, com sua versão parcial, cruel e vingativa dos fatos. Nada diferente das ditaduras tradicionais, nas quais as leis e as instituições não importam. A apresentação “convicta mas sem provas” dos procuradores na semana passada simboliza essa realidade.

O Brasil está sofrendo uma agressão imperialista comparável às guerras contra o Iraque e a Líbia. É uma guerra de destruição, que pretende inviabilizar o Brasil como Nação soberana. Atacam a infraestrutura, promovem a destruição da indústria e paralisam a Defesa Nacional. Querem afastar o Brasil do BRICS, do Mercosul, romper com o multilateralismo e transformar o país em uma “colônia americana”.

Mas querem mais do isso, apostam em “liquidar” com qualquer pretensão de independência nacional. Condenaram o Almirante Othon para inviabilizar o submarino nuclear e meteram a parcela nacional e produtiva da burguesia na cadeia. Apostam em prender o ex-presidente Lula e, se possível, assassiná-lo para cortar o mal pela raiz. E também extinguir o PT e, com ele, marginalizar todas as organizações de esquerda do país

Já não basta defender, é preciso atacar, e isso exige identificar quem são os verdadeiros inimigos da Nação. Para isso é preciso perceber quem comanda e quais são os objetivos do golpe de Estado. O golpe é americano, ou seja, é dirigido por uma inteligência externa e atende aos seus interesses. As evidências saltam aos olhos desde os primeiros passos, nos idos de 2013. Ou até mesmo antes, quando das escutas da NSA e dos e-mails vazados pelo Wikileaks.

É preciso ajustar os caminhos da luta nesse momento, apontar as nossas armas para a cabeça da besta. O nível de luta em curso impõe construir, rapidamente, uma ampla frente política – popular, nacional e patriótica. Mas uma frente que tenha juventude, mulheres, trabalhadores, padres, empresários e militares. Capaz de expressar um Projeto Nacional, que dê rumo ao país. É difícil isso agora, mas alguém precisa começar.
 
←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SERIPAN

RADIOSNET