Benefícios do “Bolsa Empresário” são poupados do contingenciamento ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

Benefícios do “Bolsa Empresário” são poupados do contingenciamento

Programas que oferecem subsídios financeiros e desonerações tributárias ao setor produtivo sofreram pouco impacto nas medidas econômicas apresentadas pela equipe do novo governo
 
Se por um lado o governo do presidente Michel Temer se esforça para mobilizar sua base para o segundo turno de votação da PEC 241, que limita os gastos públicos da União por 20 anos, por outro, o tom do contingenciamento fica mais suave para os empresários. Análise feita pelo jornal Folha de S.Paulo constatou que os programas que oferecem subsídios financeiros e desonerações tributárias sofreram pouco impacto nas medidas econômicas apresentadas pela equipe do novo governo.

A chamada “Bolsa Empresário” – nome informal para o conjunto de iniciativas que beneficiam a categoria – deverá custar R$ 224 bilhões aos cofres públicos no próximo ano (ou 3,4% do Produto Interno Bruto do país). A proposta de Orçamento para 2017 encaminhada pelo governo ao Congresso revela que as medidas de apoio à indústria devem consumir o equivalente aos gastos efetuados pela ex-presidente Dilma Rousseff, mais a correção pela inflação.

A gestão da petista era alvo de críticas por parte de opositores que consideravam desmedido o apoio bilionário ao setor produtivo, e apontavam essa opção política como uma das origens da crise econômica. Boa parte desses opositores compõem hoje a base de apoio de Michel Temer.

O custo dos principais programas que compõem o “Bolsa Empresário” equivale a mais de sete vezes o valor destinado ao Bolsa Família para o próximo ano (R$ 29,7 bilhões) e supera os investimentos previstos para saúde (R$ 94,9 bilhões) e educação (R$ 33,7 bilhões) – justamente as duas áreas que levantaram polêmica em função da PEC 241.

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, explica que a equipe do peemedebista optou pela cautela no exame dos benefícios tributários e demais incentivos voltados aos empresários. Segundo ele, o governo não quer romper contratos e teme agravar a recessão. “Temos uma pesada herança maldita, porque o volume de empréstimos subsidiados é muito grande e se estende pelos próximos anos”, afirma Mansueto.
 
←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SERIPAN

RADIOSNET