O Ministro da Justiça contra o Estado Policial e fascista ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

O Ministro da Justiça contra o Estado Policial e fascista

O novo Ministro da Justiça fez aquilo que seu antecessor não fez em seis anos: jogou luz setores polícia que praticam os ilegais vazamentos seletivos

O condomínio jurídico-midiático-policial atua monoliticamente na inteligência e na direção estratégica do golpe. Quando um elo da sua estrutura se fragiliza, toda a estrutura socorre e regenera este elo fragilizado, para manter compacto e rígido o conjunto do condomínio.

Nos últimos dias, dois elos da estrutura golpista-fascista foram avariados: o justiceiro Sérgio Moro, que somou ao seu currículo de abusos e arbitrariedades o crime de interceptação e divulgação ilegal de conversas da Presidente da República – “ele simplesmente deixou de lado a Lei”, nas palavras de Marco Aurélio Mello, Juiz do STF; e a Polícia Federal, que finalmente foi notificada que não mais contará com a leniência do ex-Ministro José Eduardo Cardozo, que incrivelmente tolerou a transformação da instituição em Polícia Política para a perseguição e destruição de inimigos ideológicos.

A proteção e a solidariedade para com Sérgio Moro veio de todos os setores golpistas, com notável destaque para o Procurador da República e para o Líder do PSDB no STF, Gilmar Mendes.

A defesa da natureza de Polícia Política da Polícia Federal também partiu de vários setores golpistas - situados no Parlamento, Judiciário, mídia, Ministério Público e, obviamente, nas próprias corporações dos policiais federais.
O novo Ministro da Justiça, Eugênio Aragão, é um profissional originário do Ministério Público que demonstra conhecer em profundidade o ordenamento jurídico-democrático brasileiro e as funções legais e institucionais do sistema jurídico e policial do país.

Nos minutos iniciais no cargo, o novo Ministro fez aquilo que seu antecessor inepto não fez em quase seis anos: jogou luz sobre a escuridão em que se escondem aqueles setores obscuros da corporação policial para a prática ilegal de vazamentos seletivos, para a seleção de investigação que é feita segundo conveniências políticas, para a proteção de aliados políticos e para a caça e perseguição de inimigos ideológicos.

A posição do Ministro Eugênio Aragão desencadeou no golpismo jurídico-midiático-policial, como seria de se esperar, uma reação irascível e, ao mesmo tempo, irônica: acusam-no de violar o Estado Democrático de Direito.

Isso não passa de jogo de cena para constranger a atuação do Ministro da Justiça e assim inviabilizá-lo no cargo. Querem a vida mansa que tinham até a semana passada, para seguirem impondo a regra de um Estado Policial, autoritário, partidarizado e instrumentalizado para destruir a parte da sociedade que pensa diferente.

Agem assim porque querem usar a máquina pública para caçar e prender o Lula e, com isso, destruir a imagem deste que é um dos maiores símbolos da esquerda brasileira e mundial.

Querem fazer um Estado totalitário em que algumas pessoas, usando seus cargos e funções públicas, governem as Leis, e não um Estado em que as Leis governem e protejam a sociedade.

Os ataques ao Ministro da Justiça no fundo alvejam a ordem democrática. A democracia está flanqueada pelo golpismo fascista. Defender e fortalecer o trabalho do Ministro da Justiça é um imperativo para a defesa da democracia e do Estado Democrático de Direito. 


←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SOARTE

RADIOSNET