O perigo de colocar a foto de perfil com o filtro da bandeira francesa ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

O perigo de colocar a foto de perfil com o filtro da bandeira francesa

Texto publicado pelo jornalista espanhol Èric Lluent, tradução de Kélliana Braghini, revisada por mim. Link do original

Em razão do atendado desta sexta-feira em Paris, o Facebook lançou um filtro opcional para todos os usuários da rede. A proposta do filtro é solidarizar-se com as vítimas do atentado transformando sua foto do perfil em uma imagem que mistura a original com as cores da bandeira da França. Assim, minuto a minuto os usuários vão utilizando a ferramenta, levados pelo choque emocional gerado pelos ataques à capital francesa. É evidente (mesmo não acreditando que seja desejável) que no mundo há muitos mortos de primeira e mortos de segunda, inclusive de terceira e quarta. É até certo ponto compreensível que um cidadão europeu se comova mais com um atentado ocorrido em Paris, que outro em Beirute. Portanto, se prestarmos atenção na cobertura midiática que se faz de um e de outro, seria de estranhar que um cidadão do estado espanhol, por exemplo, será mais afetado por um ataque terrorista no Líbano do que um na França.

A manipulação coletiva por parte dos grandes meios de comunicação é evidente. O silêncio que impera ou a frieza na hora de expor figuras dos mortos quando se trata de um atentado que ocorreu em um lugar conhecido como Mundo Árabe contrasta com o exagero da exposição quando se trata de um atentado em território europeu ou norteamericano. E mesmo que esta estratégia comunicativa seja um modelo de sucesso na hora de criar cidadãos e sociedades de primeira e de segunda, cada vez mais europeus entendem estar sendo manipulados e buscam fugir da influência dos grandes meios, que com sua ação ou falta dela, constroem muros entre sociedades, que parecem intransponíveis. Não obstante, ao se tratar de uma novidade, o filtro do Facebook apresenta um perigo que atinge a maioria dos internautas, especialmente os mais vulneráveis.

Utilizar o filtro do Facebook para solidarizar-se com as vítimas dos atentados em Paris é apoiar uma visão de mundo em que só as mortes de cidadãos ocidentais merecem atenção. Mediante este pequeno gesto, se constrói um muro a mais nesta fortaleza do Século XXI, que é a Europa, cheia de súditos mortos de medo que doam seu senso crítico a empresas e instituições públicas em troca de um pouco de sensação de segurança. No Líbano, no Iraque, no Iran e em qualquer lugar do mundo, quando se lança uma bomba ou um míssil, existem irmãos que sofrem, pais e mães que desmaiam ao saber da notícia, amigos que buscam desesperados pistas para encontrar companheiros de estudo ou trabalho. É compreensível (mesmo não acreditando ser desejável) que um cidadão europeu se preocupe mais com um atentado em Paris, que outro em Beirute. Muitos temos amigos em Paris e os visitamos na cidade, uma ou em várias ocasiões. Mas o Facebook é uma empresa global e com gestos como este, a única coisa que faz é estabelecer uma estrutura hegemônica de prioridades em que os mortos ocidentais preocupam e mobilizam e as vítimas, por exemplo, do atentado de Beirute, há dois dias, simplesmente não importam. Ou nos deram a opção do filtro com a bandeira do Líbano? Fortalecer essa visão de mundo, me parece extremamente perigoso. Mas fazemos isso sem sequer dar-nos conta.

https://medium.com/@julhermepires/o-perigo-de-colocar-a-foto-de-perfil-com-o-filtro-da-bandeira-francesa-66beee4c9476

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SERIPAN

SOARTE

RADIOSNET

Total de Transeuntes