Homofobia, medo do gozo do outro ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

Homofobia, medo do gozo do outro

Perdi um aluno. Aluno é igual filho, para sempre. Lucas Fortuna, jornalista, árbitro profissional, não era mais meu aluno, nem eu sou mais professora, mas Lucas será sempre um pouco meu. Essa perda imensa é minha, é da família, dos seus amigos, companheiros de política, da sua cidade, e também do País. Não só pelo que Lucas foi, mas pelo que poderia realizar ainda. Sua morte brutal é um golpe nos nossos afetos, no nosso patriotismo e na nossa humanidade.

Diante do choque, ainda fico querendo tapar o sol com a peneira das ilusões. Se não havia facadas, quem sabe ele se machucou nas pedras já morto? Quem sabe não sentiu dor nenhuma, aquela pessoa tão doce, avessa à qualquer tipo de violência. Quem sabe se afogou alegremente quando pulava pelas pedras? Todos aqueles hematomas e machucados não poderiam ter sido causados no seu corpo inerte jogado aos arrecifes pelas ondas? Seria mais poético assim. Menos doída esta morte.

Difícil é engolir que Lucas tenha morrido porque alguém não suportou ver aquele belo jovem feliz.

Porque a homofobia é isto. Não suporto que o outro possa gozar diferente de mim. Não suporto que goze mais do que eu. Os homofóbicos na sua ignorância acham que a homossexualidade é muito mais do que é. E não só uma forma de haver-se com o corpo próprio. Uma opção inconsciente feita lá muito atrás na pureza da infância. Ser homossexual não é ser nem mais nem menos que ser hetero. Não garante mais gozo, mais ética, mais moral, nem mais perversidade. A diferença só se dá no âmbito da sexualidade, que é terreno do sagrado, do familiar, do mais íntimo, não é uma diferença para ser levada em conta na esfera pública. Embora a questão tenha de ser trazida sim para o social, diante da violação dos seus direitos, da discriminação, dos crimes e da violência sofrida.

São estarrecedoras as estatísticas dos crimes cometidos contra homosexuais no Brasil. Houve um aumento de113% nos últimos cinco anos. O risco de um homossexual ser assassinado no Brasil é 785% maior que nos Estados Unidos. O Relatório sobre Violência Homofóbica da Secretaria de Direitos Humanos registrou 6.809 denúncias de violações contra gays em 2011 (agressões físicas, ameaças, humilhações, discriminações, negligências, abusos sexuais e assassinatos). Estes são dados parciais porque só há registros de denúncias oficiais ao poder público.

O documento revela que a maioria dos casos de violência homofóbica é praticada por pessoas conhecidas da vítima (61,9%), como familiares e vizinhos, e a maior parte das violências (42%) ocorre dentro de casa: 21,1% dos casos. As violências ocorridas em espaços públicos ficam acima de 30%. E é muito maior entre os jovens, 47,1% das vítimas têm entre 15 e 29 anos de idade. Os registros indicam que uma mesma pessoa sofre várias violências e por mais de um agressor. “Os dados revelam uma média de 3,97 violações sofridas por cada uma das vítimas, o que parece indicar como a homofobia se faz presente no desejo de destruição (física, moral ou psicológica) não apenas da pessoa específica das vítimas, mas também do que elas representam – ou seja, da existência de pessoas gays em geral”, conclui o relatório.

Maiores informações podem ser encontradas no site da secretariahttp://www.sdh.gov.br/clientes/sedh/sedh/brasilsem/relatorio-sobre-violencia-homofobica-no-brasil.

Os jovens homosexuais não aceitam mais fechar-se em guetos, por isto sofrem mais violência. Lucas era assim, um jovem do seu tempo, participava da política, já havia sido secretário de Cultura da sua cidade aos 22 anos, e havia sido convidado para mais uma gestão. Quando o conheci, tinha acabado de passar no vestibular de jornalismo da UFG. Foi uma fala sua que nos convenceu a promover a mudança curricular do curso. Ele argumentava, tenho 16 anos e este currículo 20. Envergonhados, Lucas, nos despedimos de você com gratidão e saudade.

ARTIGO_03-C_WEBLisa França é psicanlista e cineasta

http://www.opopular.com.br/editorias/opiniao/opini%C3%A3o-1.146392/homofobia-medo-do-gozo-do-outro-1.239214?parentId=ojcTrailTitlePane_7_218528_1335442978_4731100_1

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SOARTE

RADIOSNET