Escritor alagoano Lêdo Ivo morre aos 88 anos vítima de infarto ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

Escritor alagoano Lêdo Ivo morre aos 88 anos vítima de infarto

O escritor alagoano Lêdo Ivo morreu às 2 horas da madrugada deste domingo (23) aos 88 anos, vítima de um infarto, informou a ABL (Academia Brasileira de Letras), da qual era membro.

Cinzas do poeta Lêdo Ivo ficarão em mausoléu da Academia Brasileira de Letras

O poeta estava em Sevilha, na Espanha, a passeio com a família. Após um jantar, ele se sentiu mal e morreu nos braços do filho, o pintor Gonçalo Ivo, que mora em Paris.

Ivo chegou a ser levado ao hospital, mas já teria chegado sem vida.

Fernando Alvarado/Efe

O escritor alagoano Lêdo Ivo, em 2011

O escritor alagoano Lêdo Ivo, em 2011

Segundo Domício Proença, primeiro-secretário, Gonçalo informou que o corpo será cremado na Europa neste domingo.

As cinzas serão trazidas para o Brasil posteriormente.

A presidente da ABL, Ana Maria Machado, disse que Ivo lutava contra um câncer de próstata havia anos, mas nunca conversaram a respeito da doença.

Antes de morrer, o poeta pedira ao filho discrição.

"Ele costumava dizer que a poesia é uma forma de ocultar a vida pessoal em palavras", disse Ana Maria.

A academia decretou luto de três dias e marcou sessão reservada de homenagem ao escritor para o dia 10 de janeiro.

Em março ou abril, haverá outra homenagem, aí então pública.

"Ele era um membro muito assíduo, grande contador de casos. Tinha uma vitalidade espantosa, falava alto, gostava de comer bem", lembrou a presidente da ABL.

"Como poeta, ele foi um representante significativo da chamada Geração de 45, momento em que o modernismo brasileiro procurou voltar a formas poéticas fixas e se afastar da linguagem coloquial. Ele dominava muito bem o artesanato do poema."

A sucessão da cadeira número 10, que Ivo ocupava, só começará a ser debatida depois que a vaga for anunciada oficialmente, disse Ana Maria Machado.

ESPIRITUOSO

Escritor e membro da Academia Brasileira de Letras, Marcos Vilaça disse que "todos os acadêmicos estão muito pesarosos" com a morte do colega, a quem classificou de uma pessoa "muito espirituosa".

Há duas semanas, no tradicional chá da ABL, Ivo se mostrava empolgado com a viagem para a Sevilha. "Ele estava vibrando com a viagem que ia fazer com o filho e o neto."

Vilaça afirmou Ivo, apesar da idade, "tinha uma disposição impressionante" para viajar, inclusive para lugares de altitude elevada --nas quais o ar mais rarefeito causa mal estar. "Ele ia para a La Paz, na Bolívia, para a Cidade do México, e dizia que não sentia nada."

Segundo Vilaça, o acadêmico era "muito alegre e bem humorado". "Ele tinha uma acidez cômica. Na última vez que estivemos juntos, ele me disse, em tom de brincadeira, que na academia, a gente só premia livro que a gente não leu, porque se fosse ler não premiava."

HISTÓRIA

Lêdo Ivo nasceu no dia 18 de fevereiro de 1924, em Maceió (AL). Foi casado com Maria Lêda Sarmento de Medeiros Ivo (1923-2004), com quem teve três filhos: Patrícia, Maria da Graça e Gonçalo.

Fez os cursos primário e secundário em Maceió. Em 1940, mudou-se para o Recife. Em 1943, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde se formou na Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro) em 1949. Ivo, porém, nunca advogou.

Durante o curso, o escritor passou a trabalhar como jornalista e a colaborar em suplementos literários de periódicos cariocas. Em 1944, estreou na literatura com "As Imaginações" (poesia). No ano seguinte, publicou "Ode e Elegia", que ganhou o Prêmio Olavo Bilac, da Academia Brasileira de Letras.

Nos anos seguintes sua obra ganhou corpo, o autor publicou diversos livros de poesia, romance, conto, crônica e ensaios. Em 1947, seu romance de estreia "As Alianças" recebeu o Prêmio de Romance da Fundação Graça Aranha.

Em 1953, Ivo foi morar em Paris. No fim de 1954, retornou ao Brasil, reiniciando suas atividades literárias e jornalísticas. Em 1957, seu livro de crônicas "A Cidade e os Dias" (1957) recebeu o Prêmio Carlos de Laet, da Academia Brasileira de Letras.

Além de "A Cidade e os Dias", entre suas obras mais famosas estão "Curral de peixe", "Plenilúnio", "Ninho de Cobras", "Confissões de um Poeta" e o infantil "A história da tartaruga".

Ivo foi eleito "Intelectual do Ano de 1990", recebendo o Troféu Juca Pato do seu antecessor desse homenagem, o atual cardeal emérito de São Paulo, dom Paulo Evaristo Arns.

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1205743-escritor-alagoano-ledo-ivo-morre-aos-88-anos-vitima-de-infarto.shtml

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SERIPAN

SOARTE

RADIOSNET

Total de Transeuntes