A inversão do fluxo migratório no Nordeste ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

A inversão do fluxo migratório no Nordeste

Investimentos e programas sociais elevam a renda dos nordestinos e reduzem os fluxos migratórios. Muitos dos que deixaram a região conseguem retornar e abrir negócio próprio

Mamonas (MG), Lagoa Grande (PE) e Jardim (CE) — Os movimentos da asa branca, pássaro pouco menor que um pombo, são acompanhados de perto pelo sertanejo, pois a chegada e a partida da ave de uma região significam o início e o fim do período chuvoso. No chamado Grande Norte de Minas e no Nordeste brasileiro, os versos, estampados no alto dessa página, ainda fazem parte da realidade de muitas famílias, que deixam o semiárido em busca de emprego, principalmente, no Sudeste. Por outro lado, devido ao aumento do poder aquisitivo do brasileiro, uma parcela grande de ex-refugiados da seca já faz o caminho de volta. Melhor: muitos que foram para o Sudeste e agora retornam para a terra natal usam suas economias para abrir o próprio negócio, fomentando a renda na região.

Essa boa nova, porém, ainda não chegou à casa de Ana Rodrigues, 47 anos, moradora de Mamonas, a 300 quilômetros de Montes Claros. Em busca de emprego, cinco de seus seis filhos se mandaram para São Paulo. Ela espera, ansiosa, pelo dia em que eles vão voltar em definitivo. "Saíram para o mundo para não passar fome", lamenta. Dois filhos de Jucineide Justino, 45 anos, também se foram. Trocaram Lagoa Grande, no sertão de Pernambuco, por Petrolina, onde o emprego é farto graças à lavoura irrigada pelas águas do São Francisco. "Sei que um dia o mesmo deve acontecer com meus três filhos menores."

De 1960 a 1980, mais de 1,3 milhão de nordestinos deixaram a terra natal. Para eles, como para os filhos de dona Ana, a meca era São Paulo. Hoje, embora muitas famílias do Norte de Minas e do Nordeste ainda partam em busca de um futuro melhor, a migração é menor do que a da época em que o rei do baião gravou Asa Branca. Isso se deve a vários fatores, como investimentos privados e públicos e a expansão de programas sociais, entre eles o Bolsa Família. O professor Alisson Flávio Barbieri, do Departamento de Demografia da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG, avalia que a redução das desigualdades sociais e econômicas ante o Sudeste e o Sul brasileiros abriu caminho para o crescimento da economia e a migração de retorno.

A redução da desigualdade foi fundamental para que Jailson Sales, 46 anos, fizesse o caminho de volta para casa, em Exu (PE), quase 30 anos depois de ter partido para São Paulo, onde trabalhou em várias funções na indústria. "Em 2010, percebi que o Nordeste havia crescido, que as pessoas passaram a ter renda maior. Decidi voltar". Ele veio na companhia de um amigo, Luiz Antônio Rodrigues, 61 anos, que trocou Guarulhos (SP) pela terra de Gonzaga. Montaram uma fábrica de confecções com 20 funcionários.

 

Por Assis Ribeiro

Do Correio Braziliense

Depois do êxodo, volta à terra natal

Autor(es): Paulo Henrique Lobato (textos) Enviado especial a Pernambuco, Bahia e Ceará

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-inversao-do-fluxo-migratorio-no-nordeste?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SOARTE

RADIOSNET