USP, Unicamp e Unesp preparam adoção de cotas ~ Pacatuba Em Foco
Tecnologia do Blogger.

APEOC

Postagens Populares

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate another link velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.

Arquivo do blog

Categories

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Pages

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Unordered List

  • Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  • Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  • Vestibulum auctor dapibus neque.

Futebol Ao Vivo

Futebol Ao Vivo

Participe pelo Whatsapp 85 988 621 206

USP, Unicamp e Unesp preparam adoção de cotas

USP, Unesp e Unicamp preparam um programa conjunto para aumentar o número de estudantes de escolas públicas em seus cursos.

Discussão de cotas é antiga, mas enfrenta resistências

A proposta prevê selecionar os melhores alunos da rede para fazer curso semipresencial de dois anos.

Ao final, eles poderão disputar até 50% das vagas nos cursos tradicionais das universidades --a política de cotas é inédita nas universidades estaduais paulistas.

A medida passou a ser desenvolvida após pedido do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que disse aos dirigentes universitários que eles não poderiam ficar indiferentes ao programa de cotas em curso nas escolas federais.

A ideia inicial dos reitores, segundo a Folha apurou com professores, apresenta diferenças ao implementado nas federais, onde o estudante de escola pública, já ao sair do ensino médio, tem acesso às vagas reservadas.

Moacyr Lopes Junior - 13.nov.12/Folhapress

Integrantes da ONG Educafro protestam na reitoria da Unesp pela adoção de cotas nas universidades estaduais de SP

Integrantes da ONG Educafro protestam na reitoria da Unesp pela adoção de cotas nas universidades estaduais

No projeto paulista, estudantes de escolas públicas serão selecionados via Enem ou Saresp para o curso superior genérico e semipresencial.

Oferecido pela Univesp (universidade estadual virtual), esse curso dará direito a um diploma superior, que poderá ser usado, por exemplo, em concursos públicos.

Esses formados poderão, então, disputar vagas reservadas apenas a eles nas graduações tradicionais das universidades e das Fatecs. As notas no curso semipresencial serão usadas na seleção para as graduações.

NIVELAMENTO

A intenção é deixar os estudantes beneficiados em condições parecidas à dos melhores alunos das particulares, que dominam a lista de aprovados no vestibular.

Durante a graduação, os estudantes selecionados deverão ter bolsa de estudos, para que não evadam.

Inicialmente, a ideia é que a cota seja de 50%. Segundo apuração da Folha, ainda há divergência se haverá benefício extra considerando os critérios raciais.

Em reportagem publicada ontem pelo jornal "O Estado de S. Paulo", o reitor da Unesp, Julio Durigan, disse que haverá cotas raciais.

Durigan não concedeu entrevista ontem. A USP, que preside o conselho de reitores, disse apenas que a proposta não está pronta, posição parecida à da Unicamp.

Inicialmente, não está previsto o aumento no número de vagas nos vestibulares para atender aos estudantes do curso semipresencial. Assim, deverá haver menos postos para alunos da rede privada.

Qualquer alteração precisará ser aprovada pelos conselhos universitários.

Esses órgãos colegiados são tradicionalmente refratários à ideia de reserva de vagas, pois entendem que as cotas ferem o princípio da meritocracia acadêmica.

Editoria de Arte/Folhapress

PERDAS E GANHOS

O modelo de um curso intermediário de dois anos é semelhante ao dos "colleges" norte-americanos. As federais do ABC e da Bahia também têm organização semelhante, em que os alunos entram em carreiras específicas após passarem por um curso inicial, com conteúdo básico.

Os reitores paulistas buscam mecanismo que possa aliar a inclusão de estudantes de escolas públicas sem deixar de lado a meritocracia.

Hoje, mais de 80% dos formados do ensino médio estudam na rede pública, mas eles representam cerca de 30% dos aprovados no vestibular da USP, por exemplo.

 

http://www1.folha.uol.com.br/educacao/1191762-usp-unicamp-e-unesp-preparam-adocao-de-cotas.shtml

←  Anterior Proxima  → Inicio

FanPage do Pacatuba Em Foco

Mais Acessadas

APEOC

SOARTE

RADIOSNET